A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
RESUMO DSV-AP2

Pré-visualização | Página 3 de 6

fósseis de animais 
complexos anterior ao cambriano, mas como eles não tinham esqueleto, 
apenas no Lagerstatte podiam ser encontrados os seus fósseis. 
A explosão do Cambriano marca o surgimento do esqueleto. O esqueleto duro 
traz vantagens de locomoção e proteção. 
Essa fauna ficou conhecida como Ediacariana e o período em que ela ocorre é 
o Ediacariano. 
Simetria bilateral já pode ser encontrada na fauna dessa época. 
Esses últimos 600mlh de anos são conhecidos como a época da diversificação 
dos eucariontes. 
Faunas do edicariano e cambriano são muito diferentes , provavelmente 
ocorreu algum evento de extinção entre esses dois períodos. 
Há épocas em que percebe-se uma maior diversificação, ou seja, existem mais 
linhagens se especiando do que se extinguindo. Essas épocas são chamadas 
de período de diversificação. Em outras épocas percebemos mais espécies se 
extinguindo do que se especiando. Essas épocas são chamadas de grandes 
extinções. 
Quem sobrevive a um evento de extinção terá muitas vantagens, pois terão 
poucos competidores e muitos alimentos. 
Logo após um evento de extinção segue um evento de diversificação, qto maior 
o evento de extinção, maior será a diversificação. 
Depois da grande extinção dos dinossauros, começa a aparecer registros 
fósseis de uma grande diversidade de mamíferos e aves. Os mamíferos não 
surgiram depois da extinção dos dinossauros, eles surgiram há 200mlh de anos 
atrás. A extinção dos dinossauros se deu há 65mlh de anos atrás. 
Nessas épocas de mudanças drásticas não era vantagem se reproduzir 
assexuadamente. Em tais épocas os organismos sexuados se multiplicavam 
enquanto os assexuados eram extintos. Isso explica a maior parte das 
espécies serem sexuadas hj em dia. 
Final do Proterozóico 
Eucariontes divididos em dois grupos: 
OPISTOKONTES – Um único flagelo A diferença entre eles está no nº de 
BIKONTES – Dois flagelos flagelos. 
 
Todos os eucariontes unicelulares são chamados de protistas. Os protistas 
não têm um único ancestral comum exclusivo deles. Não é aceito na 
sistemática filogenética que nomeia apenas ramos inteiros dessa árvore. 
Nenhuma característica é exclusiva de protistas, porque o último ancestral 
comum dos protistas deu origem a animais, fungos e plantas também. 
Cambriano, início do Fanerozóico. 
A diversidade desse período é mto maior tanto em numero de espécies quanto 
em tamanho. As vantagens de locomoção e proteção adquiridas pelo esqueleto 
é uma das causas dessa diversidade. 
O hábito de enterrar-se pode ter surgido nessa época. Isso era feito para que o 
organismo se escondesse dos predadores. 
Metameria – Sequência de segmentos repetidos ao longo do corpo, a repetição 
não acontece apenas externamente, mas internamente também. A vantagem 
disso é que um organismo metamétrico consegue crescer sem muitas 
mutações, pois o segmento ancestral é simplesmente repetido nos 
descendentes aumentando facilmente o organismo metamétrico. Essa 
característica pode também ter impulssionado a diversidade no cambriano. 
Aparecimento de guelras nos animais marinhos, aparecimento de proteínas 
carreadoras de oxigênio pelo sangue. Obtenção e uso eficiente do oxigênio na 
respiração celular. 
O restante do Paleozóico 
Diferença marcante na biota no início e no final do paleozoico. Registro fóssil 
mostra claramente as mudanças evolutivas que ocorreram na biota. Evidências 
da origem(Cambriano), da diversificação(cambriano e devoniano) e da extinção 
dos Trilobitas(Permiano). 
Não tinham vasos e todas as trocas ocorriam de célula p/ célula como as 
BIRÓFITAS hj em dia. Por isso essas plantas são sempre pequenas. 
As primeiras plantas com vasos, as TRAQUEÓFITAS, formaram as primeiras 
florestas da história da vida na Terra. Eram florestas de PTERIDÓFITAS 
samambaias gigantes 
Ordovociano – Surgem os primeiros vertebrados, em seguida os primeiros 
tetrápodos(anfíbios) que invadiram o ambiente terrestre no Devoniano, 
diversificando no carbonífero. Esse grupo se diversificou rapidamente dando 
origem aos répteis no carbonífero, isso aconteceu com o advento do ovo 
aminiótico. Estes organismos não tinham necessidade de jogar seus ovos na 
água, pois os mesmos tinham a casca duradura sendo resisitentes à perda de 
água. Tal adaptação aumentou a as chances dos répteis que começaram a se 
diversificar no Permiano. 
Répteis mamaliformes – são répteis ancestrais que apresentam características 
transitórias entre o grupo dos répteis atuais e o grupo dos mamíferos atuais, 
como os dentes diferenciados, característica dos mamíferos. 
Final do Permiano – Maior de todos os eventos de extinção. Continentes juntos 
Pangeia, oceanos reduzidos, área de deserto ampliada. Trilobitas e escorpiões 
marinhos desapareceram. 
O Mesozóico 
Pangeia começa a quebrar. Os megacontinentes Gondwana e Laurasia se 
isolaram um do outro contribuindo para a diversificação da biota dessa época. 
Algumas linhagens de répteis sobreviveram à extinção do permiano. O domínio 
do ambiente marinho e terrestre foi rápido, por isso o Mesozóico é conhecido 
como idade dos répteis. 
Dois grupos de répteis se destacaram: 
MAMALIFORMES: Dentes diferenciados e buraco no crânio, ambas as 
características são adaptações. 
No segundo grupo alguns de seus membros começaram a andar em duas 
patas. No jurássico esse grupo deu origem aas aves, sendo o Archeopterix 
considerado como a primeira ave, pois suas penas são assimétricas. Penas 
assimétricas dão maior eficiência ao voo, pois sofrem menor resistência do ar, 
adaptação importante para quem voa. A presença de dentes no Archeopterix é 
evidência que o voo apareceu antes do desaparecimento dos dentes nas aves. 
O Cenozóico 
A transição da era Mesozóica para a cenozoica foi marcada por outro grande 
evento de extinção em massa. Há evidências deque tenha sido um enorme 
asteroide que caiu na Terra e extinguiu as espécies de grande porte e a 
maioria dos organismos com mais de 25kg. 
Aves e mamíferos não foram totalmente extintos e e iniciaram um processo de 
diversificação, as aves no ar e os mamíferos na terra e no mar. 
O termo diversificação implica no fato de que novas espécies surgiram numa 
diversidade de formas, hábitos e de fisiologias em relação a seus ancestrais, o 
que chamamos de RADIAÇÃO ADAPTATIVA. O Cenozóico foi o período de 
radiação adaptativa dos mamíferos e aves. O Cenozóico é considerado como a 
idade dos mamíferos e aves. 
Origem dos primatas 
Adaptações à vida nas árvores. Nossos ancestrais foram os 1º a habitarem 
esse tipo de ambiente. Pelo hábito arborícola, na maioria dos primatas o dedão 
da mão é opositor. A diversificação dos mamíferos está relacionada à vida nas 
árvores. 
 
 
 
 
 
 
Aula 13 
Evolução Humana 
Nós e os macacos atuais descendemos de um macaco ancestral. O macaco 
que deu origem às linhagens de chimpanzés e humanos era tão diferente de 
humanos, como de chimpanzés. Pela sistemática filogenética temos duas 
possibilidades, a primeira é incluir os humanos dentro da diversidade incluída 
na palavra macaco, a segunda é abolir o termo macaco. 
Para entendermos a evolução humana temos que olhar o registro fóssil 
humano, e são muitos. Houve épocas que achávamos que a evolução se 
procedia de forma linear. Para os pesquisadores uma espécie evoluía em 
outra descendente e este descendente evoluiria em uma nova descendente, 
todas enfileiradas em uma enorme e gigante linhagem, daí o termo evolução 
linear. 
Entretanto não foi isso que Darwin disse, ele falava claramente na genealogia, 
que hoje chamamos de filogenia. Nesse sentido uma espécie ancestral