A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Resumão Biocel II AP 2

Pré-visualização | Página 1 de 7

Aula 3- núcleo interfásico
1. Quais as vantagens evolutivas do aparecimento do núcleo? R: A separação entre a transcrição e a tradução, a proteção física do material genético, que fica localizado em um compartimento dissociado da maior parte do movimento citoplasmático. 
2. Qual a importância da compactação do DNA? (apostila) R : Com a compactação do DNA a célula consegue acomodar e organizar essa molécula dentro do núcleo, caso contrário, ela não caberia lá.
3. O que é um nucleossomo? R: É o arranjo formado pelas histonas H2A, H2B, H3 e H4 que com duas cópias de cada, formam um octâmero ao redor do qual a dupla fita do DNA dá uma volta e meia aproximadamente. 
4. O que é DNA de ligação? R: É o DNA que fica entre 2 nucleossomos. 
 5. Qual o papel da histona H1? R: Manter os nucleossomos mais ou menos afastados, influindo na compactação do DNA. 
6. Diferencie eucromatina de heterocromatina. R: Eucromatina é o estado em que o DNA está descompactado e fazendo a transcrição. A heterocromatina corresponde ao DNA no seu estado mais compacto, inacessível às enzimas de transcrição.
7. Você concorda com a afirmação: “O núcleo interfásico tem subcompartimentos, apesar de não ter membranas internas”? Justifique a resposta
R: Concordo, o nucléolo é uma estrutura compartimentalizada que não é delimitada por membranas. Os nucléolos são formados por genes que estão sendo transcritos em rRNA e proteínas ribossomais formando uma estrutura muito eletrodensa. Além do nucléolo, existem outros compartimentos nucleares, como os corpúsculos nucleares ou de Cajal e os grânulos de intercromatina, que também não são envoltos por membranas. 
8. O nucléolo é heterocromatina? Por quê? R: Não, o nucléolo é a região onde são sintetizados e montados os ribossomos, sendo assim, ele é transcricionalmente ativo. 
O nucléolo é eucromatina, sua densidade resulta de sua intensa atividade de síntese. 
A eucromatina é menos compactada que a heterocromatina. 
9. Podemos dizer que os genes que codificam os ribossomos ficam todos em um mesmo cromossomo?
R: Não, essas regiões se distribuem por vários cromossomos. Os seguimentos envolvidos na síntese de ribossomos se aproximam na região que corresponde ao nucléolo.
Aula 4 -Transporte núcleo-citoplasma 
 O que vem a ser a heterocromatina aderida ao envoltório nuclear de células interfásicas? R: Os telômeros, (ponta dos cromossomos) são regiões que não possuem informações genéticas e eles ficam aderidos ao envoltório nuclear. Como eles são transcricionalmente inativos, são classificados como heterocromatina. 
Quais são as características da membrana nuclear externa? A membrana nuclear externa é um domínio do retículo endoplasmático rugoso.
Quais são as características da membrana nuclear interna?Apesar de ser contínua com a membrana nuclear externa, os componentes da membrana interna não podem fluir para a membrana externa. Por isso, a composição da membrana interna é particular. Suas moléculas mais conhecidas são receptores para laminas do tipo B e receptores que controlam a liberação de cálcio.
O que e lamina nuclear?Qual a sua função? É uma camada de filamentos intermediários entrecruzados, formada pelas laminas do tipo A e do tipo B. A função da lâmina é sustentar o envoltório nuclear, regular sua forma e protegê-lo de deformações.
 Quais são os componentes do envoltório nuclear? 
R: Membrana nuclear externa: sua composição se assemelha muito à membrana do RE, com a qual ela é contínua. 
Espaço perinuclear: espaço entre as duas membranas e que é contínuo com o lúmem do retículo. 
Membrana nuclear interna: contém proteínas que atuam como sítios de ligação para os telômeros (heterocromatina) dos cromossomos e para a lâmina nuclear. 
Lâmina nuclear: uma malha tecida de filamentos formados por proteínas chamadas laminas que fornece uma rígida estrutura de suporte para o envelope nuclear. A lamina (proteína) tem um papel importante na manutenção da forma e do tamanho do núcleo e também está envolvida em suportar as deformações que o núcleo sofre quando empurrado pelas outras organelas. 
Cromatina aderida: é o telômero do cromossomo que está ligado à membrana nuclear durante a intérfase. 
Complexos do poro: são perfurações que atravessam as duas membranas nucleares, permitindo a comunicação núcleo-citoplasma. 
O que é seqüência de localização nuclear? R: É uma seqüência de aas necessária e suficiente para que uma proteína seja reconhecida no complexo do poro e transportada para o núcleo. 
Que tipos de macromoléculas são transportados do citoplasma para o núcleo? E do núcleo para ocitoplasma? as que têm a seqüência de localização nuclear (NLS) As que têm a seqüência de exclusão nuclear (NES)
 O transporte entre núcleo e citoplasma consome energia? R: Sim, a energia é fornecida pela hidrólise de GTP feita pelas GTPases monoméricas especiais, as Ran. 
Com base nas características do transporte entre núcleo e citoplasma, você espera que a composição iônica do nucleoplasma seja semelhante ou diferente do citoplasma? R: Semelhante, pois os íons podem se difundir livremente pela abertura dos complexos do poro. 
O transporte de moléculas entre o núcleo e o citoplasma é diretamente dependente de ATP? E indiretamente? Justifique sua resposta. R: Não, mas indiretamente sim, pois o transporte é dependente de GTP e a fosforilação do GTP é feita com o fosfato vindo do ATP. 
Qual o sentido de a seqüência sinal das proteínas que entram no núcleo ficar no meio da cadeia e não ser cortada após a entrada? R: O envelope nuclear é desmontado no início da mitose e remontado no final. As proteínas nucleares que foram dispersas no citoplasma quando o envelope se desestruturou voltam a ser requeridas após a remontagem do envelope. Por esse motivo as proteínas nucleares vão precisar da seqüência sinal para entrar no novo núcleo depois que ele for formado. A cada divisão celular, essas proteínas terão que entrar novamente no núcleo. Por isso não faz sentido retirar as seqüências sinais delas. 
 O transporte de proteínas através do complexo do poro depende de ATP? Explique sua resposta. R: O transporte através do poro depende indiretamente de ATP. O transporte depende de GTP e para formar GTP através de GDP é preciso de um fosfato proveniente do ATP. Uma proteína essencial para esse transporte é a Rna, ela é uma GTPase, faz a hidrólise de GTP, liberando energia para o transporte. 
 Por que dizemos que o transporte nuclear é a última etapa do controle de qualidade da síntese de mRNAs? R: Porque as moléculas de mRNA processadas incorretamente no núcleo, não sairão para o citoplasma.
Os poros nucleares são bastante grandes, sendo visíveis ao microscópio eletrônico sem muita dificuldade, Entretanto, não é qualquer partícula ou molécula que atravessa estes poros. O que é necessário para que uma proteína possa passar por estes poros? Que possua a sequência de localização nuclear ou a sequência de exportação nuclear 
Como as moléculas pequenas e grandes atravessam o complexos do poro? 
R: Pequenas moléculas e íons podem passar livre e não seletivamente pelos poros, já moléculas maiores, como RNAs e proteínas não podem passar por meio dos poros a não ser que carreguem um sinal de distribuição apropriado. 
Como moléculas grande fazem para entrar no núcleo e passar pelo complexo do poro? R: A interação inicial de uma proteína direcionada ao núcleo com um poro nuclear requer o auxílio de outras proteínas do citosol. Essas proteínas são chamadas de receptores de importação nuclear. Essas proteínas se ligam ao sinal de localização nuclear, que fica na membrana nuclear e ajuda a direcionar a proteína ao poro por interação com as fibrilas dos poros. A proteína é então transportada para o núcleo com o consumo de GTP. Uma estrutura no centro do poro vai funcionar como diafragma que abre e fecha. Ele se abre precisamente o necessário para permitir a passagem do complexo protéico. Os receptores de importação nuclear voltam ao citosol por meio dos poros para serem reutilizados. 
O que diferencia o mecanismo de transporte pelos