A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Módulo DRAMA - Problema 1 - Leptospirose Fisiopatogenia, Diagnóstico, Quadro Clínico, Tratamento

Pré-visualização | Página 3 de 3

Primeira amostra não reagente (fase aguda) e segunda (no máximo 60 dias depois) com título maior ou igual a 1:200
	Aumento de 4x ou + da microaglutinação entre duas amostras sanguíneas coletadas com no máximo 60 dias
	Se não puder realizar duas amostras, um título maior que 1:800 na microaglutinação fecha diagnóstico
	Isolamento da Leptospira ou detecção do DNA de leptospira patogênica por PCR
	Imuno-histoquímica + para leptospirose nos tecidos lesados em pcts suspeitos que evoluíram para ÓBITO (?)
Cultura – o agente da leptospirose pode ser isolado no SANGUE OU NO LÍQUOR nos primeiros 7 dias (leptospiremia) – possui SENSIBILIDADE DE 50%, sendo reduzida assim pelo descuido no transporte do material / devem ser feitas 3 COLETAS e mantidas em ambiente escuro e de temperatura ambiente até encaminhamento para lab. / a CULTURA DE URINA pode ser positiva da SEGUNDA SEMANA EM DIANTE
Exames Sorológicos – são os MAIS UTILIZADOS – principais métodos: macroaglutinação, microaglutinação, hemaglutinação indireta e ELISA – como a sorologia busca a presença de ANTICORPOS, NENHUM TESTE COSTUMA SER POSITIVO NOS PRIMEIROS 7 DIAS!!!! Positividade na fase IMUNE (né) / o PADRÃO OURO É O TESTE DA MICROAGLUTINAÇÃO (especificidade > 97%), porém muito difícil achar um local que o realize / o teste ELISA é o mais disponível / a MACROAGLUTINAÇÃO é barato e fácil, baseia na reação de aglutinação macroscópica em placa após adição do SORO DO PCT + L. INTERROGANS MORTOS baixa especificidade
DD
· Fase precoce: dengue, influenza (síndrome gripal), malária, riquetsioses, doença de Chagas aguda, entre outras.
· Fase tardia: hepatites virais agudas, dengue hemorrágico, hantavirose, febre amarela, malária grave, febre tifoide, endocardite, riquetsioses, doença de Chagas aguda, pneumonias, pielonefrite aguda, apendicite aguda, sepse, meningites, colangite, colecistite aguda, coledocolitíase, esteatose aguda da gravidez, síndrome hepatorrenal, síndrome hemolítico-urêmica, outras vasculites incluindo lúpus eritematoso sistêmico, entre outras.
Tratamento
	Forma Anictérica
	Forma Ictérica-Hemorrágica
	Amoxicilina 500mg VO 8/8h, 5-7 dias
	Penicilina cristalina 1,5 milhões de UI IV, 6/6h
	Doxicilina 100mg VO 12/12h, 5-7 dias
	Ceftriaxone 1-2g IV a cada 24h
	Doxicilina é contraindicada para gestantes, <9 anos, insuficiência renal ou hepática
	Se alergia a betalactâmicos, Azitromicina 500mg IV a cada 24h
O tto com antibiótico tem como principais objetivos REDUZIR A INTENSIDADE E DURAÇÃO DOS SINTOMAS + REDUZIR A MORBIMORTALIDADE DA FORMA GRAVE – deve ser iniciada o quanto antes e, de preferência, nos primeiros 5 dias dos sintomas (fase de leptospiremia)
Na fase grave, as medidas de suporte são fundamentais, incluindo HIDRATAÇÃO VENOSA para repor volemia, REPOSIÇÃO DE POTÁSSIO e ACOMPANHAMENTO DA FUNÇÃO RENAL E PULMONAR / Quando evolui para IRA, terapia de SUBSTITUIÇÃO RENAL PRECOCE = hemodiálise ou diálise peritoneal / Pcts que evoluem para HEMORRAGIA ALVEOLAR e INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA devem ser INTUBADOS e colocados em PRÓTESE VENTILATÓRIA, com estratégia de ventilação protetora!

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.