A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Apostila de Histologia - @Laravet.studies

Pré-visualização | Página 1 de 4

Tecido Conjuntivo, Tecido Cartilaginoso, Tecido Ósseo e Tecido Nervoso 
 
 
Por: Lara Vitória - @Larav.studies 
Tecido Conjuntivo 
O Tecido Conjunto é representado por células muito diversificadas na função e da sua 
origem. Essas células são encontradas no meio de muita matriz celular, da qual, sua 
composição também é bastante variável, sendo dependente do tipo de célula presente 
no tecido conjuntivo. 
Funções: 
Cada tipo de tecido conjuntivo possui as suas próprias células, na quais a sua matriz 
celular possui diferentes moléculas e fibras que definem as suas funções. Principais 
funções: 
 Da os nutrientes pras células de outros tecidos que não possuem vascularização 
(ex: Tecido Epitelial), facilitando a difusão dos nutrientes e gases entre o sangue e 
os tecidos; 
 Produz células sanguíneas na medula óssea; 
 Reserva energética nas células adiposas; 
 Preenche espaços entre os diferentes tecidos e estruturas; 
 Armazenamento de gordura e outros íons; 
 Proteção contra impactos. 
Células do Tecido Conjuntivo:
Fibroblastos: 
São células grandes e achatadas, com 
muitas projeções e ramificações. Estão 
presentes em vários tecido conjuntivos, 
sendo, na maioria das vezes, as 
célulamais numerosas. Quando esta 
realizando a síntese, ele fica mais 
alongado (fibroblasto), ficando entres as 
fibras que ele mesmo produz. Já quando 
está inativo, se transforma em 
fusiforme (fibrócito). Os fibroblastos 
fazem a síntese das fibras colágenas, 
das reticulares e das elásticas. 
 
 
 
 
 
No tecido conjuntivo do adulto, os 
fibroblastos não se dividem sempre. 
Elas só se dividem quando há lesões 
no tecido, levando a célula divisão 
celular – mitose 
Macrófagos: 
São desenvolvidos a partir dos monócitos 
(um tipo de glóbulo branco). Sua forma é 
irregular, com pequenas projeções 
ramificas. Eles podem englobar bactérias 
e resíduos celulares por fagocitose. 
Existem dois tipos de macrófagos, os 
fixos, que estão presentes em 
determinados tecidos (ex: macrófagos 
dos alveolares dos pulmões ou os do 
baço), e os migratórios, que se juntam 
em lugares onde há inflamações ou em 
infecções 
Mastócitos: 
Está em grande quantidade ao longo dos 
vasos sanguíneos que irrigam o tecido 
conjuntivo. Eles produzem a histamina, 
uma substância química que dilata os 
pequenos vasos como resposta 
inflamatória (reação do corpo a lesões e 
inflamações), e heparina, que é um anti-
coagulante fisiológico produzido por essas 
células. 
 
 
 
 
 
 
Plasmócitos: 
São células ovoides, apresentam grande 
quantidade de retículo endoplasmático 
rugoso e são responsáveis pela síntese 
de anticorpos (glicoproteínas produzidas a 
partir da penetração de moléculas 
estranhas no organismo). Os plasmócitos 
são encontrados em maior número em 
regiões mais suscetíveis à presença de 
substâncias estranhas e em locais de 
inflamações crônicas. 
Células Adiposas: 
As células adiposas são grandes, 
esféricas, apresentam núcleo periférico 
e são especializadas no armazenamento 
de gordura. São encontradas em pequena 
quantidade; quando em maior quantidade, 
formam o tecido adiposo, um tipo de 
tecido conjuntivo. 
Leucócitos: 
Os leucócitos (glóbulos brancos), são 
células de defesa do organismo. Eles 
migram do sangue para o tecido 
conjuntivo, onde são encontrados em 
pequena quantidade. Essa quantidade 
aumenta devido à ação de micro-
organismos. 
 
 
 
Na superfície dos mastócitos, são 
encontrados receptores específicos 
para imunoglobulina E (IgE), que 
são proteínas produzidas pelos 
plasmócitos e que atuam como 
anticorpos. Os mastócitos atuam 
nas reações imunes, alérgicas e 
inflamatórias. 
https://www.biologianet.com/anatomia-fisiologia-animal/anticorpos.htm
https://www.biologianet.com/biologia-celular/lipidios.htm
https://www.biologianet.com/histologia-animal/leucocitos.htm
Classificação: 
O tecido conjuntivo pode ser classificado, pela composição de suas células e matriz 
extracelular, como tecido conjuntivo propriamente dito (frouxo e denso) e tecido 
conjuntivo de propriedades especiais (adipso, hemotocipoético e os principais: cartilaginoso 
e ósseo) 
Tecido conjuntivo propriamente dito: 
Tecido conjuntivo frouxo Tecido conjuntivo denso 
 Consistência delicada, flexível e 
pouco resistente; 
 Possui os mesmos elementos estruturais encontrados no tecido 
frouxo, havendo predominância acentuada das fibras colágenas; 
 Presente em regiões adjacentes aos 
epitélios, exercendo a função de 
mantê-los nutridos por difusão 
 
 Há dois tipos de tecido conjuntivo denso: 
 Possui fibroblastos e macrófagos 
como as células mais comuns; 
Não – Modelado 
(fibroso) 
Modelado 
(tendinoso) 
 
 
 
 
 É o grande responsável pelo 
preenchimento de lacunas 
existentes entre fibras e feixes 
musculares, além de servir de apoio 
para os epitélios. 
Fibras colágenas ficam dispostas 
em feixes arranjados sem 
orientação fixa 
Apresenta feixes paralelos uns 
aos outros 
 Os feixes formam uma trama 
tridimensional, que confere 
certa resistência às trações 
exercidas em qualquer direção 
 Formados em resposta a 
trações exercidas em um 
determinado sentido 
 
 
 O tecido não-modelado pode 
ser encontrado, por exemplo, 
na derme profunda da pele 
 As fibras oferecem o 
máximo de resistência às 
forças que normalmente 
atuam sobre o tecido 
 O tecido modelado pode 
ser encontrado, por 
exemplo, nos tendões 
 
Principais tecidos conjuntivos de propriedades especiais: 
Tecido Cartilaginoso 
O tecido conjuntivo cartilaginoso tem origem 
embrionária mesodérmica. Ele possui 
características morfológicas parecidas com os 
tecidos de natureza conjuntiva, porque possui 
consistência rígida, dando suporte, 
revestimento de superfícies articulares, 
sustentação e modelagem. Esse tecido é divido 
em três tipos de cartilagens, nas quais, as 
células “condrócitos” estão em maior 
quantidade e uma matriz bastante 
especializada. Esse tecido é avascular (não 
possui vasos sanguíneos), por isso, a nutrição 
acontece por meio dos capilares do conjuntivo 
adjacente (pericôndio) ou a partir do líquido 
sinovial, presente nas articulações. Esse tecido 
também não possui vasos linfáticos e nervos, 
assim, a difusão de substâncias entre os vasos 
sanguíneos do tecido conjuntivo circundante e 
os condrócitos acontece por meio da matriz 
extracelular. Sua matriz é sólida e firme, 
possuindo macromoléculas de proteoglicanas, 
fibras colágenos (hialina), fibras elásticas e 
feixes colágenos (fibrosa). As cavidades dessa 
matriz apresentam-se ocupados pelos 
condrócitos (lacunas), podendo ser constituídas 
por um ou mais condrócitos. 
 
 
 
Tipos de tecidos cartilaginosos: 
Cartilagem 
Hialina 
Cartilagem Fibrosa 
(Fibrocartilagem) 
Cartilagem 
Elástica 
 Pode ser encontrado na 
formação inicial do feto e é 
precursora da ossificação 
endocondral; 
 Tecido de natureza 
morfológica intermediário, 
entre o conjuntivo denso e a 
cartilagem hialina; 
 Presença de fibras elásticas e 
lâminas de material flexível 
com fibrilas e substância 
fundamental (um dos 
componentes da matriz 
extracelular), morfologia que da 
a elasticidade necessária para 
compor regiões como o pavilhão 
auditivo 
 Em seu desenvolvimento e 
formação óssea, funciona 
como uma espécie de placa 
de crescimento que continua 
ativa enquanto o osso for 
crescendo de comprimento; 
 Possui feixes evidentes e de 
fibras de colágenos muito 
espessas 
 Esse tecido possui muita 
elástica, com isso, há uma 
predominância da cor amarela 
nesse tecido 
 Ele fica localizado na porção 
superficial das articulações, 
podendo também ser 
encontrado em unidades 
esqueléticas (ex: nariz, 
traquéia e laringe) e nas 
extremidades cartilaginosas 
costais (costelas). 
 
 Está presente nos discos 
intervertebrais, nos discos 
articulares do joelho, na 
sínfise púbica e em certas 
regiões de conexão,