A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
ESTUDOS DO LAZER- ciclo 2- Portifólio

Pré-visualização | Página 1 de 1

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA
LICENCIATURA
	Disciplina: ESTUDOS DO LAZER
	Tarefa: Portifólio (Ciclo 2)
	Nome: Alexandre de Oliveira 
	RA: 8084964
	Turma: DGEFL1901SPOASOS- 
Ed. Física Licenciatura
4° SEMESTRE 
	Parecer do Tutor: 
2
 Descrição da atividade:
 O segundo ciclo de estudos da disciplina Estudos do Lazer tem como eixo central a discussão em torno da formação e atuação profissional no campo do lazer. Vimos, a partir das reflexões realizadas, que se trata de um processo complexo e a busca por uma formação e atuação profissional, consistente e contextualizada é cada vez mais necessária nos dias de hoje.
 A fim de sistematizarmos a discussão proposta, você deve ler o texto Multiplicidade de profissionais e de funções (autoria de Luís Wilson Pina – páginas de 113 à 126), disponível no Livro Lazer: formação e atuação profissional (MARCELLINO, 2013: livro eletrônico disponível na Biblioteca Digital Pearson), selecionar duas características específicas (verificar o tópico: “Os requisitos para o profissional) que devem ser buscadas pelo profissional do lazer e, produzir um texto dissertativo ,abordando a importância destas características na formação e atuação do profissional de Educação Física no referido campo.
 Em seu texto será preciso destacar (deixá-las em negrito) as duas características escolhidas que podem se referir, tanto à postura profissional quanto ao domínio de conteúdo. Utilize em sua argumentação os conteúdos abordados nas leituras indicadas, pois isso lhe auxiliará na estruturação de seu trabalho.
 LAZER E TRABALHO
 De acordo com o texto: Multiplicidade de Profissionais e de Funções, de Luís W. Pina, (MARCELLINO, pp-113-126, 2012), em linhas gerais, podemos observar que no Brasil desde a década de 90 , 
setores empresariais e organizações começam a estudar mais profundamente sobre as novas possibilidades de serviços à população. Isso gerou uma crescente e nova demanda de serviços, inclusive no setor do lazer, começam a surgir no país a partir daí, com maior firmeza: parques aquáticos, a utilização do turismo ligado à natureza, centros de cultura e parques temáticos de entretenimento; o que na América do Norte, ( E.U.A e Canadá) e também na Europa, já eram muito comum, porém no Brasil este setor era ainda bastante tímido, com exceção de órgãos como: SESI e SESC.
 Com essas novas alternativas de espaços de lazer diversificado, também surgiu a necessidade de novos profissionais, preparados para atender a com afinco e profissionalismo essa parcela da população que buscava por esses espaços; este novo profissional se fez necessário, pois ao contrário de uma simples atividade em que o indivíduo consegue sem dificuldade desfrutar de uma atividade de lazer e/ou recreação, essas novas atividades exigiam orientações e planejamento de profissionais preparados pois se tratava de formas de lazer mais complexas e diversificadas. A viabilidade destas atividades dependia exclusivamente de: administração, programação, animação e manutenção. Portanto, além de essas novas atividades necessitarem de boa estrutura material e espaço físico, sobretudo, careciam de material humano especializado.
 Segundo cita Dante Silvestre Neto, (1980, pp. 1-4), entre os diversos requisitos para um bom profissional do setor de lazer, destacamos: a Atualização e o Cooperativismo; atualização, pela sua relevância, pois vivemos num mundo dinâmico, onde as mudanças ocorrem constantemente e cada vez de forma mais rápida, novas tecnologias e o modo globalizado em que o conhecimento é transmitido e aplicado causou uma verdadeira revolução, onde novos saberes e novos métodos de trabalho surgem a cada dia, sendo portanto, de grande importância seja para renovar os conhecimentos já adquiridos quanto para o profissional expandir sua visão em relação a profissão e determinar quais tendências de novas possibilidades na área do lazer estão em evidência e quais outras estão em queda ou necessitando de uma readaptação.
 Outro fator escolhido, merecendo devido destaque é o: cooperativismo, como bem observado as novas possibilidades no setor de lazer, são verdadeiros eventos, que prezam como objetivo final o bem estar de seu público; sendo estruturas cada vez maiores, em que envolvem muitos profissionais de áreas distintas, com formações diferentes e com funções responsabilidades exclusivas. A boa eficácia, dessas organizações passa também por uma boa sincronia funcional entre esses profissionais, que estão interligadas pela complexidade desses eventos, sendo muitas das vezes uma função dependente do bom funcionamento das outras. Assim sendo, a grande dimensão destes espaços de lazer, assim como em outros tipos de organizações como: indústria e comércio, a medida em que evoluiu, precisou se organizar, se profissionalizar tentando suprir as necessidades de seus usuários, que buscam por entretenimento de qualidade, cultura, momentos de alívio das tensões diárias laborais e bem estar, físico e mental. 
 Concluimos, então, que se trata portanto de um setor volátil, que se adapta de tempos em tempos as novas realidades sociais e culturais, não sendo algo estático mas em constante transformação, abrangendo possibilidades infinitas, porém , mantem-se fixo , em qualquer que seja o tipo ou modelo de espaço e atuação de lazer, o mesmo objetivo final, do ser humano se humanizar, repor suas energias que lhe são roubadas pelo labor e compromissos sociais, sendo um espaço aberto a sua autocontemplação e da natureza, divertir-se e desfrutar de momentos de relaxamento e de um aproveitamento racional do seu tempo livre.
REFERENCIAS:
MARCELLINO, Nelson Carvalho, (Org). LAZER E FORMAÇÃO PROFISSIONAL .CAMPINAS-SP: Papirus, 2013.
SILVA, Robson Amaral da.CRC RECEAÇÃO E LAZER. Batatais, SP : Claretiano, 2014.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.