A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
Resumo Atenção Farmacêutica I

Pré-visualização | Página 6 de 16

validados, com 
subsequente orientação e encaminhamento 
do paciente a outro profissional ou serviço de 
saúde para diagnóstico e tratamento 
(CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA, 2013f; 
BRASIL, 2010c). 
 
-Revisão da farmacoterapia 
Conceito: serviço pelo qual o farmacêutico faz 
uma análise estruturada e crítica sobre os 
medicamentos utilizados pelo paciente, com 
os objetivos de minimizar a ocorrência de 
problemas relacionados à farmacoterapia, 
melhorar a adesão ao tratamento e os 
resultados terapêuticos, bem como reduzir o 
desperdício de recursos. 
 
-Acompanhamento farmacoterapêutico 
Conceito: serviço pelo qual o farmacêutico 
realiza o gerenciamento da farmacoterapia, 
por meio da análise das condições de saúde, 
dos fatores de risco e do tratamento do 
paciente, da implantação de um conjunto de 
intervenções gerenciais, educacionais e do 
acompanhamento do paciente, com o 
objetivo principal de prevenir e resolver 
problemas da farmacoterapia, a fim de 
alcançar bons resultados clínicos, reduzir os 
riscos, e contribuir para a melhoria da 
eficiência e da qualidade da atenção à saúde. 
Inclui, ainda, atividades de prevenção e 
proteção da saúde. 
 
-Manejo de problema de saúde autolimitado 
 
 
Conceito: serviço pelo qual o farmacêutico 
acolhe uma demanda relativa a problema de 
saúde autolimitado, identifica a necessidade de 
saúde, prescreve e orienta quanto a medidas 
não farmacológicas, medicamentos e outros 
produtos com finalidade terapêutica, cuja 
dispensação não exija prescrição médica e, 
quando necessário, encaminha o paciente a 
outro profissional ou serviço de saúde. 
 
-Monitorização terapêutica de medicamento 
Conceito: serviço que compreende a 
mensuração e a interpretação dos níveis 
séricos de fármacos, com o objetivo de 
determinar as doses individualizadas 
necessárias para a obtenção de 
concentrações plasmáticas efetivas e seguras. 
 
 
 
-Dispensação 
Conceito: serviço proporcionado pelo 
farmacêutico, geralmente em cumprimento a 
uma prescrição de profissional habilitado. 
Envolve a análise dos aspectos técnicos e 
legais do receituário, a realização de 
intervenções, a entrega de medicamentos e 
de outros produtos para a saúde ao paciente 
ou ao cuidador, a orientação sobre seu uso 
adequado e seguro, seus benefícios, sua 
conservação e descarte, com o objetivo de 
garantir a segurança do paciente, o acesso e 
a utilização adequados [Adaptado de Arias 
(1999) e Brasil (1998)]. 
 
-Gestão da condição de saúde 
Conceito: serviço pelo qual se realiza o 
gerenciamento de determinada condição de 
saúde, já estabelecida, ou de fator de risco, 
por meio de um conjunto de intervenções 
gerenciais, educacionais e no cuidado, com o 
objetivo de alcançar bons resultados clínicos, 
reduzir riscos e contribuir para a melhoria da 
eficiência e da qualidade da atenção à saúde 
(Adaptado de Mendes, 2012). 
 
-Conciliação de medicamentos 
Conceito: serviço pelo qual o farmacêutico 
elabora uma lista precisa de todos os 
medicamentos (nome ou formulação, 
concentração/dinamização, forma 
farmacêutica, dose, via de administração e 
frequência de uso, duração do tratamento) 
utilizados pelo paciente, conciliando as 
informações do prontuário, da prescrição, do 
paciente, de cuidadores, entre outras. Este 
serviço é geralmente prestado quando o 
paciente transita pelos diferentes níveis de 
atenção ou por distintos serviços de saúde, 
com o objetivo de diminuir as discrepâncias 
não intencionais 
Fernanda Iachitzki 
 
Atenção farmacêutica 1 
Aspectos legais dos Serviços 
Farmacêuticos 
 
Normas que regem os serviços 
farmacêuticos 
-Resolução/CFF n° 585/2013 
-Resolução/CFF n° 586/2013 
-Lei n° 13.021/2014 
 
Resolução/CFF n° 585/2013 
-Regulamenta as atribuições clínicas do 
farmacêutico e dá outras providências 
-Constitui a base legal para atuação clínica do 
farmacêutico 
 
As atribuições clínicas do farmacêutico visam 
proporcionar cuidado a paciente, família e 
comunidade, de forma a promover o uso 
racional de medicamentos e otimizar a 
farmacoterapia, com o propósito de alcançar 
resultados definidos que melhorem a qualidade 
de vida do paciente. 
 
Art. 3° No âmbito de suas atribuições, o 
farmacêutico presta cuidados à saúde, em 
todos os lugares e níveis de atenção, em 
serviços públicos ou privados 
 
Art. 7° São atribuições clínicas do 
farmacêutico relativas ao cuidado à saúde, nos 
âmbitos individual e coletivo (28 atribuições): 
 
 
 
 - Participar do planejamento e da avaliação da 
farmacoterapia, para que o paciente utilize e 
forma segura os medicamentos de que 
necessita nas doses, frequência, horários, vias 
de administração e duração adequados, 
contribuindo para que o mesmo tenha 
condições de realizar o tratamento e alcançar 
os objetivos terapêuticos; 
 
-Realizar intervenções farmacêuticas e emitir 
parecer farmacêutico a outros membros da 
equipe de saúde, com o propósito de auxiliar 
na seleção, adição, substituição, ajuste ou 
interrupção da farmacoterapia do paciente. 
 
-Fazer anamnese farmacêutica, bem como 
verificar sinais e sintomas, com o propósito de 
prover cuidado ao paciente; 
 
-Solicitar exames laboratoriais, no âmbito de 
sua competência profissional, com finalidade 
de monitorar os resultados da farmacoterapia 
 
-Elaborar uma lista atualizada e conciliada de 
medicamentos em uso pelo paciente durante 
os processos de admissão, transferência e alta 
entre os serviços e níveis de atenção a saúde; 
 
 
Fernanda Iachitzki 
 
Art. 8° “São atribuições do farmacêutico 
relacionadas à comunicação e educação em 
saúde (8 atribuições): 
 
-Estabelecer processo adequado de 
comunicação com pacientes, cuidadores, 
família, equipe de saúde e sociedade, incluindo 
a utilização dos meios de comunicação de 
massa; 
 
-Informar, orientar e educar os pacientes, a 
família, os cuidadores e a sociedade sobre 
temas relacionados à saúde, ao uso racional 
de medicamentos e a outras tecnologias em 
saúde; 
 
-Elaborar materiais educativos destinados à 
promoção, proteção e recuperação da saúde, 
e prevenção de doenças e de outros 
problemas relacionados; 
 
Art. 9°” São atribuições do farmacêutico 
relacionadas a gestão da pratica, produção e 
aplicação do conhecimento (11 atribuições) 
 
- Participar de coordenação, supervisão, 
auditoria, acreditação e certificação de ações 
e serviços no âmbito das atividades clínicas do 
farmacêutico; 
 
- Buscar, selecionar, organizar, interpretar e 
divulgar informações que orientem a tomada 
de decisões baseadas em evidência, no 
processo de cuidado à saúde; 
 
- Participar de elaboração, aplicação e 
atualização de formulários terapêuticos e 
protocolos clínicos para a utilização de 
medicamentos e outras tecnologias em saúde; 
 
 
Resolução/CFF n° 586/2013 
- Regula a prescrição farmacêutica e dá outras 
providências 
- Esta resolução inova ao considerar a 
prescrição como uma atribuição clínica do 
farmacêutico, definir sua natureza, especificar 
e ampliar o seu escopo para além do produto 
e descrever seu processo na perspectiva das 
boas práticas, estabelecendo seus limites e a 
necessidade de documentar e avaliar as 
atividades de prescrição. 
 
Art 3° Para os propósitos desta resolução, 
define-se a prescrição farmacêutica como ato 
pelo qual o farmacêutico seleciona, e 
documenta terapias farmacológicas e não 
farmacológicas, e outras intervenções relativas 
ao cuidado à saúde do paciente, visando à 
promoção, proteção e recuperação da saúde, 
e à prevenção de doenças e de outros 
problemas de saúde. 
 
Art. 4° O ato da prescrição farmacêutica 
poderá ocorrer em diferentes 
estabelecimentos farmacêuticos, consultórios, 
serviços e níveis de atenção à saúde, desde 
que respeitados o princípio da 
confidencialidade e a privacidade do paciente 
no atendimento. 
 
Art 5° O farmacêutico poderá realizar a 
prescrição de medicamentos e outros 
produtos com finalidade terapêutica,