A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
RESUMO DSV-AP2

Pré-visualização | Página 5 de 6

mais modernas do que 
estamos acostumados a encontrar em ancestrais com esse tamanho de 
crânio. Esse registro de tempo é anterior à chegada do Homo sapiens, 
não há como eles terem copiado as ferramentas deles. 
 Outros fósseis mais recentes indicam que os Hobbits pode ter chegado 
há mais tempo, há cerca de 700mil anos atrás e talvez sejam os últimos 
sobreviventes da linhagem Homo erectus(crânio 1000cm3) que migrou 
para a Ásia e se extinguiu há 50 mil anos. 
 
Muitas espécies de Homo: os Neandertais. 
Os Homo neanderthalensis tinham um cérebro grande, viviam em 
cavernas e eram caçadores de sucesso que viveram na Europa e na 
Eurásia. Seus registros fósseis datam de 100 mil anos e o seu 
desaparecimento data de 25 mil anos atrás. Os Neandertais tinham um 
nariz longo e fino, que é uma característica exclusiva da espécie. Esse 
formato apresenta uma adaptação ao clima frio europeu,isso é uma 
característica vantajosa, pois ele diminui a quantidade de ar inalada que 
deve ser aquecida, por outro lado o comprimento longo do nariz facilita o 
aquecimento do ar frio antes dele entrar em contato com o interior do 
corpo. Outro ponto interessante sobre essa espécie é que alguns foram 
enterrados com seus objetos. 
Cientistas conseguiram extrair o DNA e sequenciar o genoma 
mitocondrial Neandertal. Nesse trabalho os cientistas mostraram que os 
neandertais e os sapiens tem um ancestral comum que viveu há cerca de 
600mil. Esse ancestral é denominado Homo heidelbergensis, já tinha 
cérebro grande, pois sapiens e Neandertais compartilham essa 
característica. Então parte de heidelbergensis que já tinha adquirido esta 
e outras características comuns migrou saindo da África e, fora desse 
continente, se separou em Neandertais(Europa) e denisovans(Ásia). 
Outro grupo de heidelbergensis ficou na África e continuou acumulando 
adaptações ao clima quente, e se tornou o que chamamos de Homo 
sapiens. 
A espécie sapiens se espalhou por toodo o mundo, como seu ancestral 
Homo erectus já tinha feito há mais de um mlh de anos atrás.O 
sequenciamento do genoma nuclear de neamdertalensis conseguiu 
detalhar como aconteceu a dispersão de Homo sapiens, analisando o 
genoma do Neandertal, Svante Pääbo e seus colegas descobriram que, 
apesar da árvore filogenética mostrar o Homo sapiens junto como um 
grupo irmão dos Neandertais, um detalhe mudava tudo. A equipe 
mostrou que os Neandertais têm mais em comum com os sapiens não 
africanos, do que com sapiens africanos. Eles concluíram que sapiens, 
ao sair da África, se encontrou com neandertais e houve algum 
cruzamento entre os dois grupos, mas não uma mistura total. 
 
Muitas espécies de Homo: os sapiens 
Em nossa história recente já tivemos uma lista enorme de características 
exclusivas de humanos: o uso e fabricação de ferramentas, a capacidade 
de resolver problemas, uso do fogo, a cultura, a linguagem etc. 
Entretanto quando começamos a estudar outras espécies com mais 
detalhes, percebemos que a lista de características exclusivas humanas 
vai encolhendo cada vez mais. Por exemplo, quando comparamos os 
genomas de Homo sapiens e Homo neanderthalensis, a porcentagem de 
diferença é de apenas 0,16%. Dessa forma não é de se estranhar que a 
morfologia entre eles seja ao semelhante, ao ponto de já terem sido 
considerados como uma única espécie. Os neandertais são mais 
robustos, mais baixinhos, e têm cérebro um pouco maior. Outras 
diferenças estão na estrutura interna do nariz e a presença de queixo 
protuberante em Homo sapiens os distinguem de neanderthalensis. Aliás 
essa é uma característica exclusiva humana: a presença desse queixo 
protuberante. Apesar das semelhanças morfológicas, quando analisamos 
costumes das duas espécies as diferenças são mais marcantes. Por 
exemplo, Homo sapiens exercia seus dotes de pinturas nas cavernas por 
onde morava, apresentavam adereços como colares e objetos sem 
nenhuma utilidade a não ser ornamental. Esculturas misturando partes 
humanas e de animais e flautas são encontradas em sítios arqueológicos 
de homo sapiens há 60 e há 40 mil anos respectivamente, o que 
sugerem uma nova dimensão de pensamento complexo. 
Por outro lado, os homo neanderthalensis enterravam seus mortos, como 
sapiens, mas tinham as paredes das cavernas limpas, sem pinturas, 
sítios sem objetos ornamentais, pelo menos na grande maioria das 
vezes. Isso tem um significado importante sobre a comunicação das 
duas espécies, como não temos nenhum meio de saber se Lucy, homo 
erectus ou qualquer outra espécie ancestral falava ou não, o fato dos 
neandertais não pintarem em cavernas, certamente já indica uma menor 
tendência para a comunicação do grupo. 
Uma segunda diferença marcante entre neandertais e humanos é o fato 
de que neandertais usavam utensílios construídos com material que 
havia nas cercanias das cavernas que habitavam. Isso significa que não 
havia uma rede de comunicação e troca entre grupos neandertais, na 
verdade estudos mostraram que muitos dos utensílios de 
neanderthalensis foram copiados ou trocados com grupos de sapiens. 
Em Homo sapiens não era assim. Foram encontrados sítios 
arqueológicos de Homo sapiens com utensílios cujas reservas do 
material usado para fazê-los estava há milhares de quilômetros, ou seja, 
claramente existia uma rede de troca e de comunicação em sapiens. 
 
As revoluções: 
O historiador Yuval Harari sugere que houve quartro grandes revoluções 
em sapiens que determinaram o domínio sobre o planeta e a mudança 
radical do modo de vida. 
 A 1ª grande revolução foi a cognitiva, há 60 mil anos atrás – A 
saída de sapiens da África não deve ter sido simples para os 
neandertais, os denisovans e para os floresiensis. Não há como 
descartar a possibilidade de que a causa da extinção dessas 
espécies de Homo se deu pela saída do sapiens da África. Afinal 
estávamos todos competindo pelas mesmas cavernas, pelos 
mesmos matérias para fazer ferramentas, pelos mesmos 
alimentos. A megafauna mundial também sofreu consequências de 
nossa expansão. Os maiores mamíferos das Américas e da 
Austrália se extinguiram depois da chegada de Homo sapiens 
naquelas terras. 
 Há 12 mil anos atrás outra revolução estava prestes a acontecer 
quando conseguimos “fabricar” comida plantando sementes e 
colhendo seus frutos. Comida ficou mais fácil de se conseguir era 
só esperar. Além disso mudamos o nosso hábito de caçadores 
coletores para sedentários, pois a partir daí podíamos ter um lugar 
fixo para viver. Esse lugar fixo permitiu termos mais filhos, pois não 
era necessário esperar o mais velho ficar maior e conseguir 
caminhar sozinho, antes de ter o outro, os filhos podiam nascer um 
após o outro, o que claramente está associado à adaptação. Com 
mais filhos tinha-se mais mão de obra para a lavoura. A taxa 
populacional aumentou vertiginosamente. Problemas ocorreram 
com essa mudança, o hábito sedentário aumentou a chance de 
passarmos fome, se a colheita fosse perdida por qualquer motivo, 
não havia o que comer, ninguém se dedicava mais à caça, tais 
habilidades foram perdidas. Esse há´bito diminuiu nossas 
condições de higiene, resultando em mortes por doenças. 
 A terceira revolução foi a científica que ocorreu há 500 anos e foi 
a descoberta do: “Eu não sei, mas posso descobrir”. A descoberta 
mais importante dessa revolução foia descoberta da ignorância, ou 
seja, “existem poderes desconhecidos que podem ser 
descobertos”. Assim, mediante observação e uma metodologia 
sistemática (método científico), podemos alcançar novos poderes, 
novas previsões sobre o mundo natural. Com a revolução científica 
ficou claro que não sabemos tudo sobre nada,