A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
contesta????o

Pré-visualização | Página 1 de 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA , GO . 
 
 
AUTOS Nº 0010001-10.2017.518 .0002 
 
 
Maria José Pereira , casada, profissão xx, portadora da cédula de identidade xxx , inscrito o CPF número 055. 222.345- 61, endereço eletrônico xxxx, r residente é domiciliado na Rua Girassol, número 380, apartamento 301, bairro Medalha, Goiânia, Go, CEP: 74.10 0 -00 0, por intermédio de seu advogado ré bastante 
por intermédio de procurador (procuração em anexo) , com 
escritório profissional sito à Rua xxxx, nº xx, Bairro xxxx, Cidade xxxx, Estado
xxxx, onde recebe no tificações e intimações, vem respeitosamente à presença de 
Vossa Excelência presentar :
C ON TE STAÇ ÃO 
 
À reclamação trabalhista interposta por Albano Machado, brasileiro, casado, desempregado, 
portador da cédula de identidade no de n º xxx, inscrita no CPF nº123. 
456.789-00 endereço eletrônico xxx, residente e domiciliada na Alameda do Riacho, número 125, b ai Vila Paris, em Goiânia, GO , CEP: 74.000 -000, pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos. 
 
D OS FAT OS 
 
Iniciou o reclamante suas atividades laborais no dia 01/02/2012 , na condição de cuidador de idosos , com o propósito de presta assistência de cuidar de seu marido o Sr. Antenor Becha Pereira , com 80 anos que necessita de cuidados especiais , Pereira, pois sofreu um acidente vascular cerebral e ficou com várias sequelas 
Trabalha a reclamante na residência do casal , no sistema de revezamento de 12horas de trabalho . Senhor 36 horas de descanso . O horário era sempre das era das 7:0 0 horas até as 19 :00 horas . 
No s do i s primeiro anos ele recebia o valor de R$ 120,00 ( cento e vinte reais ) por cada plantão de 12 horas . Ele recebeu este valor nos dois 
primeiros anos de serviços de 01/02/2012 até 02/02/2014 . Após esta data ele passou a recebe r o valor de R$ 150,00(cento e cinquenta reais) por plantão de 12 horas . Tendo em vista o se u regi me de trabalho q quando se u plantão cai a a os 
domingos o u feriados não existia remuneração de diferencia nem folga compulsória. O se n ho r Albano durante as 12 horas de trabalho, só parava 30 minutos para almoçar restante era ininterrupto.
 
Teve fim o pacto laboral no di a 0 6/02 /2017 . O motivador foi uma discussão entre o reclamante e o reclamado , quando esta solicitou e sta que o cuidador desse banho em seu marido na parte da manhã. Toda via o reclamado discorda, pois sabendo que seu paciente preferia tomar banho no período da tarde, depois do seu almoço, sabia quando a temperatura era mais confortável para seu paciente . A discussão se dava porque a reclamada não gostava que o marido 
 
assistisse TV, o senhor Albano discordava da posição e uma vez ou outra permitia que o cuidador assistisse TV 
Após algumas discussões sob o tema o enfermeiro é demitido por justa causa , no referido motivo de insubordinação. Porém nunca teve nenhum motivo que o desabone nem sequer uma advertência. 
 
DO DIREITO 
 
a) Justa causa: 
 
D e acordo com a legislação trabalhista vigente a época do contrato de trabalho que se discute , a justa causa poderá se r aplica da em caso de insurbonaçãp .Lendo o artigo 482, alínea “ H” : 
CLT - Decreto Lei nº 5.452 de 01 de Maio de 1943
Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho.
Art. 488 - O horário normal de trabalho do empregado, durante o prazo do aviso, e se a rescisão tiver sido promovida pelo empregador, será reduzido de 2 (duas) horas diárias, sem prejuízo do salário integral.
artigo 482, alínea “ H ato de indisciplina ou de insubordinação
 
Exposto na inicial pelo próprio reclamante ele constantemente desobedece às ordens de sua empregadora, indo contra o art.3 ° d a C LT. Abaixo o empregado e esta sob dependência a do seu empregador, isso quando ele esta e m serviço . “Art . 3º - Considera-se empregado toda pessoa física que prestar 
serviços de natureza não eventual a em pregador, sob a dependência deste e mediante salário. ” 
Esta desobediência automaticamente garante a empregadora o direito de dispensa o trabalhador , pois não há dúvidas que o art. 48 2, “ H ” da CLT, em rol taxativo assegura , que o empregado necessita de ser submetido ao empregador . 
Levado em consideração as diversas vezes que se manifestou contrário das ordens da reclamada . Afirma o mesmo ter conhecimento técnico para tais situações. Tendo em vista que ele não é o médico responsável pelo tratamento do paciente, sua função é cuidar do paciente e obedecer às ordens que lhe são impostas .
 
Preceitua avaliar a alínea “F ”, que di z: 
Art . 482 - Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador 
F. embriaguez hu ual, ou em serviço; 
No ultimo di a de trabalho , o reclamante chegou embriagado u e 
 e começou a exercer a 
suas atividades , colocando em risco o paciente, que dependia de toda atenção. 
sobriedade é seu cuidador, notou a condição do trabalhador e a reclamada dispensa ele naquele dia as atividades . 
Teve que contratar para aquele dia outro empregado , otimiza seus gastos, por uma irresponsabilidade daquele. Tais atitudes tornam impossível a manutenção daquele relação. Pois precisamente não demonstrava respeito nem tão pouco responsabilidade para com aquela que outrora o confiou quem mas amava 
Nas suas mãos a saúde dele. 
. O motivo de contratar dois profissionais para cuidar deste . 
 
b) Jorna da de Trabalho 
É bem verdade que a legislativo permite a penas jornada de 8 horas diárias como 
podemos ler no ar t. 58 d a C LT. O trabalho à família sem fins lucrativos mas de caráter social . Preceitua a lei complementar 150 /2015, em 
seu art. 1 0°. Esta é a lei que regularizada trabalho doméstico ardo. Assim descrita : 
Art . 10. É facultado às partes , mediante e acordo o escrito escrito entre esses 
 
Estabelecer horário de trabalho de 12 (doze) h oras seguidas por 3 6 (trinta e seis ) horas ininterruptas de descanso observados ou indenizados . o, obs intervalos para repouso e alimentação 
Não resta duvida a quanto às intenções s do recla man te , es te esta buscando formas de vingar e de tentar corrigir a custa de outro os seus erros e assim tenta tirar o que o reclamante não tem. São sempre fundados na B OA -FÉ , os contratos preceitua o ar t. 422, do C C . Todos os contratos são fundados na boa fé do s 
contratantes , nota-se que neste momento este age contrário da 
norma do nosso CC vigente. 
 
c) Trabalho aos domingos é feriados . 
 
Ao alisamos s a s um u la 444 d o TS T, po demos veri fi car o s seg ui ntes dizeres: 
Súmula n º 444 do TS T 
Conforme o entendimento consubstanciado na Súmula 444 do TST, é assegurada ao trabalhador que se ativa na jornada especial 12×36 a remuneração em dobro dos feriados laborados. Esclareça-se que Súmula não é lei, mas entendimento uniformizado do Tribunal Superior do Trabalho, pelo que a mudança no entendimento jurisprudencial acarreta a aplicação imediata do novo posicionamento, sem submissão às regras de direito intertemporal. Assim, a aplicação retroativa da Súmula 444 do TST não resulta em ofensa ao princípio da segurança jurídica. Recurso de revista conhecido e provido. T
JOPNADA

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.