A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Síndrome do intestino irritável

Pré-visualização | Página 1 de 1

Bruna Oliveira – 144 
Síndrome do intestino irritável 
• Distúrbio intestinal funcional caracterizado por dor ou desconforto abdominal e alteração da 
motilidade intestinal na ausência de anormalidades estruturais identificáveis 
• Diagnóstico clínico 
Manifestações clínicas 
• Característica clínica indispensável da SII 
• Intensidade variável 
• Exacerbada quando o paciente come ou passa por estresse emocional 
• Melhora com a eliminação de gases ou fezes 
• Agravamento no período menstrual 
• Característica mais consistente 
• Alternância entre constipação e diarreia (um dos dois predomina, podendo mudar ao longo do tempo) 
• A constipação inicialmente é episódica, mas acaba por se tornar contínua e refratária ao tratamento 
com laxantes 
• Sensação de evacuação incompleta 
• Fezes podem ser acompanhadas por grande quantidade de muco 
• Distensão abdominal e eructação 
• Baixa tolerância aos gases 
• Refluxo dos gases da parte distal para a proximal 
• Alteração no padrão diurno do ID 
• Dispepsia 
• Pirose 
• Náusea 
• Vômitos 
Fisiopatologia 
• Mais proeminentes após estímulo (até 3h da ingestão de alimentos) 
• Quando aumenta a distensão, aumenta a atividade contrátil 
• Disfunção aferente visceral 
• Respostas exacerbadas de intolerância ao alimento 
• Dor pós-prandial e melhora dos sintomas em jejum 
• Possíveis explicações: 
✓ Sensibilidade aumentada dos órgãos-alvo com recrutamento de nocipetores silenciosos 
✓ Hipersensibilidade espinal com ativação do NO e possivelmente outros neurotransmissores 
✓ Modulação endógena (cortical e centro cerebral) da transmissão nociceptiva caudal 
✓ Instalação da hiperalgesia a longo prazo, com desenvolvimento de neuroplasticidade 
• Associação da exacerbação dos sintomas com estresse emocional 
• Resposta terapêutica a tratamentos que atuam no SNC 
Bruna Oliveira – 144 
• Estimulação colônica distal provoca uma resposta no 
córtex singulado médio (atenção e seleção de respostas), 
que é mais ativada em pacientes com SII 
• SII tem uma ativação preferencial do lobo pré-frontal, 
induzindo a um estado de alerta 
• Acontecem em 80% dos casos 
• Não há predominância de Dx 
• Diminui os limiares de dor 
• Pode haver uma relação entre abusos sexuais/físicos e 
surgimento de SII 
• Reatividade motora aumentada devido a diversos estímulos, 
sugerindo uma desregulação entre o SNC e SNE 
• Pessoas que tiveram gastroenterite tem mais chance de 
desenvolver SII e vice e versa 
• Mulheres jovens 
• MO: Campylobacter (pior), Salmonella e Shigiella 
• Fatores de risco: 
✓ Duração prolongada da doença inicial 
✓ Toxicidade da cepa bacteriana 
✓ Tabagismo 
✓ Marcadores da mucosa de inflamação 
✓ Mulheres 
✓ Depressão, hipocondria 
✓ Eventos adversos da vida nos últimos 3m 
• Sinais persistentes de inflamação de baixo grau – contribui para a secreção epitelial e sensação álgica 
anormal (TRPV1) 
• Alta permeabilidade intestinal 
• Estresse emocional pode aumentar a liberação de citocinas pró-inflamatórias 
• Alteração da flora intestinal – supercrescimento bacteriano no ID? Alteração da flora pode estar 
relacionada com estresse e dieta 
• Vias anormais da serotonina – níveis plasmáticos pós-prandiais aumentados 
Anamnese 
• Critérios de Roma III 
 
• Avaliação da agressividade: 
 
✓ Duração dos sintomas 
✓ Mudança nos sintomas ao longo do tempo 
✓ Idade 
✓ Sexo 
✓ Estado do encaminhamento do paciente 
Esses dois mecanismos podem levar a 
uma disfunção que acarreta na 
percepção exacerbada da dor. 
ALVOS TERAPÊUTICOS 
GRAVE – psicológico-cognitivo (SNC) 
• Antidepressivos, psicoterapia, 
terapia comportamental, 
hipnoterapia... 
LEVE – Intestino, lúmen (SNE) 
• Antiespasmódico, antidiarreicos, 
modificação da dieta, 
suplementos com fibras e 
modulação da 5HT intestinal 
A FAVOR 
• Reincidiva da dor em baixo ventre 
• Alt. Do hábito intestinal ao longo do tempo, 
sem progressão 
• Início dos sintomas em período de estresse 
• Ausência de outros sintomas sistêmicos 
• Pequenos volumes fecais sem sangue 
CONTRA 
• Diarreia persistente após 48h em jejum 
• Evolução progressiva desde a 1ª 
manifestação 
• Início em idade avançada 
• Presença de diarreia noturna ou de 
fezes esteatorreicas 
Bruna Oliveira – 144 
✓ Exames diagnósticos prévios 
✓ História familiar de CCR 
✓ Grau de disfunção psicossocial 
Exames 
• Hemograma 
• Exame sigmoidoscópio 
• Amostra de fezes para pesquisa de parasitas 
• Biópsia de cólon sigmoide em casos de diarreia persistente 
• Enema ou colonoscopia quando tem mais de 40 anos 
• Investigação de intolerância a lactose 
• Achados contra SII: 
✓ Anemia 
✓ Velocidade de hemossedimentação aumentada 
✓ Presença de leucócitos ou sangue as fezes 
✓ Volume fecal > 200 a 300g/dia 
Tratamento 
• Excluir alimentos que agravam os sintomas – preferir dieta pobre em Oligossacarídeos, Dissacarídeos, 
monossacarídeos e poliois fermentéveis (FODMAP), pois eles aumentam a produção de gazes e carbo 
ativos 
• Fibras - Psyllium 
✓ Retém água – aumenta o volume fecal 
✓ Aceleram o trânsito colônico (em pacientes diarreicos elas retardam) 
✓ Impede a desidratação e acúmulo exacerbado de água nas fezes 
✓ Diminui a percepção de distensão fecal 
✓ Pode dar o efeito oposto 
• Farelos 
• Coloides hidrofílicos 
 
• Agentes anticolinérgicos 
• Diminui cólicas relacionadas com o espasmo intestinal 
• Prevenção da dor 
• Inibe o reflexo gastro-cólico – administrar 30min antes da refeição 
• Efeitos colaterais - beladona 
✓ Xerostomia 
✓ Hesitação 
✓ Retenção urinária 
✓ Visão embotada 
✓ Sonolência 
• Agentes opiáceos com atuação periférica 
• Terapia de escolha para SII-D 
• Efeitos: 
✓ Aumento das contrações colônicas de segmentação 
✓ Retardo o débito fecal 
✓ Aumento das pressões anais 
✓ Diminuição da percepção retal 
• Intestino não desenvolve tolerância 
• Mais efeito quando ingeridos próximos a eventos estressantes 
• Efeitos – tricíclicos (Imipramina) 
Usar com cuidado em idosos! 
Os sintéticos apresentam 
poucos efeitos colaterais. 
Bruna Oliveira – 144 
✓ Torna mais lenta a propagação jejunal 
✓ Retarda o trânsito orocecal e intestinal total 
✓ Podem atuar na função neural aferente visceral 
• Os ISRS aceleram o trânsito, sendo mais útil para SII-CI, mas ainda precisa de mais estudos 
• Quando há aerofagia (deglutição excessiva de ar) ou deficiência da dissacaridase 
• Comer lentamente, não mascar chiclete ou bebidas carbonadas 
• Exclusão de alimentos flatulogênicos 
• Exercício 
• Diminuição do peso excessivo 
• Ingestão de carvão vegetal ativado 
• Carece de mais estudos 
• Antagonistas – SII-D 
• Efeitos da 5Ht3: 
✓ Exacerba a sensibilidade dos neurônios aferentes 
✓ Estimula a peristalse 
✓ Relaxamento retal 
✓ Diminui a complacência retal 
• Antagonistas podem causar colite isquêmica 
• Agonistas são eficazes, mas causam efeitos CV graves 
• BUPRIONA 
• Secreção de cloreto induz a movimentação passiva do Na+ e H20 no lúmen e melhora a função do ID 
• LINACLOTIDE 
• Ativação da GC-C produz GMPc que ativa a secreção de líquido, Na+ e bicarbonato 
• Ação analgésica 
• Acelera o trânsito GI e diminui a nocicepção visceral 
• Efeito colateral – diarreia 
 
 
Referência – Medicina interna de Harrison 13ª ed.