A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Tema02_conceitos_basicos_de_financas

Pré-visualização | Página 1 de 5

1 / 27 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
OBJETIVOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 / 27 
 
APRESENTAÇÃO 
O físico Neil deGrasse Tyson tem um comentário muito interessante sobre Matemática. 
Ele diz que: 
 
Essa é a única matéria em que as pessoas se divertem 
ao falar que não entendem ou não sabem quase nada. 
Sempre que alguém pergunta qual era a matéria mais 
difícil da escola, nove entre dez pessoas respondem 
Matemática (e ainda soltam uma leve gargalhada 
depois de responder). 
 
 
Apesar deste tema não ser de Matemática, nem ter nenhuma conta, ainda assim a 
palavra finanças carrega o medo que a maioria das pessoas tem de Matemática e acaba 
criando uma reputação ruim, o que é muito difícil de ser evitado. No entanto, veremos que 
estudar Finanças é fácil e importante para todos, seja um administrador, seja um dentista, 
seja um professor, seja um artista, seja uma dona de casa, pois todos nós devemos 
entender, pelo menos, o mínimo sobre Finanças para administrarmos nossas contas de 
casa, decidir se vale a pena ou não comprar algo ou onde investir nosso dinheiro. 
Neste tema, apresentaremos importantes conceitos básicos em Finanças, que o ajudarão 
a entender como aplicar o dinheiro para gerar mais riqueza (e, quem sabe, viver apenas de 
renda no futuro). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Neil deGrasse Tyson 
Fonte: wikipedia 
3 / 27 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CONCEITOS E TIPOS DE RECEITAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Agora que entendemos o que é uma receita, é importante saber que ela pode ser 
caracterizada de diferentes formas. Veja a seguir. 
 
 
VENDER UM PRODUTO 
Quando uma padaria vende um pão, 
quando uma pessoa vende os bolos 
que fez, quando recebe a oportunidade 
de comprar agora e pagar depois etc. 
 
PRESTAR ALGUM SERVIÇO 
Quando alguém ganha por maquiar 
uma noiva, quando um salão de beleza 
recebe o pagamento de uma cliente, 
quando usa um serviço de aplicativo e 
só paga por ele na fatura do cartão de 
crédito no final do mês etc. 
Fonte: Shutterstock 
4 / 27 
 
Classificação da receita 
Receita principal (primária) 
 
 
 
 
 
 
 
 
Essa forma de receita se refere ao dinheiro que uma organização recebe por sua 
atividade-fim. Se perguntassem a você o que uma hamburgueria faz, muito 
provavelmente você responderia algo como “vende hambúrguer”. 
Então, podemos dizer que o dinheiro que entra da venda de hambúrgueres, batatas 
fritas e refrigerantes é a receita principal ou primária de uma hamburgueria, pois essa é 
a sua atividade-fim. 
 
Receita secundária 
 
Podemos entender a receita secundária como um produto ou serviço que a organização 
vende ou presta, mas que é diferente da receita principal. 
Imagine que a venda de ração de cachorro é a atividade-fim de uma organização, com 
90% de sua receita. Como já aprendemos, a venda de ração de cachorro é a receita 
principal (ou receita primária) da organização. No entanto, a organização imaginária 
também promove exposição de cães de raça e ganha um dinheiro extra com a inscrição 
dos donos para esses eventos. Sendo assim, 10% da receita da empresa correspondem 
à organização de eventos de cães. 
Então, o dinheiro proveniente desse negócio é chamado de receita secundária. 
 
 
 
 
Fonte: Shutterstock 
Fonte: Shutterstock 
5 / 27 
 
 
Atenção 
É importante, no entanto, não confundir receita primária com receita secundária por 
causa do produto (ou serviço) que gera mais dinheiro para a empresa. Se uma empresa 
produz lápis e canetas, mas ela é mais famosa por suas canetas, não significa que a 
receita pela venda de canetas seja sua receita principal e a venda de lápis, sua receita 
secundária, pois a proposta da empresa é vender os dois produtos, mesmo que um 
deles seja mais requisitado do que o outro. 
 
 
Então, o que diferencia receita primária da receita secundária? 
É basicamente o produto ou serviço que a empresa busca realmente vender ou prestar 
(receita principal) e o produto ou serviço que a empresa faz para “ganhar um extra”. 
 
Receitas financeiras 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Agora que sabemos que existe receita principal e receita secundária, podemos entender 
o que são receitas financeiras. Você concorda que, após a hamburgueria receber o 
dinheiro de um mês inteiro pela venda de hambúrgueres (e pagar seus funcionários), ela 
fica com bastante dinheiro em caixa*? 
*Caixa: É a denominação que usamos em finanças para o local em que são registrados 
os valores de recursos imediatamente disponíveis para serem utilizados; é o dinheiro 
que fica livre e disponível para a utilização que for necessária). 
Uma hamburgueria pode, com esse dinheiro, fazer várias coisas: comprar mais 
maquinário, contratar mais funcionários e investir na bolsa de valores. 
Sim! Uma empresa de hambúrguer pode aplicar na bolsa de valores, emprestar para 
outras empresas e até mesmo comprar ações. Assim, chamamos de receita financeira 
todo dinheiro que entra na empresa proveniente de juros de receita financeira (a não 
ser que a empresa do exemplo em questão seja um banco). 
 
Fonte: Shutterstock 
6 / 27 
 
Para que não restem dúvidas, precisamos pensar que a atividade-fim varia de 
organização para organização, ou seja, precisamos sempre analisar a atividade em si 
para entendermos a aplicação desses conceitos. 
 
 
Receita principal (primária) 
 
 
Uma empresa, normalmente, tem alguns computadores, às vezes, um carro e, em raras 
situações, um prédio. Todas essas coisas são usadas para que a empresa, por 
intermédio de seus colaboradores, funcione. 
No entanto, se a empresa decidir comprar computadores mais modernos e deixar de 
usar os antigos, ou se a empresa decidir se mudar de uma cidade para outra e vender o 
prédio que possui, o tipo de dinheiro gerado pela venda de algo que era usado pela 
empresa não se enquadra em receita principal, nem em receita secundária, muito 
menos em receita financeira. 
Então, como classificar essas receitas extraordinárias? 
Para esse tipo de receita, foi criado, então, o conceito de receitas não operacionais. 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: Shutterstock 
7 / 27 
 
CONCEITOS E TIPOS DE DESPESAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Despesa é tudo o que se refere à saída de dinheiro da organização na 
compra de produtos ou serviços que não estão diretamente ligados à 
produção do produto final. 
 
 
 
No entanto, caso o gerente tenha comprado o ar-condicionado para deixar o pessoal do 
administrativo motivado para trabalhar mais, essa compra foi uma despesa. 
Conseguem enxergar a diferença? 
A satisfação dos colaboradores contribui para o funcionamento da empresa, mas não é 
essencial no processo de produção do plástico. Por esse simples motivo, a compra deve 
ser considerada uma despesa. Dessa forma, podemos dizer que custo é toda saída de 
dinheiro referente à produção do bem ou à prestação de serviço. 
 
Fonte: Shutterstock 
8 / 27 
 
Despesa, entretanto, é toda saída de dinheiro que não está diretamente 
ligada à produção do bem ou à prestação de serviço. 
 
PRINCIPAIS TIPOS DE DESPESAS 
Assim como as receitas, as despesas também podem ser classificadas. Em alguns casos, 
podemos fazer isso de maneira mais intuitiva, como nas organizações e em nossos 
controles pessoais de gastos. 
Para aglutinar tipos de despesas parecidos, podemos ter os seguintes exemplos: 
• Salários das áreas administrativas e comerciais. 
• FGTS, INSS e outras despesas relacionadas aos salários. 
• Gastos com telefonia, Internet, energia elétrica, água e demais 
contas de pagamento mensal. 
• Comissões sobre as vendas realizadas. 
• Aluguéis de instalações (prédios, veículos, equipamentos, 
computadores e outros bens móveis e imóveis). 
• Impostos, juros bancários, multas e taxas diversas. 
• Material de escritório. 
• Serviços e material de limpeza. 
• Passagens, gastos com transporte e alimentação em 
deslocamentos. 
Há inúmeros tipos de despesas, dependendo do

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.