A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
Relatório Final - Iniciação Científica em Imunogenética UFPR

Pré-visualização | Página 6 de 7

Portadores
	Não portadores
	
	
	C1 (Asp80)
	158
	40
	179
	53
	0.5851
	
	C2 (Lys80)
	134
	64
	168
	64
	0.3345
	
	C1 / C1
	65
	133
	56
	176
	0.05877
	1.5360 [1.0068-2.3433] (p = 0.0464)
	C2/C2
	40
	158
	45
	187
	0.9302
	
Fonte: A autora (2020)
3. Análise Haplotípica e Pareamento C1/C2 + Bw4/ Bw6
	A partir da frequência em que os alelos HLA-B e HLA-C são herdados em conjunto, foi possível inferir o genótipo de 215 das 227 amostras que possuíam ambos os genes tipados. 
	Na análise estatística da amostra pareada (Tabela 5) foi encontrada uma associação entre a presença simultânea de ligantes C1 ligantes Bw6 com a susceptibilidade a NIC II/ III (OR: 2.56, ÍC 95% [1.69-4.05], p= 0.0001). A associação de risco com C1/ Bw6 corrobora indiretamente com o resultado do estudo de Carrington et al. (2005), onde a presença simultânea de Bw4 e C2 foi associada a proteção (OR=0.56, p= 0.002)
Tabela 3 Análise de associação entre ligantes de receptor KIR e NIC II/ III
	Grupo
	 Casos (n= 92)
	 Controles (n= 123)
	p-value (X²)
	OR (IC 95%)
	
	Portadores
	Não portadores
	Portadores
	Não portadores
	
	
	C1/ Bw6
	67
	25
	68
	55
	0.008468
	2.5618 [1.691- 4.0534] p= 0.0001
	C1/ Bw4 80T
	15
	77
	20
	103
	0.9931
	
	C1/ Bw4 80I
	33
	59
	33
	90
	0.155
	
	C2/ Bw6
	54
	38
	61
	62
	0.1855
	
	C2/ Bw4 80T
	16
	76
	21
	102
	0.9512
	
	C2/ Bw4 80I
	28
	64
	35
	88
	0.7524
	
Fonte: A autora (2020)
CONCLUSÕES
	Nas análises univariadas foram encontradas associações positivas entre NIC II/ III com a presença dos alelos HLA-B*07:02 (OR: 2.05, p= 0.04) e HLA-C*03:04 (OR: 2.24, p= 0.01), o genótipo C1/ C1 (OR: 1.54, p=0.05), e com combinações de ligantes KIR do grupo C1 e Bw6 (OR: 2.56, p= 0.0001), sugerindo susceptibilidade, e associações negativas entre NIC II/ III com os alelos HLA-B*35:05 (OR: 0.44, p= 0.02) e HLA-B*14:02 (OR: 0.39, p= 0.04), sugerindo proteção. 
PARTICIPAÇÃO EM OUTROS PROJETOS
Associação entre resíduos de aminoácidos em posições relevantes da fenda de moléculas HLA-B e HLA-DR com neoplasia intraepitelial cervical - Letícia Boslooper Gonçalves 
	Análise de 146 amostras para o gene HLA-DRB1 utilizando o Software HLA Fusion (versão 4.3), com enfoque nos aminoácidos da posição 13 e 71. Após as análises, foi redigida uma planilha com todas as possibilidades alélicas fornecidas pelo programa, categorizando os alelos em comuns ou raros, de modo a permitir que a mestranda realizasse a imputação dos alelos. Estes procedimentos foram realizados no Laboratório de Imunogenética e Histocompatibilidade da Universidade Federal do Paraná.
Associação dos polimorfismos dos genes do ciclo 1 de carbono e da endotelina com enxaqueca crônica – Marco Antonio Takashi Utiumi
	Até o momento, foi realizado o processamento e armazenamento de 53 amostras do sangue de pacientes do doutorando. O processamento da amostra requer a centrifugação do sangue, para permitir que sejam separados e armazenados o plasma e o soro. Também foi feita a extração do DNA de 32 amostras, seguida da quantificação do DNA extraído por espectrofotometria. Estes procedimentos foram realizados no Laboratório de Genética Molecular Humana, localizado no Departamento de Genética da Universidade Federal do Paraná.
REFERÊNCIAS
ALAM, S.M.; TRAVERS, P.J.; WUNG, J.L.; NASHOLDS, W.; REDPATH, S.; JAMESON, S.C.; GASCOIGNE, N.R. T cell receptor affinity and thymocyte positive selection. Nature, London, v. 381, p. 616-620, 1996.
ALVES, C et al. Complexo principal de Histocompatibilidade: sua participação na patogênese das doenças reumáticas. Revista brasileira de promoção em saúde, Fortaleza, V. 19, n. 3, p. 155-163, 2006.
BAO, X et al. HLA and KIR Associations of Cervical Neoplasia. The Journal of Infectious Diseases. V. 218, n. 12, p. 2006-2015, 2018. https://doi.org/10.1093/infdis/jiy483
BIASSONI, R. et al. Amino acid substitutions can influence the natural killer (NK)-mediated recognition of HLA-C molecules: Role of serine-77 and lysine-80 in the target cell protection from lysis mediated by "group 2" or "group 1" NK clones. J exp med, [s. l.], 1995.
BOSLOOPER, Leticia Gonçalves. Associação entre resíduos de aminoácidos em posições relevantes da fenda de moléculas HLA-B e HLA-DR com neoplasia intraepitelial cervical. Tese de mestrado Universidade Federal do Parana. 2020
BRENOL, Claiton Viegas et al . O papel do gene e da molécula HLA-G na expressão clínica das doenças reumatológicas. Rev. Bras. Reumatol.,  São Paulo ,  v. 52, n. 1, p. 82-91,  2012.
BURCHELL, A. N. et al. Modeling the sexual transmissibility of human papillomavirus infection using stochastic computer simulation and empirical data from a cohort study of young women in Montreal, Canada. Am J Epidemiol. 2006.
CARRINGTON, M. et al. Hierarchy of resistance to cervical neoplasia mediated by combinations of killer immunoglobulin-like receptor and human leukocyte antigen loci. The Journal of Experimental Medicine, V 201, n. 7, p. 1069-1075, 2005.
CELLA, M et al. NK3-specific natural killer cells are selectively inhibited by Bw4-positive HLA alleles with isoleucine 80. J Exp Med, [s. l.], V. 180, p. 1235-142, Outubro de 1994. 
CHRISTANSEN, O.B.; RASMUSSEN, K.L.; JE3RSIL, C.; GRUNNET, N. HLA class II alleles confer susceptibility to recurrent fetal loses in Danish women. Tissue Antigens, Copenhagen, v. 44, p. 225- 233, 1994.
FRANÇA, P. P. Carcinoma cervical e suas lesões precursoras: fatores
epidemiológicos e o papel dos genes MICA, NKG2D, HLA-B e HLA-DRB1 na oncogênese do câncer. 2012. 206f. Tese de doutorado em genética,
Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012
GEORGESCU et al., New Insights in the Pathogenesis of HPV Infection and the Associated Carcinogenic Processes: The Role of Chronic Inflammation and Oxidative Stress. Journal of Immunology Research. 2018
GRAGERT L, MADBOULY A, FREEMAN J, MAIERS M (2013). Six-locus high resolution HLA haplotype frequencies derived from mixed-resolution DNA typing for the entire US donor registry. Human Immunology, 74(10), 1313–1320
INCA. Estimativa de Câncer no Brasil. 2020. Disponível em: < https://www.inca.gov.br/estimativa/taxas-ajustadas/neoplasia-maligna-da-mama-feminina-e-colo-do-utero> Acesso em: 16/02/2020
INCA/ MS. Condutas do INCA/ MS. Revista brasileira de cancerologia. V.46, n.4, p. 355-57, 2000.
JOBIM, Mariana and JOBIM, Luiz F. J.. Células natural killer e vigilância imunológica. J. Pediatr. (Rio J.). vol.84, n.4, suppl., pp.S58-S67. ISSN 0021-7557.
KAKHOO, S.I et al. HLA and NK Cell Inhibitory Receptor Genes in Resolving Hepatitis C Virus Infection. Science. [s.l]. V 305, n. 5685, p. 872-874, 2004.
KULKARNI, S.; MARTIN, M. P.; CARRINGTON, M. The Yin and Yang of HLA and KIR in human disease. Maryland (USA). Seminars in Immunology. V.20 n.6. p.343-352, 2008
LONGWORTH, M.S; LAIMINS, L.A. Pathogenesis of human papillomaviruses in differentiating epithelia.. Microbiomol mol Biol Rev. V. 68, n. 2, p. 362-372, 2004
MAEDA, N et al. Role of NK cells and HLA-G in endometriosis. Frontiers in Bioscience. V. 4, p. 1568-1581, 2012.
MAGNUSSON, P.K.; GYLLENSTEN, U.B. Cervical cancer risk: is there a genetic component? Molecular medicine today, Cambridge, v. 6, n.4, p.145-148, 2000.
MARAGON, AV et al. The Association of the Immune Response Genes to Human Papillomavirus-Related Cervical Disease in a Brazilian Population. Biomed Res Int, 2013.
MARULLO, M et al. HPV16 E6 and E7 proteins induce a chronic oxidative stress response via NOX2 that causes genomic instability and increased susceptibility to DNA damage in head and neck cancer cells. Carcinogenesis, V. 36., n. 11, p. 397-406, 2015.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. HPV: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. [S. l.], 2020. Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/hpv. Acesso em: 9 fev. 2020.
MORRETTA, A et al. Existence of both inhibitory and activatory receptors for HLA-C molecules