A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Doenças Sexualmente Transmissíveis - Cancro Mole

Pré-visualização | Página 1 de 1

Priscila Behrens 2020.2 
Doenças Sexualmente Transmissíveis – Cancro Mole 
 
 
Sinônimos: Cancróide, Cancrela, Cancro Venéro Simples, Úlcera Mole, Ulcus 
Mole, Úlcera Venérea, Cancro ou Úlcera de Ducrey e, mais comumente 
chamado de Cavalo. 
 
Agente etiológico: Haemophilus ducreyi 
 
Microbiologia: 
• Cocobacilo Gram (-); 
• Período de incubação: 2-5 dias. 
 
Epidemiologia: 
• Íntima associação entre o cancro mole e a soropositividade para o HIV 
• Papel facilitador das úlceras genitais na transmissão do HIV; 
• Estima-se que mais de 10% dos pacientes com cancro mole apresentam-
se co-infectados com o Treponema pallidum (sífilis) e o HSV (herpes 
simples) 
 
Transmissão: 
• Exclusivamente por via sexual; 
• Necessita de uma solução de continuidade para a sua penetração; 
• Autoinoculação – lesões em dedos, conjuntiva etc.; 
• Faixa etária mais acometida: 20-30 anos; 
• Mais comum em homens (40 casos para 1 em mulher); 
• Risco de 80% de infecção. 
 
Manifestações Clínicas: 
• Lesões tipo pápulas que evoluem para pústulas > formando úlceras rasas, 
dolorosas, purulentas, com base granulomatosa facilmente sangrante, de 
borda irregular, cobertas por exsudato necrótico, amarelado e de odor 
fétido; 
• Após cerca de uma semana do aparecimento do cancro, 30-50% dos 
pacientes desenvolvem uma adenite inguinal satélite, conhecido como 
Bulbão; 
Sífilis X Cancro Mole: 
manifestações clínicas 
praticamente inversas. 
Priscila Behrens 2020.2 
o Unilateral; 
o Doloroso; 
o Que pode evoluir com supuração com orifício único. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Diagnóstico: 
• Clínico é o mais importante: úlcera genital dolorosa e adenopatia inguinal 
supurativa; 
• Métodos laboratoriais: 
o Exame direto das lesões: coloração de Gram ou Giemsa com o 
objetivo de identificar o H. ducrey na secreção da úlcera ou do 
aspirado do bulbão (o agente microscopicamente se distribui como 
um “cardume de peixe”); 
o Cultura; 
o PCR multiplex. 
 
Tratamento: 
• Esquemas mais utilizados: 
o Azitromicina, 1g, VO, dose única; 
o Azitromicina, 500mg, VO, por dia, durante 3 dias; 
o Ciprofloxacina, 500mg, VO, 12/12h, durante 3 dias; 
o Doxiciclina, 100mg, VO, 12/12h ou 200mg 1x ao dia, durante 7 
dias; 
o Eritromicina, 500mg, VO, 8/8h, durante 5-7 dias; 
o Tianfenicol 500mg, VO, 8/8h, durante 5-7 dias. 
BULBÃO INGUINAL