A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Aula 2 - Diagnóstico laboratorial das anemias

Pré-visualização | Página 1 de 2

Diagnóstico laboratorial das anemias
· Eritropiese: acontece na medula óssea pela ação da eritropoietina. A eritropoietina é estimulada e chega na medula óssea e faz a proliferação das células precursoras dos heritrocitos que é o PRO-ERITROBLASTO. E ele perseguindo o processo transforma em eritroblasto basofilico é onde se inicia a formação da HB que vai se concentrando cada vez mais com a maturação do eritroplasto na medula óssea. Com isso, tem um aumento na concentração de HB e diminuição do NÚCLEO da célula e chega a um tamanho bem pequeno e no final excretado pela célula. 
Lembrando que o eritrócitos não tem núcleo, e o REP também será excretado e tera diminuição da coloração basofilica da célula. No final do processo, tem células imaturas ainda formando o RETICULÓCITO onde ainda existem estruturas que ainda não foram excretadas e reabsorvidos. 
A partir do momento que acontece a maturação chega na parte final de reticulócito com a excreção e reabsorção do núcleo, ele ira ser liberado para o sangue periférico. E no sangue periférico pode existir aumento de reticulocitos pela estimulação da medula óssea de maneira anormal. La no sangue será transformado em ERITROCITO.
Hemoglobulinização: armazenamento de eritropoietina no interior no eritrócito, síntese da HB. Para isso acontecer tem que ter a maturação que é feito pela vitamina B12 e folatos que terão a função principal de ambas são essencial para síntese de DNA, isso quer dizer que na suas ausência, não tera divisão das células precursoras pra formar o eritrócito. 
A hemoglobulinização que é a síntese de HB é necessário a presença de Fe. 
Pensando nisso, precisa de estimulo da eritropoietina, Fe e vitamina B12/folato consequentemente leva a um quadro de anemia. Nesse momento 
· Regulação da eritropoiese: 
- Estímulos para a produção: podendo ser percebida pelas baixas taxa de Hb, onde será sentida pela hipóxia, por hipovolemia e exercícios físicos intensos. 
- Controle clássico: A produção dos eritrócitos após o estimulo, a partir do momento da hipóxia consequentemente ocorre a produção de eritropoietina libera pelos RINS e pelo FÍGADO e com essa liberação estimula a medula óssea a produzir e liberar eritrócito no sangue periférico. Ou seja, a partir desse estimulo da eritropoietina a partir de 3-4 dias aumenta o números de eritrócitos e HB no seu interior. 
· Definição de Anemia: ela é um termo genérico que designa uma diminuição no numero de eritrócito no sangue periférico que pode estar ou não acompanhado ao baixo teor de HB. 
 Causas: carência de vitaminas B12/folato, deficiência de ferro, hemorragias agudas ou crônicas, hemólise (destruição de hemácias – doenças autoimune), doenças de crhon, doenças renais, aplasia (substituição da medula pelo tecido gordurosa que dificulta formação de células sanguíneas), mielofibrose, invasão neoplásica na medula, etc.
Para isso seria necessário descobrir a causa da anemia para designar um significado verdadeiro e qual o tipo de anemia estaria presente naquele paciente. 
· Hemograma completo -> Eritrograma:
A partir do eritrograma consegue-se avaliar no paciente:
- contagem de eritrócitos: numero absoluto dele no sangue periférico
- dosagem de HB: quando de Hb esta no interior do eritrócito.
- Determinação do hematócrito
- Índices Hematimeticos: de grande valor para avaliar um paciente anêmico 
1- VCM (volume corpuscular media)
2- HCM (hemoglobina corpuscular media)
3- CHCM (concentração de hemoglobina corpuscular media
4- RDW
- Leucograma e plaquetograma
OBS: é importante avaliar o hemograma e leucograma e plaquetas para fechar um diagnostico.
· DOSAGEM DE HB: no interior dos eritrócitos, para isso realiza a lise deles. 
· DETERMINAÇÃO DO HT: para que realiza, coleta uma amostra de sangue e coloca no capilar e centrifuga e determina o volume de eritrócito ocupado em uma amostra sanguínea. 
- Valores de referencia no eritrograma:
· Eritograma: índices hematimetrico
1- VCM: volume corpuscular médio que é o volume médios dos eritrócitos. Usadoo para classificar as anemias. Geralmente essa classificação em microcitica tera deficiência na produção de Hb e ter diferentes causas.
Classificação das anemias:
- Microciticas: VCM < 80 fL
- Normociticas: VCM 80 -100 fL.
- Macrociticas: VCM > 100 fL.
2- CHCM: concentração de Hb corpuscular media, avalia a concentração media de Hb nos eritrócitos.
Classificação: 
- Hipocromicas: deficiência a na produção de Hb.
- Normocropicas
3- HCM: hemoglobina corpuscular media, avalia a massa de HB presente, em media, nos eritrócitos. Esse tipo de índice não tem muito utilidade para o clinico, sua importância para o laboratório pensando em um indicador de controle de qualidade somente. 
4- RDW: analisa a variação no tamanha dos eritrócitos conforme a variação no seu tamanho (ANISOCITOSE). 
- VR: 11 – 16%
Quando alterado tem a necessidade de avaliação morfológica dessas hemácias para constatar as alterações presentes. 
Consequentemente segue para uma avaliação morfológica dos eritrócitos.
5- AVALIAÇÃO MORFOLOGICA DOS ERITROCITOS: 
 Tamanho: normocitica, macrocitica e microcitica. 
 Anisocitose: variação no tamanho do eritrócito (RDW). Onde os eritrócitos jovens são maiores, enquanto os mais velhos são menores. No entanto quando encontra uma grande quantidade de hemácias com tamanho menor ou maior deixa de ser normalidade.
 Coloração: onde avalia o conteúdo da Hb e podemos encontrar hemácias normocromicas, hipocromicas (ferropenia e talassemias) e hipercromicas (Esferocitos – esse eritrócito tem um defeito na membrana e ele apresenta uma quantidade normal de Hb mas sua alteração morfológica é facilmente lesado pelo interior dos capilares).
Essa hipocromia tem uma classificação de 1+ ate 4+. Isso denota ausência ou pouca concentração de hemoglobina e menor será a condução de oxigênio pela hemácia. 
 Policromasia: reconhecimento de reticulocitos (células imaturas que podem ser liberadas no sangue periférico). Eles vão apresentar a policromasia que é uma coloração que varia de rose a azulado devido a presença do RNA que ainda não foi excretado ou reabsorvido e não se tornaram eritrócitos maturos. Quando é aumentado tem um estimulo aumentado na medula óssea.
 Forma: alterações na forma dos eritrócitos (poiquilocitose), em condições anormais. Alterações pela produção, formação do tipo de Hb, presença de uremia, has e etc, podem formar de uma hemácia disforme. 
Dacriocitos = talassemias 
Drepanocitos = anemia falciforme 
Eliptocitos = anemia megaloblástica
Codocitos = eritrócito parecendo células em alvo. Devido a alteração de Hb no seu interior. É encontrado em paciente de talassemias, icterícia obstrutiva e doença hepática. 
Estômatos = neoplasias, possuem membrana fragilidade que favorece um quadro de anemia. 
Acantocitos = encontrado em paciente com doença hepática, anemia hemolítica e pacientes que apresentam que removeu o baço. 
 Inclusões citoplasmáticas: 
- o corpúsculo de Howell-Jolly (fragmento de DNA onde geralmente deve ser encontrado só na medula óssea, e quando presente no sangue periférico é removido pelo baço) encontrado em paciente com alterações no baço, ou fizeram sua remoção ou então paciente que apresentam eritropoiese extra medular. 
- Pontilhado basófilo: indica presença de talassemias, intoxicação por chumbo, Hb instáveis, Anemias hemolíticas.
- Corpusculo de Pappenheimer (siderossoma)
- Anel de Cabot: indica um remanescente do fuso mitótico, geralmente não é encontrado no sangue periférico e geralmente esta associado a anemia megaloblástica relacionada a neoplasias. 
· Classificação das anemias: 
Anemia relativa: massa total de hemácias normais, onde pode ser causas por distúrbios na regulação do volume plasmático e não desordens hematológicas. 
Anemia absoluta: anemia verdadeira; percebe uma redução na concentração total de Hb, assim como redução na massa de eritrócitos circulantes. 
De acordo a resposta medular, as anemias podem ser:
- Regenerativa: respondem EPO, só estimulo de eritropoietina ele consegue produzir eritrócitos. Nesse caso