Buscar

APS- RECURSOS TERAPEUTICOS

Prévia do material em texto

Docente: Marcielle Aline de Medeiros Brito 
Discente: Ruan Thales Pereira de Araújo 
Disciplina: Recursos Terapêuticos 
Turma: 5° série Noturna 
 
 
RESPOSTAS DA ATIVIDADE 1: Sobre casos específicos. 
 
1. A proliferação de osteoblastos e a osteogênese no local da fratura, promovendo 
assim uma maior deposição de massa óssea e acelerando o processo de 
consolidação. Irá haver também o efeito bioquímico do estímulo ou inibição as reações 
enzimáticas, na qual as enzimas são do grupo de proteínas e atuam como 
catalisadoras (acelera o processo) de reações químicas. 
2. Sim. Pois a ultrassom pode estimular fibroblastos a produzir colágeno in vitro; e 
também melhora o retorno da força mecânica durante o reparo de lesões agudas de 
tendão. 
3. Sim. A ultrassom pode ser um recurso importante no tratamento da tendinite de 
cabeça longa do bíceps braquial, podendo atuar positivamente na redução dos 
depósitos calcários desde que o recurso seja utilizado dentro de parâmetros 
satisfatórios. Assim Fortalecendo a musculatura, sendo sugerido como alternativa 
promissora para facilitar a reabsorção dos depósitos de cálcio. 
4. Sentar e Levantar, com as mãos entrelaçadas, e os braços esticados, levar o corpo 
para frente e para cima. O fisioterapeuta sempre fica do lado afetado do paciente, no 
caso da questão o lado direito. 
5. A drenagem postural - deve deitar em decúbito ventral, dorsal ou de lado, numa 
rampa inclinada, mantendo a cabeça mais baixa que o restante do corpo agindo assim 
em função da gravidade, causando a mobilização das secreções e, 
consequentemente, a expectoração natural. 
Tapotagem – deitar em decúbito ventral inclinado como mãos em conchas realizando 
tapinha da base para o ápice do pulmão dos dois lados e o objetivo promover o 
movimento e deslocamento das secreções e facilitar a eliminação do muco pelo 
organismo. 
Huffing - consiste em realizar uma inspiração tranquila (ou utilizando o VRI) seguida 
de uma expiração até o volume residual, com a boca aberta, assim alterando o fluxo 
expiratório e favorecendo a expectoração. 
Vibrocompressão - é uma variação da vibração e que se assemelha a um“movimento 
de mola” das costelas. Com compressões sobre o tórax durante a expiração. A 
pressão exercida nesta manobra é mais intensa do que a exercida na vibração, com o 
objetivo de provocar uma expectoração mais rápida ou mais eficiente 
Shaker - deve estar, de preferência, sentado em uma posição confortável, com seu 
tórax ereto. Deve-se pedir ao paciente que ele realize uma inspiração profunda e, em 
sequência, acoplar o Flutter à boca e expirar de forma mais forte e rápida que 
conseguir, mantendo a expiração por 3 a 5”. Pode ser repetida de 4 a 8 vezes, com 
intervalos para repouso. 
 
 
 
 
RESPOSTAS DA ATIVIDADE 2 
 
1. E um método terapêutico que consiste na elevação da temperatura no interior dos 
tecidos através da aplicação externa de um campo de alta frequência (radiação 
eletromagnética, corrente elétrica ou ondas ultrassônicas). Um dos tratamentos 
utilizado por muitos profissionais da fisioterapia é a diatermia. O termo deriva das 
expressões gregas “dia” e “therma”, que significam “aquecimento através de”, e a 
terapia utiliza ondas não ionizantes, conhecidas como ondas curtas. O aparelho de 
diatermia por ondas curtas consiste em um circuito gerador de onda senoidal que 
produz uma corrente com frequência de 27,12 MHz e um circuito ressonante que pode 
ser sintonizado exatamente na mesma frequência. 
2. O aparelho de micro-ondas gera um campo elétrico forte e um campo magnético 
pequeno. Se a gordura subcutânea é de 0,5cm ou menos, o micro-ondas pode 
penetrar e causar aumento da temperatura tecidual em até 5 cm de profundidade. Os 
tendões absorvem mais energia do que qualquer outro tecido mole. Assim a Produção 
de calor (boa termo penetração Aquece a nível muscular, superaquecer a pele e tecido 
adiposo), vasodilatação, hiperemia (superficial e profunda), aumento do metabolismo 
local (leva a uma maior troca e reações químicas), aumento da circulação sanguínea, 
aumento da condução nervosa, diminuição da pressão arterial, aumento do aporte de 
oxigênio local, regeneração tecidual, analgesia, diminuição de espasmo muscular, 
ação reflexa para vertebral sobre segmentos nervosos que inervam de determinada 
região, anti-inflamatório e inibidor de reprodução de microrganismos. 
3. O aparelho de diatermia por ondas curtas produz campos elétricos e magnéticos 
com correntes de alta frequência oscilantes e são esses campos alternados que 
produzem os efeitos fisiológicos e os benefícios terapêuticos obtidos com o 
tratamento. Nesse mesmo contexto, equipamentos de diatermia por micro-ondas 
produzem uma corrente alternada de alta frequência em uma antena. Essa corrente 
alternada produz um campo eletromagnético que é diferenciado através do tecido por 
uma reflexão de curva circundada próximo à antena, sendo assim, geram mais calor 
nos tecidos com alta condutividade elétrica (músculos), entretanto, essa radiação 
penetra menos profundamente do que a diatermia indutiva por ondas curtas. 
4. DEEP II Inspiração nasal lenta até volume de reserva inspiratório máximo. Pedir 
para paciente puxar fundo o ar, segurar por 6 segundos e soltar todo o ar. * Usar antes 
de técnicas desobstrutivas em DPOC Padrão ventilatório com inspiração máxima 
sustentada Inspiração oral com incentivadores. Sendo indicado para a expansão 
pulmonar de zonas basais, é indicado também para ajudar aos pulmões a se tornarem 
mais forte ao se adaptarem a uma nova quantidade de ar que será inspirado e ajuda a 
reexpedir as zonas basais e mediais. 
 
5. O aumento do fluxo expiratório (AFE) é uma técnica não convencional de 
desobstrução brônquica que pode ser aplicada desde o nascimento, inclusive no RN 
prematuro, quando existe doença respiratória com obstrução das vias aéreas. é 
indicada em sequelas pulmonares pós-cirúrgicas e problemas respiratórios de origem 
neurológica ou traumática, sempre que a secreção for um fator agravante, e mostrou 
gerar grandes benefícios para a higiene brônquica de crianças sob VM. 
6. Trata de uma inspiração ao nível do volume corrente, seguida de uma expiração 
contínua, lenta, de preferência associada ao freno labial até atingir o nível do volume 
de reserva expiratório para, em final de três repetições, voltar com uma inspiração 
profunda ao nível da capacidade inspiratória máxima. Tornando possível criar 
condições biomecânicas e ventilatórias que ajudem a desinsuflar os pulmões em 
condições em que a complacência se encontre alterada. 
 
 
 
 
RESENHA: MANOBRAS HIGIENE BRONQUICAS 
 
 
As manobras de higiene brônquica são recursos de terapia intensiva no qual o 
fisioterapeuta usa para auxiliar na depuração mucociliar e precaver complicações 
consequentes na concentração de secreções nas vias aéreas. Assim considerando as 
manobras mais utilizadas nas práticas clinicas que dentre elas está vibrocompressão, 
drenagem postural, hiperinsuflação, aspiração traqueal e mobilização motora. 
A intervenção fisioterapêutica por meio das manobras de higiene brônquica, melhora o 
perfil reológico do muco, assim expelindo com mais facilidade, já que se acontecesse a 
purulência do muco irá piorar a qualitativamente o perfil reológico. Porém deve escolher 
a manobra ideal para cada momento do atendimento do paciente, pois depende da 
idade, da gravidade do doente, da facilidade do e do conforto do paciente. 
 
A manobra de drenagem postural precisa de um tempo específico para ser realizada, 
visto que ela requer da ação da gravidade para o escoamento da secreção. Observando, 
no presente estudo, com relação nos números de pacientes atendidos nos plantões com 
a realização desta manobra, informando que quanto menor for o período de 
atendimento, menos a drenagem será utilizada. Sendo assim provado pela falta de 
tempo identificada em serviços onde o fisioterapeuta deve atenderum número maior de 
pacientes e a necessidade de um tempo especifico para a realização da drenagem 
postural. Um resultado similar, achado no presente estudo, foi a respeito da mobilização 
motora, assim sendo consequente para o descolamento das secreções, e a pratica 
dessa técnica varia com a proporção que os profissionais precisam para realizar um 
número maior de atendimentos. 
 
Mas estudos envolvendo as manobras de higiene brônquica se contradizem, e este 
cenário já vem sido observado desde da década de 1980, quando pesquisas 
envolvendo a pratica das manobras de percussão, drenagem postural, vibração e 
tosse assistida começavam a ser estudadas. Já estudos recentes mostram que as 
manobras de vibrocompressão, hiperinsuflação manual e aspiração traqueal tendem a 
ser mais evidenciadas pela literatura. 
As manobras de higiene brônquica à beira do leito mais escolhidas pelos 
fisioterapeutas foram vibrocompressão, hiperinsuflação, drenagem postural, aspiração 
traqueal e mobilização motora. Pelo motivo que as manobras eram mais eficazes para 
a pratica clínica. Observando que na prática clínica adquirida ao longo da experiência 
individual, não sendo fomentada pela literatura científica. Faz-se necessária a 
realização de mais estudos, de âmbito nacional, a fim de assegurar os benefícios e as 
desvantagens reais na prática das manobras de higiene brônquica.

Outros materiais