A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
PROVA FINAL ANATOFISIOLOGIA

Pré-visualização | Página 1 de 1

Disciplina:
	Anatomorfofisiologia do Sistema digestório, endócrino, urinário e reprodutor (17493)
	Avaliação:
	Avaliação Final (Discursiva) - Individual Semipresencial ( Cod.:655754) ( peso.:4,00)
	Prova:
	26107736
	1.
	A síntese e a decomposição do glicogênio são fundamentais não só para a armazenagem de energia, mas também para manter o equilíbrio metabólico por homeostase da glicose. Nos seres humanos, a faixa normal para a concentração de glicose no sangue é de 70 a 110 mg/100 mL. Visto que a glicose é um combustível importante para a respiração celular e uma fonte essencial de esqueletos de carbono para a biossíntese, a manutenção de concentrações de glicose no sangue próximas dessa faixa normal é crucial. A homeostase da glicose depende predominantemente dos efeitos antagônicos (opostos) de dois hormônios: insulina e glucagon. Explique qual a relação entre a glicose, insulina e glucagon e indique o órgão responsável pela produção desses hormônios.
FONTE: Biologia de Campbell [recurso eletrônico] / Jane B. Reece ... [et al.]; [tradução: Anne D. Villela... et al.]; revisão técnica: Denise Cantarelli Machado, Gaby Renard, Paulo Luiz de Oliveira. - 10. ed.- Porto Alegre: Artmed, 2015. ( * Máximo 4000 caracteres )
Seu efeito é oposto o da insulina, o que reduz os níveis de glicose no sangue. O pâncreas libera glucagon quando o açúcar no sangue (glicose) cair muito baixo. O glucagon faz com que o fígado converta armazenados glicogênio em glicose, que é liberado na corrente sanguínea.
O pâncreas é requisitado a secretar insulina ou glucagon, dependendo da atividade metabólica a ser desenvolvida, utilizando energia das ligações químicas liberadas pelo catabolismo da glicose durante a respiração celular ou processo de fermentação lática.
O glucagon é um hormônio produzido pelas células alfa das ilhotas de Langerhans que provoca um aumento da glicemia. O alvo primário desse hormônio é o fígado onde ele estimula a gliconeogênese (síntese de glicose) e o catabolismo do glicogênio (quebra do glicogênio, que é um polímero de moléculas de insulina).
	2.
	Muitas vezes temos intervalos longos entre as refeições e não necessitamos que o sistema digestório esteja continuamente ativo. Em vez disso, cada etapa no processamento é ativada à medida que chega a um novo compartimento no canal alimentar. A chegada do alimento desencadeia a secreção de substâncias que promovem o próximo estágio da digestão química, bem como contrações musculares que impulsionam o alimento ao longo do canal. De modo semelhante, a chegada do alimento no estômago desencadeia o revolvimento e a liberação de algumas substâncias. Quais são essas substâncias liberadas quando o bolo alimentar chega no estômago? E qual o seu papel na digestão?
FONTE: CAMPBELL, N. A.; REECE, J. B.; URRY, L. A.; CAIN, M. L. Biologia. 8. ed. Porto Alegre: Artmed. ( * Máximo 4000 caracteres )
 R; A S aleva, quimo, suco gástrico, pepsina, ácido clorídrico, suco entérico, suco pancreático , bile e o quilo.
 R; O quimo é o produto formado após a digestão do alimento no estômago. O alimento, mais corretamente chamado nessa fase de bolo alimentar, chega ao estômago pelo esôfago. Nesse momento, o alimento já sofreu a ação da saliva e da digestão mecânica realizada pelos dentes.
 No estômago, o bolo alimentar sofre a ação do suco gástrico. Essa substância, produzida por células do estômago, apresenta, principalmente, a enzima digestiva chamada de pepsina, que quebra as ligações peptídicas das proteínas. Além dessa enzima, existe ainda a presença de ácido clorídrico no suco gástrico, um ácido que, além de ter uma função antisséptica, garante a ação da pepsina.
 Quando chega ao intestino delgado, o quimo sofre a ação de diferentes substâncias, como o suco entérico, suco pancreático e a bile. Todos esses produtos alteram as propriedades do quimo, que passa a receber o nome de quilo nessa fase.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.