A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Artigo - Efeito da Drenagem Linfatica em Diversas Patologias

Pré-visualização | Página 3 de 4

o transporte da linfa. Neles 
existem células reticulares (fagocitose e pinocitose-absorção), macrófagos, plasmócitos e 
linfócitos médios que são fixos; e linfócitos pequenos que são móveis.(Winter, 1973). 
 
Troncos Linfáticos 
 
Os vasos aumentam progressivamente seu calibre e formam por último, os troncos linfáticos à 
esquerda o canal torácico e a direita canal linfático direito. 
 
A circulação linfática após passar pelos vasos linfáticos retorna ao sistema sangüíneo através 
do ducto torácico 
 
Os troncos linfáticos são: o ducto torácico, o ducto esquerdo e o ducto direito. O ducto 
torácico recebe a linfa dos membros inferiores e dos órgãos abdominais. Dirige-se em direção 
ao pescoço – diafragma, sobe pelo tórax adiante da coluna vertebral, na altura da clavícula faz 
uma curva para o lado esquerdo, passando próximo à artéria carótida esquerda, do nervo vago 
e da veia jugular interna, inclina-se para baixo para desembocar no ângulo venoso esquerdo 
(junção da veia subclávia esquerda com a veia jugular esquerda) e recebe a linfa do ducto 
linfático esquerdo. O ducto esquerdo é formado pela junção do tronco jugular esquerdo, que 
traz a linfa da parte esquerda da cabeça, com o tronco subclávio esquerdo, provindo do braço 
esquerdo. Os dois troncos reúnem-se pouco antes de penetrarem no ducto torácico. O ducto 
direito consiste na junção do tronco jugular direito com os troncos subclávio direito e 
 
brancomediastinal ascendente (que traz a linfa da parte superior do tórax direito. A junção dos 
três troncos dá-se próximo à clavícula).(Winter, 1973). 
 
Transporte da Linfa 
 
Contração dos músculos vizinhos: O aumento da pressão força uma maior quantidade de 
líquido para dentro dos capilares linfáticos, modificando a pressão interna do capilar, 
desencadeando uma seqüência de contrações, que também serão transmitidas para segmentos 
subsequentes. A intensa atividade muscular eleva também a temperatura da região, levando a 
um aumento das contrações da musculatura lisa dos capilares linfáticos. 
 
A ação do diafragma sobre o transporte da linfa: A respiração provoca uma mudança de 
pressão na caixa torácica; onde na inspiração, esta se dilata e seu volume aumenta 
consideravelmente pela descida do diafragma, mudanças pelas quais estão acompanhadas por 
uma pressão negativa em relação à pressão atmosférica. Assim o vácuo parcial que se forma 
na caixa torácica não somente impele o ar para dentro dos pulmões, como também facilita o 
avanço do fluxo linfático. 
 
A pulsação das grandes artérias: Os vasos linfáticos se encontram quase sempre nas 
proximidades dos vasos sangüíneos, de modo que a pulsação das grandes artérias repercute 
também nos vasos linfáticos, fatos este coadjuvante na motricidade dos vasos linfáticos. 
(Winter, 1973). 
 
EFEITOS DA MASSAGEM DE DRENAGEM LINFÁTICA 
 
As manobras de drenagem linfática exercem influência sobre algumas estruturas e funções 
biológicas, direta e indiretamente, tais como: 
- Estimula a contração da musculatura lisa dos vasos linfáticos, aumenta a velocidade de 
transporte da linfa, aumenta a capacidade de processamento da linfa no interior dos 
gânglios linfáticos, melhora as condições de absorção intestinal, melhora a atuação do 
sistema nervoso vegetativo, aumenta a captação de oxigênio pelos tecidos, fornece a 
nutrição celular pelo maior aporte sangüíneo, fornece a eliminação dos produtos finais 
resultantes do metabolismo tecidual, aumenta a absorção dos nutrientes e princípios ativos 
através do trato digestivo, aumenta a quantidade de líquidos a serem eliminados.(Winter, 
1973). 
 
 Em conseqüência de todos estes fenômenos temos: 
- Aumento do grau de hidratação e nutrição da célula, aumento da velocidade de 
cicatrização de ferimentos pelo aumento da vascularização arterial e venosa, aumento da 
capacidade de absorção de hematomas e equimoses, melhora do retorno de sensibilidade 
em cirurgias plásticas, diminuição de retenção de líquido nos tecidos prevenindo a 
formação de celulites, produz relaxamento. (Bassalobre, 2004). 
 
 A drenagem linfática manual é indicada em; 
- Linfedema primário e secundário, celulite, linfedema de braço posterior a mastectomia, 
edema pós-operatório e pós- traumáticos, problemas circulatórios, pós-cirurgia plástica, 
pós-lipoaspiração, sinusite, rinite e otite, enxertos, varizes e pernas cansadas, edemas da 
 
gravidez e síndrome pré-menstrual, enxaquecas, artrose, artrite e gota, 
tendinite;tratamento de acne e rosácea, envelhecimento cutâneo.(Winter, 1973; Guirro, 
2000) 
 
 As contra-indicações são: 
- Trombose venosa profunda, tromboflebites, erisipela,infecção aguda, neoplasias malignas 
e diagnosticadas em atividade, insuficiência cardíaca congestiva (descompensada), 
história de hipertensão arterial e sintomas vagotômicos, asma brônquica de evolução 
grave e crises freqüentes, arteriosclerose em processo avançado, hipertireoidismo.(Winter, 
1973; Guirro, 2000). 
 
OBJETIVO 
 
O presente estudo tem por objetivo identificar os principais efeitos da massagem de drenagem 
linfática manual em diversas patologias; assim como o índice de satisfação das pacientes. 
 
MATERIAIS E MÉTODOS 
 
Para a realização deste estudo foram selecionadas aleatoriamente 10 voluntárias. Aplicou-se 
um questionário com questões relacionadas ao tratamento realizado de drenagem linfática 
manual, verificando-se seu efeito em diversas patologias; dentre elas circulatórias, pós-
lipoaspiração e cirurgia plástica, pós-mastectomia, fibroedema genóide subcutâneo (celulite), 
e para alívio de estresse. O questionário continha de 12 questões relacionadas com a eficácia 
da massagem de drenagem linfática manual. 
 
RESULTADOS 
 Gráfico 1 Gráfico 2 
 Fonte: Pesquisa de Campo, 2004. Fonte: Pesquisa de Campo, 2004. 
Organização: Nadia Dias da Cunha Organização: Nadia Dias da Cunha 
 
Dentre os 10 entrevistados participantes desta pesquisa; 9 (90%) apresentaram a redução do 
edema, 6 (60%) apresentaram a melhora no grau de celulite, 3 (30%) apresentaram aumento 
da diurese e 3 (30%) a melhora no funcionamento do intestino, apresentada no gráfico 1. 
Dentre as pacientes que fizeram a massagem no pós-lipoaspiração e pós-cirurgia plástica, que 
eram em número de 5 (50%), todas apresentaram efeitos na redução da dor, redução do edema 
0
2
4
6
8
10
1
Efeitos da Massagem Manual de Drenagem Linfática em 
Diversas Patologias
Diminuição do
edema
Melhora no grau
de celulite
Aumento da
diurese
Melhora no
funcionamento do
intestino
0
2
4
6
1
Efeitos da Massagem no Pós-Lipoaspiração e Pós Cirurgia 
Pástica
Diminuição da dor
Diminuição do edema
Diminuição de
equimoses e
hematomas
 
e redução de equimoses e hematomas; apresentados no gráfico 2. Todas as entrevistadas 
ficaram satisfeitas com a massagem de drenagem linfática manual, porém as que 
interromperam o tratamento não atingiram todos os objetivos esperados. Estes resultados 
observados pelas pacientes entrevistadas foram observados dentro dos sintomas que cada uma 
apresentava; não significando que não houve sucesso nos outros sintomas apresentados pelas 
outras pacientes. 
 
DISCUSSÃO 
 
Analisando os questionários foi possível observar que a maioria das entrevistadas, 
apresentaram efeitos bastante satisfatórios com a ação da massagem de drenagem linfática 
manual corporal. Entretanto é necessário que se faça um tratamento contínuo em algumas 
patologias como pós-mastectomia radical que pode apresentar edema crônico devido à