A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
179 pág.
ARTE E MUSICALIZAÇÃO APLICADAS À EDUCAÇÃO

Pré-visualização | Página 6 de 34

tendo, assim, uma valorização menor em relação a outras disciplinas, evidente 
que não da mesma forma que acontecia na Escola Nova, mas ainda com certa 
desvalorização.
Nesse percurso histórico, notamos que a disciplina de Arte se transformou 
conceitualmente, na aplicação pedagógica e políticas educacionais. Uma busca 
pela valorização da arte foi e continua a ser aprimorada na escola.
A formação do profissional de arte evoluiu, o reconhecimento da disciplina 
melhorou, os materiais didáticos foram aperfeiçoados, ou seja, ampliou-se a valo-
rização da cultura e da arte no contexto educacional.
Um bom exemplo disso é a Lei 13.278/2016, que foi apresentada no ano de 
2010, mas só foi aprovada no ano de 2016, mudando uma parte da LDB 9.394/1996 
que previa somente o ensino de música e artes plásticas na disciplina de Arte para 
a obrigatoriedade do ensino de Teatro e Dança junto às Artes visuais e a Música.
No entanto ainda há muitas conquistas a serem realizadas, práticas ressigni-
ficadas para que a formação de qualidade do professor e do aluno seja priorizada 
cada vez mais e que o saber artístico e cultural ganhe seu espaço humanizador 
e científico no ambiente escolar.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Nesta unidade, estudamos um pouco sobre o conceito de arte e vimos que não 
existe uma concepção que abarque todas as produções artísticas, mas podemos 
adotar uma postura teórica para atuarmos na escola, entendermos arte como 
uma forma de expressão baseada em uma técnica, uma habilidade que estimu-
lem o aluno.
Entendemos que nem tudo pode ser considerado arte, embora não possa-
mos fechar nossos olhos para diferentes manifestações artísticas, o professor 
Considerações Finais
Re
pr
od
uç
ão
 p
ro
ib
id
a.
 A
rt
. 1
84
 d
o 
Có
di
go
 P
en
al
 e
 L
ei
 9
.6
10
 d
e 
19
 d
e 
fe
ve
re
iro
 d
e 
19
98
.
33
não pode deixar de aproximar os alunos das obras de Da Vinci e de Duchamp, 
de trabalhar a bossa nova e a música clássica, evidente que não pode trabalhar 
qualquer coisa sem sentido e sem um objetivo claro, a disciplina de arte deve 
trazer experiências novas e significativas.
Observamos as orientações que os PCNs apresentam e quais objetivos a 
disciplina de arte deve ter na escola. Um ponto muito importante é resgatar as 
artes visuais, a música, o teatro, a dança na escola, pois é possível pensar em 
uma educação artística que estimule o corpo, a mente e promova novas experi-
ências para os alunos.
Estudamos, também, aspectos históricos do ensino de artes nas escolas bra-
sileiras, vimos o descaso por parte do governo, dos alunos e professores; a falta 
de uma lei específica e depois a sua criação; como a disciplina foi entendida e 
utilizada em períodos diferentes, muitas vezes, estereotipada e desacreditada, e 
que ainda há muitas coisas a serem refletidas sobre ela na prática pedagógica.
Observe como dar o primeiro passo é importante, visto que estudamos con-
teúdos importantes para a nossa formação, o que parecia tão distante e difícil já 
foi finalizado e estamos prontos para absorver mais conteúdos.
Terminamos, assim, a nossa primeira volta na corrida pelo conhecimento 
e, agora, o importante é não desanimar, aceleremos para a nossa segunda volta.
Bons estudos!
34 
1. A definição de arte nunca foi unanimidade, sempre houve diferentes conceitos 
sobre a arte e suas potencialidades. Assinale a alternativa correta sobre a defini-
ção que pode ser apropriada ao ambiente escolar:
a. A arte e o seu caráter funcional e procedimental.
b. A arte e seu valor estético sensorial.
c. A arte como expressão da beleza máxima.
d. A arte e seus grandes autores e obras.
e. A arte como forma de expressão do eu.
2. O universo artístico é muito amplo e diversificado, ao longo da história, muitos 
artistas produziram os mais diferentes tipos de objetos artísticos. Sobre o que 
pode ser considerado arte é correto afirmar:
I. Existe uma categoria única de arte.
II. Tudo o que é produzido por um grande artista é arte.
III. O objeto artístico passa por um conceito de arte.
IV. A arte contemporânea pressupõe uma interação do público.
 
a. Apenas a alternativa I.
b. As alternativas I e II.
c. As alternativas II e III.
d. As alternativas III e IV.
e. As alternativas I, II e IV.
3. O caso ocorrido na 29ª Bienal de Arte de São Paulo com a obra “Bandeira branca” 
nos leva a refletir sobre os limites da arte e sua aplicabilidade. Explique qual é 
o limite da arte.
35 
4. A disciplina de arte está presente nas escolas, porém, muitas vezes, é tratada 
de forma secundária ou como um passatempo. Qual é a importância dela para 
a formação do aluno?
5. Os PCNs de arte (1997) definem três objetivos para a disciplina de arte na esco-
la. Cite quais são e o seu sentido na escola.
36 
Leia um trecho do artigo intitulado “A Formação do Professor do Ensino de Arte na Es-
cola: Uma Construção no Cotidiano da Disciplina”, de Raquel Lima Freitas, que discute a 
importância de um profissional capacitado e consciente de suas práticas:
A complexidade da área requer profissionais formados em arte e em educação, capaci-
tados a construir e implantar propostas sistemáticas, plurais, complexas e dinâmicas, in-
tegrando os conteúdos escolares e a arte de forma multidisciplinar, consolidando, assim, 
equipes de trabalho para desenhar seu fazer cotidiano. Faz-se necessário também que 
esse professor busque ‘descobrir quais são os interesses, vivências, linguagens, modos 
de conhecimento de arte e práticas de vida de seus alunos’ (FUSARI e FERRAZ, 1993, p. 
73). Integrar os conhecimentos próprios da arte com as experiências dos alunos é uma 
possibilidade de tornar mais acessível o ensino da arte”.
A autora do artigo afirma que o conhecimento trabalhado em sala de da disciplina de 
arte ainda está direcionado para o cognitivo e tem pouco trabalho direcionado para a 
experimentação, vivência e discussão de abordagem estética.
Na contemporaneidade, há uma busca pelos conhecimentos relacionados à aprendiza-
gem dos conhecimentos artísticos, a partir da inter-relação entre o fazer, o ler e o con-
textualizar arte. Segundo o PCN de Arte:
Ao fazer e conhecer o aluno percorre trajetos de aprendizagem que propiciam conheci-
mentos específicos sobre sua relação com o mundo. Além disso, desenvolve potenciali-
dades (como percepção, observação, imaginação e sensibilidade) que podem alicerçar 
a consciência do seu lugar no mundo e também contribuem inegavelmente para a sua 
apreensão significativa dos conteúdos das outras disciplinas do currículo. (BRASIL, 1997, 
p. 44).
Os PCN de Arte orientam como conteúdos gerais de Arte, as Artes Visuais, a Música, o 
Teatro e a Dança num conjunto que promova a formação artística e estética do aluno. 
O documento 55 não define quais modalidades artísticas devam ser trabalhadas a cada 
ciclo de ensino, apenas oferece condições – orientações didáticas, para que as escolas 
definam seus projetos curriculares.
[...] os conteúdos da área de Arte devem estar relacionados de tal maneira que possam 
sedimentar a aprendizagem artística dos alunos do ensino fundamental. Tal aprendi-
zagem diz respeito à possibilidade de os alunos desenvolverem um processo contínuo 
e cada vez mais complexo no domínio do conhecimento artístico e estético, seja no 
exercício do seu próprio processo criador, por meio das formas artísticas, seja no contato 
com obras de arte e com outras formas presentes nas culturas ou na natureza. (BRASIL, 
1997, p. 55).
37 
Os conteúdos de Arte estão articulados em três eixos norteadores de aprendiza-
gem: a produção, a fruição e a reflexão.
Produção refere-se ao fazer artístico;
Fruição refere-se à apreciação do universo relacionado à arte;
Reflexão refere-se ao conhecimento construído pelo próprio aluno sobre sua pro-
dução, a produção dos colegas e as artes como produto histórico.
As Modalidades Artísticas ou Conteúdos para o ensino de Arte na escola são:
AS ARTES VISUAIS – pintura, escultura, desenho, gravura, arquitetura, artefato,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.