A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Roteiro Cinesiologia Palpação

Pré-visualização | Página 2 de 4

– Na face dorsal da mão. 
 8 
AULA 3 - PALPAÇÃO DA PELVE 
 
 
Músculos Glúteos 
– Glúteo máximo, médio e mínimo. 
– Originam-se do íleo e inserem-se no fêmur. 
 
 Procedimento 
– DV: palpar usando forte pressão, começando imediatamente lateral ao sacro 
e movendo-se no sentido do trocânter maior do fêmur. 
 
Músculo Piriforme 
– Localização: bissecionar a distância entre a extremidade do cóccix e a EIPS 
– esta linha será o bordo inferior do piriforme. 
– Origina do sacro e insere no trocânter maior fêmur. 
 
 Procedimento 
– Palpar o músculo, observando qualquer dor à palpação ou espasmo. 
 
Nervo Ciático 
– Composto de raízes nervosas de L4, L5, S1, S2, S3. 
– O nervo corre através do forame ciático maior da pelve através do glúteos e 
embaixo do piriforme. 
 
 Procedimento 
– Começando a meio caminho entre o trocânter maior e a tuberosidade 
isquiática, palpar o nervo ciático e acompanhá-lo até a extremidade inferior, 
tanto quanto possível. 
 
 
 
AULA 3 - PALPAÇÃO DA SACROILÍACA 
 
 
Espinha Ilíaca Póstero-superior e Crista Ilíaca 
– Importantes marcos ósseos usados para avaliar desvios posturais e 
deficiências de comprimento das pernas. 
 
 Procedimento 
– Em pé, palpar a crista ilíaca. 
– Colocar seus dedos indicadores sobre cada crista ilíaca e os seus polegares 
sobre as EIPS de cada ílio. 
 
 
Articulações Sacroilíacas 
 
 Procedimento 
 
– DV, flexionar o joelho a 90º e rodar externamente o quadril. 
 9 
– Com sua mão oposta, palpar a articulação sacroilíaca desde imediatamente 
abaixo da EIPS até a incisura sacra. 
 
Tuberosidade Isquiática 
– Localizada abaixo da dobra glútea. 
 
 Procedimento 
 
– DL, flexionar a coxa trazendo o joelho ao tórax. 
– Palpar a tuberosidade, observando qualquer do espontânea ou à palpação. 
 
 
 
AULA 3 - PALPAÇÃO DO QUADRIL 
 
 
EIAS 
 
 Procedimento 
– Palpar a crista ilíaca na margem inferior do flanco a partir da frente; a partir 
de trás, o seu ponto mais alto fica ao nível do processo espinhoso de L4. 
 
– EIAS: na extremidade terminal anterior da crista ilíaca (fixa o mm sartório). -
> DD ou em pé. 
 
Trocânter Maior 
– Localizado aproximadamente 10 cm inferior e lateral à EIAS. 
– Fixa os mm glúteos médio e mínimo, vasto lateral, além da bolsa 
trocanteriana residir sob estes mms. 
 
 Procedimento 
– DV: abduzir levemente a coxa e palpar o trocânter maior. 
 
Articulação do Quadril 
 
– Difícil de palpar por se situar na profundidade do corpo. 
 
– A palpação do tecido circundante pode se um melhor indicador de patologia 
da desta articulação. 
 
Músculo Tensor da Fáscia Lata 
– Localizado no lado ântero-lateral da coxa. 
– Origina na crista ilíaca e insere-se no trato iliotibial que se fixa no epicôndilo 
lateral da tíbia. 
 
 Procedimento 
– DL sobre o lado não afetado, palpar o mm para baixo desde logo abaixo da 
EIAS, sobre o trocânter maior até a face lateral do joelho. 
 
 
 10 
AULA 4 - PALPAÇÃO DO JOELHO 
 
 
Patela, Tendão do Quadríceps da Coxa e Ligamento Patelar 
 
 Procedimento 
– DD e joelho estendido: palpar a patela e suas margens. 
– Palpar o tendão do quadríceps. 
– Palpar o ligamento patelar. 
 
 
Bolsa Anterior do Joelho 
– Bolsas: supra-patelar, pré-patelar, infra-patelar superficial e infra-patelar 
profunda. 
 
 Procedimento: DD e joelho estendido 
 
– Palpar a bolsa supra-patelar acima da patela. 
– Palpar a bolsa pré-patelar, superficialmente à patela. 
– Palpar as bolsas infra-patelares superficiais e profundas. 
 
 
Músculo Quadríceps da Coxa 
 
 Procedimento 
– Palpar a extensão inteira do músculo, observando qualquer intumescimento, 
dor à palpação, diferenças de temperatura ou massas. 
 
 
Ligamento Colateral Medial 
 
Sujeito: Na posição de sentado cruzar a perna de tal modo que o tornozelo apóie sobre o 
joelho do membro inferior oposto. Quando o joelho se encontra a 90º de flexão e a coxa 
em abdução e rotação externa, a banda iliotibial relaxa e o LLE torna-se saliente na região 
externa do joelho junto à interlinha articular. 
Examinador: Palpar o LCL na região externa do joelho seguindo a interlinha articular da 
articulação fêmoro-tibial. O ligamento apresenta-se transversalmente a esta linha. 
 
 
Ligamento Colateral lateral 
 
Sujeito: Na posição de sentado cruzar a perna de tal modo que o tornozelo apóie sobre o 
joelho do membro inferior oposto. Quando o joelho se encontra a 90º de flexão e a coxa 
em abdução e rotação externa, a banda iliotibial relaxa e o LLE torna-se saliente na região 
externa do joelho junto à interlinha articular. 
Examinador: Palpar o LCL na região externa do joelho seguindo a interlinha articular da 
articulação fêmoro-tibial. O ligamento apresenta-se transversalmente a esta linha. 
 
 
Tensor da fascia lata (TFL) 
 11 
 
Sujeito: Sentado no bordo da mesa (semi-sentado) e pés apoiados no solo, realizar um 
movimento combinado de flexão do joelho e abdução da coxa. O movimento de flexão do 
joelho é resistido pelo apoio do pé no chão, enquanto que a abdução da coxa é resistida 
pelo examinador. 
Examinador: Localizar a origem e ventre muscular do TFL ligeiramente à frente e ao 
nível do grande trocânter. O tendão distal pode ser localizado na região externa da coxa, 
perto do joelho (banda iliotibial). 
 
 
Menisco externo (parte). 
 
Sujeito: Na posição de sentado e joelho ligeiramente em flexão. 
Examinador: Pressionar firmemente com os polegares a porção ântero-externa de a 
interlinha articular fêmoro-tibial. 
 
 
Fossa Poplítea e Estruturas Associadas 
– Além dos músculos abaixo, encontram-se: nervo tibial posterior, artéria e 
veia poplíteas que cruzam a fossa poplítea. 
 
 Procedimento 
– DV: joelho ligeiramente flexionado, palpar a fossa quanto tumoração ou dor 
à palpação. 
– Palpar o tendão bíceps da coxa, semimembranoso e semitendíneo. 
 
 
 
AULA 4 - PALPAÇÃO DO TORNOZELO 
 
 
Músculo Tibial anterior 
Sujeito: sentado numa mesa com o joelho fletido e perna suspensa, faz dorsiflexão. 
Examinador: palpar o bordo interno da tíbia e logo para for a sentir o ventre do músculo 
contraído. 
 
 
Maléolo Medial e Ligamento Deltóide 
– Ligamento deltóide: ligamentos: tibiotalar anterior e posterior, 
tibiocalcaneano, tibionavicular. 
 
 Procedimento 
– DD sem sustentar peso, palpar o maléolo medial e o ligamento deltóide. 
 
 
Tendão Tibial Anterior 
 
 Procedimento 
– DD, inverter e flexionar plantarmente o pé do cliente. 
– Palpar medialmente a tíbia em torno do maléolo medial. 
 12 
Artéria Tibial Posterior 
– Principal suprimento sanguíneo do pé. 
– Ramo do nervo ciático. 
 
 Procedimento 
 
– DD, com leve pressão nos dedos médio e indicador, palpar a artéria 
posteriormente ao maléolo medial. 
 
Maléolo Lateral e Ligamentos Inseridos 
– Ligamentos: talofibular anterior e posterior, calcaneofibular. São menos 
resistentes que o ligamento deltóide. 
 
 Procedimento 
– DD: palpar o maléolo lateral com os dedos indicador e médio. 
 
Maléolo Medial e Ligamentos Inseridos 
– É uma estrutura óssea proeminente da tíbia localizada na região medial do 
tornozelo 
 
 Procedimento 
– DD: palpar o maléolo medial com os dedos indicador e médio. 
 
Tendão de Aquiles, Bolsa Calcaneana e Bolsa Retrocalcaneana 
 
 Procedimento 
 
– DV e tornozelo em posição neutra, palpar o tendão de Aquiles com o 
polegar e o indicador. 
– A seguir, colocar pressão de anterior para posterior sobre o tendão com o 
polegar. 
– Dor profunda ao tendão: bursite retrocalcaneana. 
– Dor sobre o tendão e embaixo da pele: bursite calcaneana. 
 
 
 
AULA 5 - PALPAÇÃO DO ESTERNO 
 
 
Esterno 
 
 Procedimento 
– Palpar a extensão completa do esterno quanto à dor