Estudo-Dirigido-I-gabarito-Simetria-cavidades-e-hábitos-de-vida
4 pág.

Estudo-Dirigido-I-gabarito-Simetria-cavidades-e-hábitos-de-vida


DisciplinaZoologia dos Invertebrados I1.211 materiais30.146 seguidores
Pré-visualização1 página
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
 Centro de Educação e Humanidades
 UERJ/FFP- Faculdade de Formação de Professores 
 Disciplina: Zoologia II
 Docente: Andre Senna
 Monitora: Sara Cocchiarelli
 
Estudo Dirigido I \u2013 Simetria, cavidades e hábitos de vida
1. Quais são os 5 fatores mais importantes para a contribuição na evolução e transição das formas corporais dos animais? Disserte cada um deles e relacione. 
R: Simetria: Chamamos de simetria a superfície capaz de dividir o organismo em partes, sendo que ambas as partes devem coincidir perfeitamente quando sobrepostas. Um animal pode apresentar simetria radial, bilateral ou não apresentar simetria. 
Cavidade corporal: Uma cavidade corporal é qualquer área do corpo de um animal que esteja restrita e parcialmente isolada do resto do corpo.
Tecidos: Animais cujo desenvolvimento embrionário está baseado em tres folhetos ou tecidos embrionários: ectoderma, mesoderma e a endoderma 
(triblásticos).
Desenvolvimento: A ativação do óvulo pela fecundação inicia divisões mitóticas, denominadas clivagem. Os trés tipos mais comuns de clivagem são a clivagem radial (equinodermas e vertebrados), na qual os planos de clivagem são paralelos ou em ângulos retos; clivagem espiral (anelídeos e moluscos), na qual os planos de clivagem são oblíquos ao eixo polar, e a clivagem superficial (artrópodos), na qual ocorrem divisões nucleares mas não citoplasmáticas.
A quantidade e a distribuição do vitelo, que impede a clivagem, afetam bastante o tipo de clivagem. A clivagem frequentemente conduz a um estágio multicelular conhecido como blástula, contendo uma cavidade interior, a blastocele.
Clivagem: Ocorre após a fecundação e é uma série de divisões celulares rápidas sem crescimento, que divide o embrião em um grande número de pequenas células.
- As células resultantes da clivagem são chamadas blastômeros.
- Os blastômeros formam uma esfera chamada blástula.
 Blastulação: formação da blástula- blastômero.
Gastrulação: diferenciação dos folhetos germinativos ( inicia-se na fase
 embrionária).
- Rearranjo das células do embrião.
- Movimento ativo das células no interior do embrião para formar camadas germinativas (ectoderme, endoderme e mesoderme).
- Formação da cavidade interna (arquêntero=intestino primitivo).
Durante a gastrulação serão definidas as camadas germinativas embrionárias:
ECTODERME: formará os tecidos epitélicos superficiais e sistema nervoso.
ENDODERME: formarão epitélio intestinal e derivados.
MESODERME: formará o sangue e a musculatura.
Os embriões com as 3 camadas germinativas são denominados: TRIBLÁSTICOS.
Segmentação: Nesta, ocorrem diversas divisões denominadas clivagens, dando origem a blastômeros. Geralmente, durante as divisões, há a formação de um maciço celular com algumas dezenas de células, denominado mórula. Progressivamente, o número de células aumenta, e há o surgimento de uma cavidade interna denominada blastocele, Nessa fase da segmentação, o embrião é chamado de blástula. Na segmentação, o volume celular continua basicamente o mesmo. 
2. Quais são os tipos de planos de simetria, esquematize cada uma delas e dê exemplos de grupos que a possuem.
R: Simetria Assimetrica: Não apresenta eixo no corpo e não tem plano de simetria. 
Exemplos de grupo: Porifera e placozoa. 
Simetria Simetrica: O arranjo das estruturas do corpo está relacionado ao eixo do corpo. Corpo, quando partido ao meio, em um plano, obtem-se partes semelhantes. 
Podendo ser dividida em: 
Simetria bilateral: É a divisão imaginária que divide o corpo de um animal em duas metades iguais. A divisão forma dois planos perfeitamente simétricos, podendo ser: sagital (direito e esquerdo); coronal (posterior e inferior) ou transversal (dorsal e ventral).
Exemplos de grupo: anelideos.
Simetria radial: Animal confronta o ambiente por vários direções. Estruturas alimentares e sensoriais estão na periferia do corpo, em todas as direções (sistema nervso em plexo).
Exemplos de grupo: Ctenophora 
Simetria radial (cilindro): As partes do corpo são arranjadas em volta de um eixo e as partes são similares, infinitos planos. Quando o organismo tem tubo digestivo, o eixo segue da superfície oral para a aboral. 
Exemplos de grupo: Cnidária \u2013 anemona. 
Simetria penta-radial: Tipo de simetria em que um corpo pode ser dividido em cinco partes, em volta de um eixo central. É um passo evolutivo secundário da bilateralidade. Exemplos de grupos: Echinodermata- estrela do mar. 
3. Porque Cnidária e Ctenophora são considerados grupos pré bilaterais? 
R: Primariamente radiais e diploblásticos, porém, representantes de Anthozoa (Cnidaria) podem possuir 1 (exemplo Actiniaria) ou 2 sifonoglifes (exemplo Octocorallia) \u2013 Sulcos ciliados da faringe que conferem ao pólipo simetria bilateral ou birradial. 
Em cada lado do corpo de muitas especies ( Tentaculata) existe uma bolsa epidérmica ciliada profunda \u2013 a bainha tentacular, de onde partem os tentáculos conferindo simetria birrradial. 
4. Quais as principais sinapomorfias dos bilaterias? Descreva o processo de evolução do grupo.
R: Triploblastia: é uma designação para os animais que apresentam um terceiro folheto embrionário denominado mesoderme que se forma na gastrulação.
Simetria Bilateral: É a divisão imaginária que divide o corpo de um animal em duas metades iguais. A divisão forma dois planos perfeitamente simétricos.
Cefalização: A cefalização é uma tendência evolutiva dos tecidos nervosos de se deslocarem em direção à região cefálica, promovendo a criação de um sistema nervoso central com maior proximidade dos órgãos dos sentidos.
5. Relacione simetria Radial com polarização e quais foram as suas contribuições para a evolução de alguns grupos com simetria bilateral. 
R: A simetria radial conferia aos animais um sistema nervoso difuso, estímulos por todos os lados, logo o ambiente era uniforme ao redor da circunferência do corpo. A simetria raial sustenta polarização corpórea oral-aboral. Animais com simetria bilateral podem ter evoluido de animais com simetria radial que começaram a se locomover ao longo de uma superfície/substrato. 
Polarização do corpo em relação ao gradiente locomotor/ horizontal resultou no eixo ântero-posterior. 
Polarização em relação ao gradiente ambiental/ vertical produziu o eixo dorsoventral. 
 
Resultados: cefalização, locomoção direcional, centralização do sistema nervoso, especialização da musculatura. 
6. Qual a importância dos eixos anterior, dorsal e ventral nos animais? 
R: Anterior: cefalização, concentração de órgãos sensoriais e gânglios, região exploratória. 
Dorsal: proteção
Ventral: locomotora, adesiva, alimentação. 
7. Defina animais biláterios sésseis e de exemplos de grupos: 
R: Suspensivoros, filtradores.
Cefalização não é evidente.
Assumem simetria radial secundária ou superficial.
Aparato alimentar normalmente inclui uma coroa de tentàculos com epitelio ciliar (homoplástico).
Exemplo: Phoronida, Polychaeta e Bryozoa.
8. Defina simetria bilateral (eixos, mobilidade, cefalização, estruturas sensoriais e alimentares ).
R: As partes do corpo são orientadas sobre um eixo que passa da Região anterior (frontal) até a posterior; O eixo passa em um único plano sagital, separando lados direito e Esquerdo. Animais com mobilidade controlada, em que a parte anterior do
corpo confronta primeiro o ambiente; Cefalização e estruturas sensoriais e alimentares dispostas na Região anterior.
9. De acordo com as propostas filogenéticas apresentadas em aula, os Acoelomorpha estariam posicionados onde em relação á evolução dos bilateria e com base em quais caracteristicas? 
R: Diversos estudos filogeneticos apontam Acoelomorpha como grupo basal de animais bilaterais, apesar de outros apontarem este filo como intermediário entre porífera e Eumetazoa. Isto porque são animais que possuem células monociliadas do epitélio inferior que se assemelham a células com colarinho. Colarinho reduzidos a microvilosidades, abandono de alimentação por filtração, alimentação extracorporea.