A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
58 pág.
direito tributário

Pré-visualização | Página 8 de 9

(COFINS) 
 
 Alíquotas: 
 Regime Cumulativo – 0,65% (PIS), 3% (COFINS), 3,65% (PIS/COFINS) 
 Regime não Cumulativo – 1,65% (PIS), 7,6% (COFINS), 9,25% 
(PIS/COFINS) 
 
f) PIS/COFINS (Importação) 
 Fundamento constitucional – art. 195, IV, CF 
 Fundamento legal – Lei 10.865/04 
 
 Fato Gerador: entrada de bens estrangeiros no território nacional ou 
pagamento, crédito, entrega ou remessa de valores a residentes ou 
domiciliados no exterior, como contraprestação por serviço prestado 
 
 Base de Cálculo: valor aduaneiro que servir de base de cálculo do 
Imposto de Importação e valor pago, creditado, entregue, empregado 
ou remetido para o exterior, antes da retenção do IR 
 
 Alíquotas – 1,65% (PIS-importação), 7,6% (COFINS-importação) 
 
 Sujeito Passivo: importador, PF ou PJ, que promova a entrada de bens 
estrangeiros no território nacional ou contrate serviços de residente ou 
domiciliado no exterior 
 Sujeito Ativo: União 
 
 
g) CLL 
 Fundamento constitucional – art. 195, I, “c”, CF 
 Fundamento legal – Lei 7.689/88; art. 28, Lei 9.430/96 
 
 Fato Gerador: auferimento de lucro 
 
 Base de Cálculo: 
 Lucro – resultado do exercício, antes da provisão para IR (Regime do 
Lucro Real) e 
 Percentual sobre a receita bruta (Regime do Lucro Bruto) 
 
 Alíquotas – 9%, 15% de IRPJ + adicional de 10% sobre a parcela de 
lucro real que ultrapasse R$20.000,00 por mês ou R$240.000,00 por ano 
 
 Sujeito Passivo: empregador, empresa e equiparados 
 Sujeito Ativo: União 
 
h) Contribuição Previdenciária dos Trabalhadores 
 Fundamento constitucional – art. 195, II, CF 
 Fundamento legal – Lei 8.212/91; Decreto 3.048/99 
 
 Fato Gerador: remuneração paga ou creditada pelos serviços 
prestados pelo segurado 
 
 Base de Cálculo: salário de contribuição (remuneração mensal 
auferida em uma ou mais empresas) 
 
 Alíquotas – de 8% a 11% 
 
 Sujeito Passivo: trabalhador (segurado empregado, inclusive 
doméstico e avulso) 
 
 
 Sujeito Ativo: União 
 
i) Contribuição sobre Receita de Loterias 
 Fundamento constitucional – art. 195, III, CF 
 Fundamento legal – Lei 8.212/91; Decreto 3.040/99 
 
 Fato Gerador: auferir receita de concurso de prognóstico 
 
 Base de Cálculo: receita líquida (total da arrecadação) ou receita 
bruta (movimento global de apostas de concurso de prognósticos) 
 
 Sujeito Passivo: entidade que realiza o concurso de prognóstico 
 Sujeito Ativo: União 
 
Contribuições Sociais Gerais 
a) Salário-Educação 
 Fundamento constitucional – art. 212, §5º, CF 
 Fundamento legal – art. 15, Lei 9.424/96 
 
 Fato Gerador: pagamento de remuneração aos segurados 
empregados 
 
 Base de Cálculo: total das remunerações pagas ou creditadas, aos 
segurados empregados 
 
 Alíquotas – 2,5% 
 
 Sujeito Passivo: empresa 
 Sujeito Ativo: União 
 
 
 
b) Contribuições ao Sistema “S” 
 Fundamento constitucional – art. 240, CF 
 Fundamento legal – DL 4048/42 (SENAI); DL 9403/46 (SESI) 
 
 Fato Gerador: folha de salários 
 
 Base de Cálculo: total das remunerações pagas ou creditadas, aos 
segurados empregados 
 
 Alíquotas – 1% (SENAI), 1,5% (SESI), 1% (SENAC), 1,5% (SESC) 
 
 Sujeito Passivo: empresa 
 Sujeito Ativo: União 
 
 Abrange: SESC, SENAC, SESI E SENAI 
 
CIDE 
 Fundamento constitucional – art. 149, CF 
 “São tributos que se caracterizam por haver uma ingerência da União 
sobre a atividade privada, na sua condição de produtora de 
riquezas[...]” 
 
a) CIDE-Combustíveis 
 Fundamento constitucional – arts. 149 e 177, §4º, CF 
 Fundamento legal – Lei 10.336/01 
 
 Fato Gerador: operações de importação ou comercialização no 
mercado interno, de petróleo e seus derivados, gás natural e seus 
derivados, e álcool combustível 
 
 
 
 Base de Cálculo: unidade de medida legal para os produtos 
importados e/ou comercializados no mercado interno 
 
 Alíquotas – alíquotas específicas (e não ad valorem), podendo ser 
diferenciados por produto ou uso 
 
 Contribuintes: produtor, formulador e importador, PF ou PJ, que realizar 
operações de importação e de comercialização, no mercado interno, 
nos diversos combustíveis 
 
b) CIDE-Royalties 
 Fundamento legal – Lei 10.168/00 
 
 Fato Gerador: Ser pessoa jurídica 
 detentora de licença de uso ou adquirente de conhecimentos 
tecnológicos 
 que pagar, creditar, entregar, empregar ou remeter royalties, a 
qualquer título 
 signatária de contratos que impliquem transferência de tecnologia e 
que tenham por objeto serviços técnicos e de assistência administrativa 
 
 Base de Cálculo: valores pagos, creditados, entregues, empregados 
ou remetidos, a cada mês, a residentes ou domiciliados no exterior, a 
título de remuneração decorrente das obrigações assumidas pelos 
contribuintes 
 
 Alíquotas – 10% 
 
 
 
 
 
 
 
a) IPVA 
 Tributação de Patrimônio 
 Fundamento constitucional – art. 155, III, CF 
 Fundamento legal – Lei 8.115/85 (RS) 
 
 Fato Gerador: propriedade de veículo automotor de qualquer 
espécie 
 
 Base de Cálculo: valor médio de mercado dos veículos automotores 
 
 Alíquotas – diferenciadas em função do tipo e utilização – art. 155, §6º, 
II, CF 
 RS – Lei 8.115/85: 3% (automóvel ou caminhoneta); 1% (caminhões); 
1% (veículos de locadoras de veículos); 3% (veículos motor-casa) 
 
 Sujeito Passivo: 
 Proprietário de veículos automotores sujeitos a registro e/ou 
licenciamento em órgão federal, estadual ou municipal, no RS 
 Devedor fiduciante ou possuidor direto 
 Proprietário de aeronave cujo aeródromo situar-se no RS 
 Sujeito Ativo: Estados e DF 
 
 Isenções no RS – art. 4ª, Lei 8.115/85: 
 Proprietários de máquinas agrícolas e de terraplanagem, tratores 
 Veículos fabricados há mais de 20 anos 
 Portadores de deficiência física, visual, mental severa ou autista 
 Táxi 
 Ônibus e lotação 
 Veículos usados no transporte escolar 
 
 
b) ITCMD 
 Tributação do Patrimônio 
 Fundamento constitucional – art. 155, I, CF 
 Lei 8.821/89 (RS) 
 
 Fato Gerador: transmissão não onerosa ou causa mortis da 
propriedade de quaisquer bens e transmissões (cessões) de direitos em 
decorrência de falecimento do titular ou transmissão e cessão gratuitos 
 
 Base de Cálculo: valor venal dos bens ou direitos transmitidos e da 
doação 
 
 Alíquotas – poderá ser progressiva em função do quinhão que cada 
herdeiro receber – máxima de 8% (Res. 09/92, Senado) 
 RS: 
 Doação – 3% (até R$188.094,00); 4% (acima de R$188.094,00) 
 Transmissão causa mortis: 
 0% (até R$37.618,80) 
 3% (acima de R$37.618,80 até 188.094,00) 
 4% (acima de R$188.094,00 até R$564.282,00) 
 5% (acima de R$564.282,00 até R$940.470,00) 
 6% (acima de R$940.470,00) 
 
 Sujeito Passivo: herdeiro ou legatário e qualquer das partes envolvidas 
em doação 
 Sujeito Ativo: Estados e DF 
 
c) ICMS 
 Tributação do consumo – Circulação de mercadorias e serviços 
 Fundamento constitucional – art. 155, II, CF 
 
 
 Fundamento legal – Lei 8.820/89 e Decreto 37.699/97 (RS); LC 87/96; LC 
24/75 
 
 Fato Gerador: circulação de mercadorias ou prestação de serviços 
interestadual ou intermunicipal de transporte e de comunicação 
 
 Base de Cálculo: valor da operação ou preço do serviço de transporte 
 
 Alíquotas: 
 18% (operações internas – RS) 
 7% ou 12% (se destinado ao consumidor final) 
 7% (se destinado ao contribuinte que dará continuidade ao ciclo 
produtivo) 
 
 Sujeito Passivo: prestador de serviço, PJ ou PF 
 Sujeito Ativo: Estados ou DF em que se iniciou a efetiva prestação do 
transporte 
 
 Princípio da Seletividade – art. 155, §2º, III, CF 
 Substituição Tributária – Antecipação e Diferimento 
 
a) IPTU 
 Fundamento constitucional – art. 156, I, CF 
 Fundamento legal – CTN; Lei 10.257/01 (Estatuto da Cidade) 
 
 Progressividade: 
 Extrafiscal (cunho regulatório)