A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Tec_hidro_Bad (2)

Pré-visualização | Página 1 de 1

Técnicas de 
hidroterapia
Profa. Giovana Sposito
Método dos Anéis de 
BAD RAGAZ
História
 1967 – Criado por 2 fisioterapeutas Davis e Laggart:
 Facilitação Neuromuscular Propioceptiva (FNP)
 Exercícios criados por Knupfer, Alemanha
 1930 spas na cidade Bad Ragaz, Suíça 
 Pacientes com paralisia e limitações articulares
 Exercício de ADM apoiados por pranchas fixas e barras na piscina 
 Knupfer – aprimoramento
 Estabilização e execução dos exercícios
 Realizados na horizontal
 Flutuadores em região: cervical, pélvica, joelhos e tornozelos
 Terapeuta como ponto fixo, pés do paciente 
3
FNP – em Ascenção + Exercícios 
de Knupfer
Bad
Ragaz
Bad Ragaz
4
 Base no FNP
 Alterações do meio aquático
 Presença do terapeuta como ponto de estabilidade
 Paciente sustentado por flutuadores – instável
 Resistência aplicada pela água
 Menor resistência aplicada pelo terapeuta
Bad Ragaz X Kabat
 Resistência Máxima (movimentos coordenados e 
harmônicos controlados pelo paciente)
 Repetição (aprendizagem motora)
 Contatos manuais corretos
 Comandos verbais curtos e precisos
 Iniciação rítmica (passivo progride ativo)
 Irradiação
5
O que é Bad Ragaz?
 Técnica de 
tratamento horizontal
 Técnica de 
tratamento que utiliza 
as propriedades da 
água
6
Objetivos Gerais
 Alongamento
 Relaxamento muscular
 Diminuição de espasmos e hipertonias
 Fortalecimento muscular
 Reeducação muscular
 Estabilidade de tronco
7
A importância do controle do Tronco
 Todas as atividades 
funcionais dependem 
do controle do tronco
 Controle de tronco = 
controle postural
8
Técnica
 Passivo
 O paciente é movido na água (relaxamento)
 Isométrico
 Estabilidade (paciente estático, terapeuta move)
 Isotônico
 Movimento (terapeuta e paciente movem-se)
 Movimento (paciente move, terapeuta estático)
9
10
Progressão do Exercício
 Evolução do paciente – nível de dificuldade
• Aumento de ADM
• Mudança de resistência manual de proximal para distal
• Aumento da velocidade de movimento
• Modificação de braço de alavanca
• Mudança de direção do movimento
• Alternância rápida de movimentos recíprocos
• Uso de flutuadores de resistência
• Diminuição de quantidade de flutuadores de sustentação 
11
Progressão do Exercício
 Descrição da metodologia
• Paciente
 Apoiado por flutuadores
 Cabeça fora da água – audição
 Manter alinhamento postural
12
13
Progressão do Exercício
 Descrição da metodologia
• Terapeuta
 Um para cada paciente
 Profundidade ideal – T8 – T10
 Base aberta
 Quadris e joelhos levemente flexionados
Sapatos de borracha e tornozeleira se necessário 
14
Inclinação Lateral
Contatos: Pélvico e joelho
Passivo, Isométrico e Isotônico 
15
Contato dorsal -
escapulas
Contato - cotovelo
16
Com rotação: passivo, 
isotônico e isométrico 
Extensão e flexão com rotação de tronco 
17
flexão e extensão com rotação de 
tronco
18
Indicações e Precauções
 Indicações
 Pacientes ortopédicos, incluindo pré e pós cirúrgicos
 Pacientes reumatológicos – artrite reumatoide,
osteoartrite, fibromialgia e miosite
 Pacientes neurológicos – AVC, TCE, TRM, Doença de
Parkinson – atenção a resistência da hipertonia
 Síndromes dolorosas
19
 Precauções
 Pacientes com distúrbios vestibulares
 Pacientes com condições agudas de coluna e
extremidades

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.