A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Histologia da orelha

Pré-visualização | Página 2 de 2

e eferentes que fazem parte do nervo vestibulococlear. A parte vestibular se liga a mácula enquanto a coclear se liga no órgão de Corti. 
Essas células sensoriais, como dito anteriormente, apresentam dois subtipos. Todas as duas apresentam microvilos e um cílio verdadeiro e em sua base há o contato com os axônios provenientes do nervo vestibulococlear. A forma delas pode variar, a do tipo 1 apresenta uma forma mais caliciforme a do tipo 2 apresenta uma forma mais alongada. Além dessas células sensoriais, intercaladas a elas, existem as células de suporte. Essas células de suporte, dentre as várias funções que possuem, elas produzem uma membrana gelatinosa denominada membrana otolítica. Essa membrana cobre essas células sensoriais sobre ela ficam repousando cristais de carbonato de cálcio que são chamados de otólitos, otocônios ou estatocônios. 
 	Não é toda a extensão que apresenta esse arranjo com as células sensoriais, apenas na mácula. O restante da parede apresenta um epitélio simples que varia de cúbico a pavimentoso. Dentro do canal membranoso passa a endolinfa. Esse líquido passa acima dessa membrana otolítica sem bagunçar a disposição dos otólitos, apenas movimentando-a. Nesse balanço ocorre a flexão dos cílios e dos estereocílios o que estimula a abertura dos canais. A função dos cristais é a percepção da gravidade.
O cílio verdadeiro e os estereocilios são diferenciados a partir de sua ultraestrutura. Os cílios verdadeiros apresentam 9 pares de microtubulos periféricos e um par central. A ultraestrutura dos estereocilios apresenta filamentos de actina. 
	Os estereocilios e os cílios verdadeiros, tanto nas máculas quanto nas cristas ampulares – nas áreas sensoriais, são ligados por pontes proteicas (microscopia eletrônica). Isso faz com que todas as especializações fletam para o mesmo lado, ou a favor do cílio ou contra o cílio. Isso confere o processo de transdução e está relacionado com os processos de excitação e inibição. Em momentos que fazemos movimentos rotatórios, uma orelha está sob estímulo excitatório e outra em inibitório. 
	Nos canais semicirculares, no interior de sua estrutura óssea, encontra-se o ducto semicircular que é a estrutura membranosa. No próprio canal semicircular, existe uma área mais dilatada que é chamada de ampola. A área da membrana, da porção membranosa, dilatada é chamada de crista ampular. Existem 3 cristas ampulares e nessas regiões encontramos as áreas sensoriais. Nessas cristas ampulares também haverá a presença de células sensoriais e de suporte. Essas células sensoriais também serão cobertas por uma membrana glicoproteica denominada cúpula.
Essa cúpula ocupa quase toda a dimensão da ampola e se observa que só na região da crista ampular que há essa especialização, o resto do epitélio é simples e apavimentoso e reveste todo o canal. Dentro dessa cavidade circula a endolinfa a qual irá movimentar a cúpula e causar a movimentação dos estereocílios e dos cílios verdadeiros. 
O ducto coclear ou rampa média é um canal de fundo cego. A rampa vestibular se continua com a rampa timpânica, dando continuidade ao fluxo de perilinfa. Esse local que permite essa continuidade é chamado de helicotrema. Quando o estribo pressiona a janela oval, cria ondas na perilinfa e segue no sentido rampa vestibular, passa pelo helicotrema e pela rampa timpânica. Quando isso acontece, ocorre movimentação da parede membranosa do ducto coclear. 
	Ainda sobre a escala média, em sua estrutura existe uma membrana basilar que é onde estão apoiadas as células sensoriais e as de suporte e que ainda suporta o órgão de Corti. Acima, tem-se a membrana tectorial (produzida por células interdentadas) que é mais rígida e proteica que se correlaciona com as células sensoriais internas (tipo 1) e externas (tipo 2). As células sensoriais auditivas não apresentam cílio verdadeiro, apenas estereocílios em ordem crescente de tamanho. Essas células sensoriais não tocam a membrana basilar, apenas as de suporte que irão de correlacionar (algumas) com as sensoriais. No órgão de Corti existem subtipos de células de suporte, sendo a mais importante delas a falângica – a que se correlaciona com as sensoriais. 
	Existe uma região na rampa média, na parede lateral, que apresenta um grupo de células que forma a estria vascular. Nessa área o epitélio é estratificado e vascularizado (único epitélio do corpo) e um dos tipos de células desse epitélio está relacionado com a produção da endolinfa. 
OBS: TONOTOPIA → Cada som é percebido em determinado segmento do órgão de Corti. Existem áreas para sons agudos e áreas para sons mais graves. 
OBS 2: SURDEZ NEURAL → Causada por algum problema nas células sensoriais ou nos nervos.