A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Resumo Atenção Farmacêutica I - Parte II

Pré-visualização | Página 1 de 7

Fernanda Iachitzki 
 
Atenção farmacêutica 1 
Serviço farmacêutico clínico na 
dispensação de medicamentos 
 
 
Sumário 
●Princípios da dispensação de medicamentos 
●Aspectos legais da dispensação 
●Aspectos clínicos da dispensação 
 
Legislação 
 LEI n° 5.991, de 17 de dezembro de 1973- 
Dispõe sobre o Controle Sanitário do 
Comércio de Drogas, Medicamentos, 
Insumos Farmacêuticos e Correlatos, e dá 
outras Providências. 
●Dispensação- ato de fornecimento ao 
consumidor de drogas, medicamentos, 
insumos farmacêuticos e correlatos, a título 
remunerado ou não 
↳ Aqui não se fala do aconselhamento, somente do 
fornecimento, até pela época em que essa lei surgiu, 
em 1973 pouco se falava da área de cuidado 
farmacêutico 
 
 LEI n° 13.021, de 8 de agosto de 2014- 
Dispõe sobre o exercício e a fiscalização 
das atividades farmacêuticas 
●Art. 14. Cabe ao farmacêutico, na dispensação 
de medicamentos, visando a garantir a eficácia 
e a segurança da terapêutica prescrita, 
observar os aspectos técnicos e legais do 
receituário. 
 
 
Dispensação 
 Serviço farmacêutico clínico 
 Ato privativo do farmacêutico 
 Tem por finalidade propiciar o acesso ao 
medicamento e o uso adequado 
 
Definição: Envolve a análise dos aspectos 
técnicos e legais do receituário, a realização 
de intervenções, a entrega de medicamentos 
e de outros produtos para a saúde ao 
paciente e ao cuidados, a orientação sobre 
seu uso adequado e seguro, seus benefícios, 
sua conservação e descarte, com o objetivo 
de garantir a segurança do paciente, o acesso 
e a utilização adequados 
 
A dispensação da maneira descrita na 
definição, exige a formação clínica do 
farmacêutico, não significa precisar fazer uma 
pós-graduação em farmácia clínica, apenas a 
própria formação clínica contida nas nossas 
diretrizes curriculares. 
 
 Exige formação clínica do farmacêutico 
A dispensação da maneira descrita na 
definição 
●Avaliar a prescrição 
Fernanda Iachitzki 
 
●Correlacionar os medicamentos 
prescritos/não prescritos com as condições 
de saúde e características do paciente 
●Considerar outros fatores que podem 
interferir no resultado do tratamento e na 
segurança do paciente 
 
 Por que a dispensação é tão importante? 
É o último contato que o paciente vai ter com 
o profissional de saúde antes de utilizar o 
medicamento. É como se fosse a última 
chance de resolver algum potencial problema, 
ou verificar uma contraindicação. 
 
Elementos mínimos que caracterizam o 
serviço de dispensação 
 
 
 
Com relação as Fontes dos dados clínicos, de 
onde vem esses dados clínicos que eu preciso 
desse paciente para executar o serviço de 
dispensação, esses dados vêm da própria 
receita, pode vir de entrevista com paciente/ 
cuidador, ou do prontuário. 
Os parâmetros avaliados pelo farmacêutico 
são os requisitos técnicos, administrativos e 
legais da prescrição. 
Retorno do paciente (follow up), muitas vezes 
é desnecessário quando estamos fazendo a 
dispensação do medicamento a não ser que 
constate que é um paciente elegível para o 
acompanhamento farmacoterapêutico, aí eu 
vou chamar ele pra outro serviço, mas o 
retorno para o serviço de dispensação pode-
se considerar desnecessário. 
Produto (output), Medicamento entregue e 
paciente informado 
Quem recebe o produto nem sempre é o 
paciente, pode ser o cuidador ou 
representante (comunicação com terceiros) 
Momento em que o serviço acontece: na 
própria dispensação 
 
Cenários de dispensação 
 
 
 
Quando nós temos uma prescrição 
precisamos fazer durante a dispensação do 
medicamento: 
-Análise técnica e legal da prescrição 
↳Para ver se podemos de fato fornecer o produto 
que está sendo solicitado nessa receita. 
-Intervenções 
↳Às vezes é necessário fazer contato com o médico, 
alguma informação não ficou clara, ou faltou alguma 
informação na prescrição, ou até mesmo a 
substituição do medicamento por genérico, ou similar 
equivalente. 
-Entrega do medicamento 
-Aconselhamento: forma de uso, benefícios, 
conservação, descarte 
 
Análise técnica e legal da prescrição 
 Deve estar escrita a tinta, por extenso e 
de modo legível 
 Deve conter 
●Nome e endereço do paciente 
Fernanda Iachitzki 
 
●Nome do medicamento, forma farmacêutica, 
posologia, apresentação, modo de 
administração e duração do tratamento 
●Data, nome e assinatura do prescritor 
 
Para medicamentos sujeitos a controle 
especial, seguir a portaria n° 344/1998 
 
 Problemas relacionados à prescrição 
●Erros de medicação 
-Nome do medicamento 
-Dose, via de administração e duração do 
tratamento 
●Problemas de ordem legal 
-Preenchimento incorreto 
●Problemas terapêuticos 
-Contraindicação absoluta 
-Interações medicamentosas de alto 
significado clínico 
-Superdosagem 
 
 Prescrição de antimicrobianos 
●Modelo de receita- em duas vias, contendo 
o nome completo, idade e sexo do paciente. 
Caso o prescritor não informe, esses dados 
podem ser preenchidos pelo farmacêutico 
responsável pela dispensação. 
 
●Validade da receita- validade em todo o 
território nacional, em até 10 dias a partir da 
sua emissão (a data de emissão corresponde 
ao primeiro dia de validade da receita) 
 
Quantidades máximas- não há uma quantidade 
limite para prescrição e não há um número 
máximo de substâncias que podem que 
podem ser prescritas na mesma receita. 
Receitas de atb podem conter qualquer outra 
classe de medicamentos exceto aqueles 
controlados pela Portaria n° 344/1998 
 
 Dentro do cenário da dispensação com 
prescrição, nós podemos ter uma nova 
prescrição, ou a continuação de uma 
prescrição antiga. 
 
Quando é uma nova prescrição, o primeiro 
contato do paciente com aquele 
medicamento, tem que prestar muita atenção 
no nome do medicamento, posologia, modo 
de usar e efeito adverso potencial. 
 
Quando é um paciente que já está em uso 
daquele medicamento e esta continuando 
aquele tratamento, é importante fazer a 
verificação da efetividade, segurança, uso 
correto e adesão. 
 
 Prescrição de qualidade 
Máximo de efetividade, minimiza riscos e 
custos e respeita a conveniência e escolha do 
paciente 
 
Detectar e resolver os problemas relacionados 
às prescrições pode favorecer o sucesso 
terapêutico e beneficiar o paciente e a 
comunidade- INTERVENÇÕES 
 
Entrega do medicamento e 
aconselhamento 
 
●Uma das intervenções é a orientação ao 
paciente representa a complementação da 
consulta com o prescritor 
 
Fernanda Iachitzki 
 
Patient counseling, mdication counseling, 
medicine counseling- abordagem focada no 
aumento da capacidade do paciente em 
resolver problemas com propósito de 
melhorar ou manter sua saúde e qualidade de 
vida (USP;FIP) 
↳Através desse aconselhamento a gente vai 
empoderar o paciente para que ele tenha um 
aumento da capacidade de resolver problemas 
relacionados a farmacoterapia e a sua saúde. 
 
No Brasil a gente utiliza os termos 
“aconselhamento de paciente” ou “orientação 
farmacêutica” que se define como um 
processo de escuta ativa, individualizado e 
centrado no cliente. Pressupõe a capacidade 
de estabelecer uma relação de confiança 
entre os interlocutores, visando o resgate dos 
recursos internos da pessoa atendida para que 
ela mesma tenha a possibilidade de 
reconhecer-se como sujeito de sua própria 
saúde e transformação. 
 
 
 
Níveis de orientação farmacêutica 
 
Para fins didáticos, foi elaborado esse quadro 
com 4 níveis de orientação, vai ficando cada 
vez mais completo e complexo o nível de 
informações que a gente vai passando pro 
paciente 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fernanda Iachitzki 
 
Atenção farmacêutica 1 
Serviço farmacêutico clínico na 
dispensação de medicamentos 
 
 
Sumário 
●Princípios da dispensação de medicamento 
●Aspectos legais da dispensação 
●Aspectos clínicos da dispensação 
 
Aspectos legais da dispensação 
●Ato de prescrever 
Para prescrever o médico tem que ter