A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Irrigação superficial

Pré-visualização | Página 1 de 1

IRRIGAÇÃO SUPERFICIAL 
A água consiste em um elemento imprescindível para o metabolismo 
vegetal e, portanto, é de fundamental importância que a planta tenha água 
disponível para se desenvolver. 
Nesse contexto, a irrigação trata-se de uma técnica cujo objetivo é fornecer 
água controladamente para as culturas, em volume adequado e no momento 
certo, visando garantir sua manutenção e produtividade. 
Existem diversos métodos de irrigação. Os principais são a superficial, a 
por aspersão, a localizada e a subterrânea. Nesse documento vamos tratar sobre 
irrigação superficial. 
A irrigação por superfície, também conhecida como irrigação superficial 
ou irrigação por gravidade, trata-se do método no qual a água flui, desde o ponto 
de distribuição até o ponto de infiltração, sobre a superfície do solo. 
O método de irrigação superficial é muito versátil e se adapta para a maioria 
das culturas e para todos os tipos de solos com exceção dos arenosos, visto que 
estes possuem elevada taxa de infiltração. Quanto à topografia, a irrigação por 
superfície requer um relevo favorável, dotado de diferença de nível positiva entre 
o sistema de distribuição e os pontos de infiltração, já que a condução da água 
ocorre por gravidade. 
Há vários tipos de irrigações por superficial. Os três principais são: 
• Irrigação por sulcos: fundamenta-se na criação de pequenos 
sulcos paralelos às linhas de cultura, por meio dos quais a água será 
conduzida. O benefício do método é evitar as perdas por evaporação 
e melhorar a eficiência do fornecimento de água que, nesse caso, 
provê água para a cultura sem molhar todo o solo; 
• Irrigação por inundação: caracteriza-se por cobrir todo o terreno 
com uma lâmina d’água, sendo popularmente conhecido por seu 
emprego em culturas de arroz. Esse método difere-se em: 
o Irrigação permanente: “a água é mantida sobre o terreno 
durante todo o ciclo da cultura, sendo retirado somente no 
estágio de maturação à colheita. Usado com predominância 
no Brasil" (NETTO et al., 1998); 
o Inundação temporária: “aplicação no tabuleiro um volume 
de água correspondente à lâmina bruta de irrigação, a qual 
infiltra no terreno. Novo volume de água será aplicado no 
tabuleiro após decorrer o turno de irrigação” (NETTO et al., 
1998). 
• Irrigação por faixas: prepara o terreno com faixas dotadas de baixa 
ou nenhuma inclinação transversal e com determinada inclinação na 
direção longitudinal, entre diques paralelos. Nessa situação, a água 
se movimentação no sentido da declividade longitudinal. Vale 
ressaltar que a irrigação por faixas se diferencia da irrigação por 
inundação pelo fato de, na última, aa submersão ocorrer em áreas 
praticamente em nível, enquanto na primeira os diques orientam o 
movimento da lâmina d’água. 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
NETTO, A.; FERNANDEZ, M. F.; ARAUJO, R.; ITO, A. E.. Manual de 
Hidráulica, 8 ed. Editora Edgard Blücher LTDA, 1998.