A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Ação Civil Públia (ACC)

Pré-visualização | Página 2 de 2

de 
forma expressa a concessão de liminares, nos termos do art. 12, do referido diploma legal: 
“Art. 12. Poderá o juiz conceder mandado liminar, com ou sem justificação prévia, 
em decisão sujeita a agravo. ” 
 Na hipótese dos autos é imperiosa a concessão da liminar, pois o 
aguardo pelo deslinde do processo poderá ocasionar danos ambientais irreparáveis. 
Quanto aos requisitos para a concessão da liminar – fumus boni juris e periculum in mora 
não há dúvida estarem os mesmos presentes, pois o primeiro decorre diretamente da 
construção irregular em área de preservação permanente, sendo necessária a d aplicação 
do princípio da precaução. 
 Desta forma a demolição do imóvel além de cessar os danos terá surtirá 
efeito didático, quanto a possibilidade de novas construções. 
 
V. DOS PEDIDOS 
Diante do exposto, o Ministério Público requer: 
 a) concessão de liminar para demolição imediata do imóvel; 
 b) citação dos requeridos, para querendo, responder e acompanhar os termos do presente, 
sob pena de serem considerados como verdadeiros os fatos alegados nesta peça; 
c) realização de perícia técnica a fim de confirmar a construção irregular e os danos por 
esta, causado ao meio ambiente; 
 d) condenação do requerido MUNICÍPIO DE LAGUNA – SC; 
 e) obrigação de fazer consistente em recuperar a área de preservação permanente 
degradada, nos limites das áreas de preservação permanente dos locais em questão, a fim 
de restaurar as condições ecológicas das áreas, nos termos do art.14, §1º da Lei 6938/81. 
f) condenação do MUNICÍPIO DE LAGUNA – SC em obrigação de fazer consistente 
em delimitar mediante cercamento das áreas de APPs afixando placas com o seguinte 
enunciado “ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE – ACESSO PROIBIDO”, a 
fim de esclarecer publicamente os limites da Zona de Restrição à Ocupação (Lei nº 
12248/98, Decreto-Lei nº 6314/06 e Lei Federal nº 4771/65), considerando os limites 
determinados na perícia técnica realizada na instrução processual; 
g) protesta-se, ainda, por todos os meios de provas que se fizerem necessários, inclusive 
depoimento pessoal dos representantes legais do requerido, prova pericial, documental e 
testemunhal. 
h) Seja julgada procedente a presente ação em todos os termos do pedido retro, 
condenando-se os requeridos ao ônus de sucumbência e demais cominações legais, 
inclusive honorários advocatícios, tudo a ser recolhido a PROMOTORIA DE JUSTIÇA 
DA COMARCA DO FORO DE LAGUNA – SC Fundo Estadual de Defesa aos Interesses 
Difusos (FEID), criado em atendimento a Lei Federal nº 7347/85 e Lei Estadual nº 
11.987/98, regulamentada pelo decreto nº 4620/98. 
Atribui-se à causa o valor de R$100.000,00 (cem mil reais), para os efeitos legais, por se 
tratar de direito difuso, de valor inestimável. 
Termos em que, 
pede deferimento. 
Laguna xxx, de xxx de xxx 
 
xxx 
Promotor de Justiça