A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Sistema nervoso - Neurofisiologia I/II

Pré-visualização | Página 1 de 1

 Sistema primordial do corpo
 Controla todos os sistemas do corpo
 Ligam-se e formam uma rede de
comunicações
Funções
 Detectar, transmitir, analisar e utilizar
informações geradas pelos estímulos
sensoriais
 Organizar e coordenar quase todas as
funções do organismo
 Funções endócrinas
 Funções viscerais
 Funções motoras
 Funções psíquicas
Divisão anatômica do SN
 Sistema Nervoso Central (SNC) - encéfalo
e medula espinal
 Protegidos pelo esqueleto axial e
pelas meninges
 Nem tudo que está no interior do
esqueleto axial é SNC
 Sistema Nervoso Periférico (SNP) - nervos,
gânglios e terminações nervosas
 Envia informações para o SNC
 Nervos ligados ao encéfalo: nervos
cranianos
 Nervos ligados a medula: nervos
espinais
Divisão funcional do SNP
 Somático: relaciona o indivíduo com o
meio
 Aferente: entrada de impulsos com
informações nervosas para o sistema
central oriundo do meio
 Eferente: leva o comando dos
centros nervosos para os músculos
esqueléticos
 Visceral: se relaciona com o controle das
vísceras
 Aferente: entrada de impulsos com
informações nervosas oriundas de viscero
receptores
 Eferente: leva o comando dos
centros nervosos para as vísceras como:
músculos lisos, glândulas, músculo cardíaco
Obs. Eferente da função visceral pode ser
chamado de sistema nervoso autônomo
Componentes do SN
 O SN é composto basicamente por
neurônios e as células da glia
Neurônios
 Célula condutora e excitável
 Potencial de ação
 Tecido nervoso
 Transmissão de impulsos nervosos
 Diariamente novos neurônios são formados
 Precisa ser convencido para passar a
informação a diante – princípio do tudo ou
nada
 Divididos em: dendritos, corpo celular e
axônio
 Dendritos
 Composto por celular epiteliais
sensoriais
 “Antenas” dos neurônios
 Receptores de estímulos
 Espinhas dendritas
 Corpo
 Recepção de estímulos
 Axônio
 Condução de estímulos
 Proeminência axonal
 Terminação axonal
 Bainha de mielina
 Revestido por neuroglias
 Axônio sem ou com ramificações
 Classificação dos neurônios
 Classificação morfológica
 Classificação segundo a função
 Classificação morfológica
 Pseudounipolar: apenas um
prolongamento que parte do corpo - Um
dos ramos assume o papel de dendrito e o
outro de axônio  neurônios sensoriais
 Unipolar: possuem apenas um
axônio
 Bipolar: dois ramos saem do corpo
de cada extremidade – Núcleo no meio e
somente um axônio  retina, bulbo
olfatório, nervo auditivo
 Multipolar: Possuem mais de dois
prolongamentos celulares. – A maioria dos
neurônios de nosso corpo é classificada
como esse tipo  neurônios motores
 Classificação segundo a função
 Motores: controlam órgãos efetores,
como glândulas exócrinas e endócrinas e
fibras musculares
 Sensoriais/sensitivos: recebem
estímulos sensoriais do meio e do próprio
organismo
 Associativo: estabelece conexões
entre outros neurônios, formando circuitos
complexos
Neuroglias
 Glia = “cola”
 Ajudam a isolar, apoiar e nutrir os
neurônios
 Astrocitos
 Parecem estrelas
 Encontram-se no SNC
 Vários prolongamentos
 Sustentação
 Isolamento
 Regulação do conteúdo químico
 Remoção de neurotransmissores
 Formação de pés vasculares
 Sitio de armazenamento de
glicogênio
 Oligodendrócitos
 Encontrem-se no SNC
 São menores que as anteriores e
com menos prolongamentos
 Divididas de acordo com sua
localização
 Produzem a bainha de mielina
 Micróglias
 Função similar à dos glóbulos
brancos na corrente sanguínea
 Fazem a vigilância ativa do tecido
cerebral e da medula
 Papel nas respostas imunológicas do
sistema nervoso
 Células ependimárias
 Cuboides ou colunares
 Revestem os ventrículos cerebrais e
o canal central da medula espinal
 Células de Schawnn
 Encontram-se no SNP
 Mesma função que os
oligodendrócitos
Sinapse
 É a conexão funcional entre um neurônio
e uma segunda célula
 SNC – essa segunda célula pode
ser ouro neurônio
 SNP - essa segunda célula pode ser
tanto um neurônio como uma célula
efetora de um musculo ou de uma
glândula
 Conexões entre os neurônios:
 Axodendritica (axônio e dendritos)
 Axossomatica (axônio e corpo
celular)
 Axoaxonica (axônio e axônio)
 O disparo de um potencial de ação em um
neurônio - o pré-sináptico - gera a
transmissão de um sinal para outro
neurônio - o pós-sináptico
 Sinapses elétricas e sinapses químicas
Sinapse elétrica
 Conexão física (junções comunicantes)
 Ocorrem principalmente em alguns
músculos lisos, músculo cardíaco e no
cérebro
 Permitem a excitação e a contração
rítmica
 Transmissão bidirecional
 Rápida
 Movimento livre de íons
 Aumento da sensibilidade neural
Sinapse química
 Maioria das sinapses
 Unidirecional
 Fenda sináptica: espaço entre as células
pré-sinápticas e as pós-sinápticas
 Liberação de neurotransmissores químicos
dos terminais axônicos pré-sinápticos
 Vesículas sinápticas: “bolsas” onde estão
contidos os neurotransmissores
1. Potenciais de ação chegam ao terminal
axônico, abrindo canais de Ca2+
dependentes de voltagem
2. Ocorre a difusão do Ca2+ para o interior
3. Fusão rápida das vesículas sinápticas com
a membrana axônica
4. Liberação dos neurotransmissores pela
exocitose
5. Moléculas de neurotransmissores se
difundem através da fenda sináptica e
atingem a membrana da célula pós-
sináptica
6. Se ligam a receptores específicos
 Proteínas receptoras de
neurotransmissores
 Receptor Ionotrópico: o
neurotransmissor abre o canal iônio
diretamente por ligante (efeito rápido)
 Receptor Metabotrópico: o
neurotransmissor abre o canal iônico
indiretamente – presença de 2°
mensageiro para modificar a excitabilidade
do neurônio pós-sináptico (mais demorado)
 Quando os canais iônicos se abrem ou se
fecha na presença de neurotransmissores
pode surgir mudanças localizadas no
potencial de membrana da célula receptora
 PEPS e PIPS
 Potencial excitatório pós-sináptico – PEPS
 Torna a célula mais propensa a
dispara seu próximo potencial de ação
 Interior da célula fica mais positivo –
despolarizante
 As vezes um único PEPS não é
grande o suficiente para trazer o neurônio
ao limite, mas pode se somar a outros
PEPS
 Entrada de Na+ e de Ca2+
 Potencial inibitório pós sináptico - PIPS
 Torna a célula menos propensa a
disparar um potencial de ação
 Interior da célula fica mais
negativo – hiperpolarização
 Impede o potencial de ação
 Podem neutralizar ou anular o efeito
excitatório dos PEPSs
Substancias químicas que atuam como
transmissores sinápticos
 Ácido gama-aminobutírico – GABA
 Regula a agitação cerebral por
meio da inibição do disparo excessivo dos
neurônios
 Sensação de calma
 Medicamentos anticonvulsivantes:
potencializa a ação do GABA – bloqueando
os canais de Na+ e de Ca2+
 Diazepam: efeito sedativo –
aumenta a inibição mediada pelo GABA
 Ingestão aguda de álcool:
potencializa a ação do GABA
 Dopamina
 Atua no controle motor fino
 Mal de Parkison: baixa produção de
dopamina
 Esquizofrenia: excesso de dopamina
 Ritalina, anfetaminas e cocaína:
aumento da concentração de dopamina
 Serotonina
 Auxilia no controle do humor
 Ação inibitória
 Age como inibidor das vias da dor
na medula espinhal
 Constrição de vasos sanguíneos
 Sono, humor, cognição, percepção
sensitiva, atividade motora, comportamento
sexual e secreção hormonal
 Acetilcolina
 Controla a atividade de áreas
cerebrais relacionadas à atenção,
aprendizagem e memória
 Contração muscular
 Doença de Alzheimer: baixos níveis
de acetilcolina no córtex cerebral
 Botox: bloqueia a liberação de
acetilcolina dos terminais pré-sinápticos,
causando bloqueio total da transmissão
neuromuscular, que paralisa o musculo
esquelético