A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
65 pág.
Direito Sociais do Trabalho

Pré-visualização | Página 1 de 15

Direitos Sociais Coletivos e Protetivos
11/11 Prova Teste
18/11 APS
03/12 A2
Ementa: A disciplina aborda os direitos sociais como espécie dos direitos fundamentais, a desigualdade no mercado de trabalho, as minorias sociais e étnicas, o trabalho infantil, da mulher, do estrangeiro, da pessoa com deficiência. Discute o Direito Coletivo do trabalho a partir dos princípios constitucionais envolvendo autores, conflitos, mecanismos de proteção ao emprego.
CONTEXTUALIZAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS LABORAIS
Contexto Histórico
Conceito: Resguarda os direitos sociais mínimos à sociedade a fim de mitigar as vulnerabilidades sociais ocasionadas pelos modos de produção capitalista. O que se dá pelo exercício e usufruto de direitos fundamentais em condições de igualdade, para que que se tenha vida digna por meio da produção e garantias dadas pelo estados democrático de direito.
Exemplo: Os de proteção do trabalho da saúde e educação.
·	Atividade prestacional;
·	Direito à saúde e o direito à educação;
·	Atividade Normativa e reguladora- Proteção ao trabalho.
	
Espécies
São direitos sociais: a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e a infância, a assistência aos desamparados.
Canotilho- Os direitos e deveres sociais abarcam dois grupos distintos:
·	Os direitos relativos às condições de vida fundamentais(segurança social, saúde, habitação, trabalho);
·	Os direitos de certas categorias sociais ou de certas isntituições mais carecidas de proteção específica (Família, pais e mães, crianças, jovens, deficientes, idosos).
Constituição Federal Art. 6° 
Direito e garantias fundamentais: Ordem Social.
 – É uma série de direitos sociais mais ou menos abstratos, que precisam ser regulamentados por outras leis.
Joaquim José Gomes Canotilho, versa sobre as seguintes possibilidades de positivação ou conformação dos direitos sociais:
“1) positivação dos direitos econômicos, sociais e culturais sob a forma de normas programáticas definidoras de tarefas e fins do Estado (Staatszielbestimmungen) de conteúdo eminentemente social;
2) positivação dos direitos econômicos, sociais e culturais na qualidade de normas de organização atributivas de competência para a emanação de medidas relevantes nos planos econômico, social e cultural;
3) positivação dos ‘direitos sociais’ através da consagração constitucional de garantias institucionais (Institutionnelle Garantien), obrigando o legislador a proteger a essência de certas instituições (família, administração local, saúde pública) e a adotar medidas estritamente conexionadas com o ‘valor social eminente’ dessas instituições;
4) positivação dos direitos sociais como direitos subjetivos públicos, isto é, inerentes ao espaço existencial dos cidadãos
É um direito regulado pelo art. 7º da Constituição Federal. 
Assegura aos trabalhadores direitos mínimos, como a proibição de despedida arbitrária ou sem justa causa, desde que haja indenização compensatória (inciso I). 
Também prevê o seguro-desemprego (inciso II) e o fundo de garantia (inciso III), além da garantia de salário nunca inferior ao mínimo (inciso IV) e o décimo terceiro salário (inciso VII).
direito ao trabalho - •	13° Salário: valor pago no final do ano, no mesmo valor que a remuneração do trabalhador;
•	FGTS: depósito pela empresa de 8% do salário bruto do trabalhador com objetivo de garantir uma reserva de dinheiro em momentos em que o trabalhador se encontrar em dificuldade, como demissão, diagnóstico de doenças, ou outras eventualidades;
•	seguro-desemprego: uma assistência em dinheiro dado ao trabalhador em caso de demissão sem justa causa;
•	vale-transporte: propiciar a locomoção entre o emprego e a sua casa;
•	abono salarial: benefício de salário-mínimo a cada ano para quem possui uma renda mensal de até dois salários-mínimos;
•	aviso Prévio: em caso de quebra de contrato, a outra parte deve ser avisada com 30 dias de antecedência;
•	Adicional noturno: a remuneração deve ser 20% maior para pessoas que trabalham entre 22:00 horas de um dia às 5:00 horas do próximo dia;
MÍNIMO EXISTENCIAL/VITAL
Entendido como o dever do Estado, fundamentado no princípio da dignidade humana, garantir a todos um patamar social mínimo incondicional.
Impõe a preservação material do ser humano, assegurando-lhe condições mínimas para a preservação da vida e para a integração na sociedade, como uma questão prejudicial às políticas públicas a serem desenvolvidas pela governança estatal.
***************************************AULA 02/09***********************************************
MÍNIMO EXISTENCIAL/VITAL continuação
·	Entendido como o dever do Estado, fundamentado no princípio da dignidade humana, garantir a todos um patamar social mínimo incondicional.
·	Impõe a preservação material do ser humano, assegurando-lhe condições mínimas para a preservação da vida e para a integração na sociedade, como uma questão prejudicial às políticas públicas a serem desenvolvidas pela governança estatal. 
Comando implícito – determinando que outras ações só sejam realizadas uma vez satisfeitas as necessidades básicas de todas as pessoas que estejam integradas no elemento subjetivo daquele determinado Estado. 
obs.: A ideia do mínimo vital aponta que a opção de forma de organização socioeconômica pode variar, mas, qualquer que seja a opção esposada, deve ela estar comprometida, em primeiro lugar, com a preservação da dignidade material de todas as pessoas. 
A CF visa resguardar esse valor mínimo padrão (standard) mínimo
·	art. 1o, III , CF/88
cidadania
·	art. 3º, III, CF/88
·	Erradicação da pobreza e a diminuição das desigualdades sociais
·	a ordem econômica é calcada na propriedade privada e na livre iniciativa, e deve ter por objetivo propiciar dignidade a todos, segundo os ditames da justiça social. 
Tais previsões, só reforçam o propósito do constituinte de consolidar no Brasil essa noção de um mínimo vital, em matéria de direitos sociais. 
A HISTÓRIA DO SINDICALISMO E DO DIREITO COLETIVO DO TRABALHO 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
·	Último quarto do século XIX;
·	começam as primeiras manifestações, tímidas, de associações profissionais na Europa
·	Tais manifestações se originaram Principalmente por causa da Revolução industrial, que ocasionou uma migração em massa do campo para as cidades, que necessitavam de mão-de-obra em razão do novo método de produção oriundo de tal revolução 
·	De 1760 a 1830 precipitou -se uma sucessão contínua migratória na Europa
·	As estimativas são de que, até o ano de 1900, cinco milhões de homens trabalhavam para conquistar as riquezas ocultas da terra (mineiros).
·	obs.: a inexistência das condições mínimas de higiene, fato que contribuiu, entre os mineiros, para a formação de uma consciência comum do seu destino obscuro.
·	Surgiram moléstias profissionais com maior intensidade, como a tuberculose, anemia, asma etc. Fenômenos semelhantes, embora não tão sensíveis, verificaram -se na indústria metalúrgica em geral, no ramo da tecelagem e em diversas outras atividades que se formavam, conduzindo o trabalhador a uma situação comum de total desproteção. Por 
·	Fábrica - aglomeração maior das massas operárias.
O ponto de convergência dessa mesma pluralidade de indivíduos, unidos por um mesmo processo de ideais, sujeitos a um mesmo ordenamento, subordinados a um mesmo homem, com as mesmas obrigações e os mesmos direitos 
Identificar um denominador comum, que identifica as personalidades, de um modo brutal, expelindo ou cancelando as notas individuais de cada uma ou as suas características essenciais, como observa Gentil Mendonça. 
PROLETARIADO 
Proletário é um trabalhador que presta serviços em jornadas que variam de 14 a 16 horas, não tem oportunidades de desenvolvimento intelectual, habita em condições subumanas, em geral nas adjacências do próprio local da atividade, tem prole numerosa e ganha salário muito baixo em troca disso tudo. 
O movimento sindical 
Sindicato – A contínua associação de assalariados com o fim de manter

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.