A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Bioquímica Revisão[1652]

Pré-visualização | Página 1 de 1

Bioquímica Revisão
Definições:
Metabolismo: somatória das reações químicas.
· Catabolismo: Quebra de moléculas grandes para a produção de energia (reações degenerativas);
· Anabolismo: utiliza da energia gerada para a produção de moléculas grandes (reações regenerativas);
Enzimas (proteína): viabiliza a atividade das células, quebrando moléculas ou juntando-as para formar novos compostos – Especifica para cada reação (chave-fechadura).
· As enzimas aceleram a velocidade da reação por diminuírem sua energia de ativação.
Inibidor: impede a reação da enzima, impedindo que determinados processos se concretizem.
Cofator: moléculas inorgânicas que auxiliam a enzima na hidrólise dos macronutrientes para obtenção de sua unidade fundamental (potencializa a reação da enzima);
Coenzima: atua no transporte dos produtos da reação enzimática (transporte de enzima).
Sinalizadores: Células enviam sinais umas às outras mediante centenas de tipos de moléculas extracelulares:
· GLUT4: transporte de glicose (depende da insulina para sua ativação)
· Hormônio 
· Célula-Célula
Carboidratos 
· Os carboidratos são substâncias que por hidrólise liberam aldeídos e cetonas (Carbonilas):
· Formula química do carboidrato na ponta da cadeia é um Aldeído;
· Formula química do carboidrato no meio da cadeia é uma Cetona.
· Fornecimento de uma fração significativa de energia na dieta da maioria dos organismos (uma forma de depósito de energia no corpo);
· Atua como componente da membrana celular e intermedia algumas formas de comunicação.
Digestão e absorção
· Os carboidratos são digeridos na boca e intestino delgado;
· São absorvidos pela mucosa intestinal.
Armazenamento
· No fígado o carboidrato é metabolizado até a formação da glicose;
· Para algumas células e órgãos, como hemácias e cérebro, a glicose é imprescindível, por ser o único substrato a partir do qual podem sintetizar ATP;
· A glicose pode ser armazenada em forma de glicogênio no:
· Músculo: que utiliza a reserva de glicose para manter suas próprias funções,
· Fígado: que utiliza a reserva de glicose para manter os níveis de glicemia da corrente sanguínea estáveis.
Glucagon: atua na quebra da glicose para sua liberação na corrente sanguínea;
Insulina: hormônio que facilita a entrada de glicose na célula pois ativa o GLUT4.
Via Glicolítica 
· Insulina está dentro da célula e precisa ser degradada!
Glicólise: Ocorre no citoplasma da célula. Consiste na transformação de uma molécula de glicose em 2 de PIRUVATO, tendo 1 NAD E 2 ATP’s a nível de substrato (gerada de forma espontânea);
Glicólise aeróbia (com participação de oxigênio): A NAD entrega o hidrogênio para a fosforilação oxidativa;
· O PIRUVATO sofre desidrogenação (perca de molécula de hidrogênio) e é transformado em Acetilcoa.
Glicólise anaeróbica (sem participação de oxigênio): A NAD entrega o hidrogênio para o PIRUVATO, que é transformado em lactato. 
Fosforilação Oxidativa
Ciclo de Krebs
· Acetilcoa dá início ao Ciclo de Krebs, que ocorre nas cristas mitocondriais;
· No ciclo é produzido diversos elementos com grande potencial energético (NAD E FAD).
Cadeia transportadora de elétrons 
· As NAD e FADH2 levam o hidrogênio para a membrana interna da mitocôndria onde ele é hidrolisado (quebrado) liberando muita energia;
· O NADH doará seus elétrons para um complexo proteico chamado de complexo I, enquanto o FADH2 doará seus elétrons para o complexo II;
· O elétron passa pela cadeia perdendo calor, o produto é água;
· O próton é bombeado através da energia fornecida pela a NAD e FADH2 para o espaço entremembranas da mitocôndria deixando o meio ácido;
· O próton espontaneamente (osmose) entra na matriz mitocondrial, onde a enzima ATPase une os elementos e forma ATP.
Via da Pentose
· Consiste em um desvio da glicose;
· Só ocorre o desvio se os níveis de glicose no organismo estiverem estáveis;
· Carga energética baixa: glicose é degradada na via glicolítica (para fornecer energia mais rápido para o organismo);
· Carga energética alta: via glicolítica fica inibida;
· Nesse desvio é formado:
· Ribose: participa da formação de ATP;
· Forma-se o NADPH:
· Participa de ações antioxidativas,
· Favorece as reações fundamentais para as células se estabelecer.
· Síntese de gordura;
· Citocromo P-450: detoxificação – Torna substancias toxicas em solúveis facilitando sua excreção via renal.
Gliconeogênese
· Formação de glicose a partir de percussores piruvato, lactato, glicerol (o organismo produz a própria glicose);
· Para produzir glicose o organismo gasta muita energia.
· O organismo pode utilizar dois ciclos para produzir glicose:
· Ciclo de Cori: Produção de glicose a partir do Lactato (que é produto da glicólise anaeróbica);
· Ciclo da Alanina: produção de energia a partir da ação da enzima alanina.