A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Hepatites Virais

Pré-visualização | Página 2 de 2

• Anti-HBs 
✓ Indica imunidade contra o HBV 
✓ Detectado entre 1 a 10s após o 
desaparecimento do HBsAg 
✓ Indica bom prognóstico 
✓ Encontrado isoladamente em 
pacientes vacinados 
• HBeAg 
✓ Indicativo de replicação viral 
✓ Alta infectividade 
✓ Surge após o aparecimento do 
HBsAg e por durar até 10s 
✓ Na fase crônica, indica atividade da 
doença, aumentando as chances de 
evoluir para cirrose 
• Anti-HBe: 
✓ Bom prognóstico na hepatite 
aguda pelo HBV 
✓ Indica alta probabilidade de que 
não vai cronificar 
✓ Na hepatite crônica, sua 
presença indica ausência de 
replicação e menor probabilidade 
de desenvolver cirrose. 
Condição HBsAg 
Anti-
HBc 
Anti-
HBc 
IgM 
HBeAg 
Anti-
HBe 
Anti-
HBs 
Susceptível - - - - - - 
Incubação +/- - - - - - 
Aguda + + + +/- +/- - 
Fim da 
aguda/janela 
imunológica 
- + - - + - 
Crônica + + - +/- +/- - 
Curado - + - - + + 
Vacinado - - - - - - 
 
HCV 
• Anti-HCV: 
Casos de HBV em regiões com circulação de HDV 
(região amazônica) investigar HDV. 
Bruna Oliveira – 144 
 
✓ Indica contato prévio mas não 
distingue se ´é aguda, crônica ou 
curada 
✓ Diagnóstico de fase aguda só 
pode ser feito com viragem 
sorológica documentada 
(AntiHCV negativo fica positivo e 
HCV-RNA positivo) 
• HCV-RNA: 
✓ Primeiro marcador a aparecer 
entre 1 a 2s após a infecção 
✓ Confirma infecção crônica e 
monitora resposta ao 
tratamento. 
HDV 
• È um vírus defectivo e só consegue 
infectar se houver uma infecção pelo 
HBV. 
• Superinfecção: Infeção pelo HDV em um 
portador crônico de HBV 
• Co-infecção: Infecção simultânea pelo 
HBV e HDV em individuo susceptível 
FORMAS HBsAg AntiHBc 
Anti-
HBc 
IgM 
Anti 
HDV 
total 
Anti HBs 
Co-infecção + + + + - 
Superinfecção + + - + - 
Cura - + - +↓ + 
 
HEV 
• Presença de Anti-HEV igM ou conversão 
para anti HEV positivo 
Tratamento 
• Não existe tratamento específico 
• Tratamento sintomático para náuseas, 
vômitos e prurido 
• Repouso relativo até a normalização das 
aminotransferases 
• Ingestão de álcool suspensa por 6m 
• Realização de biópsia para avaliar 
necessidade de tratamento 
• Biópsia transcutânea é mais segura, 
dispensa anestesia geral e reduz 
custos. 
• Indicação de tratamento da HBV: 
✓ HBsAg + por mais de 6m 
✓ HBeAg + ou HBV-DNA > 30mil 
cópias/mL 
✓ ALT/TGP 2x acima da normalidade 
✓ Biópsia hepática indicando 
atividade inflamatória média a 
alta e/ou fibrose 
moderada/intensa 
✓ Ausência de contra indicação 
para o tratamento 
• Indicação para o tratamento da HCV: 
✓ Anti HCV + e HCV RNA + 
✓ ALT/TGP > 1,5x acima da 
normalidade 
✓ Biópsia hepática indicando 
atividade inflamatória média a 
alta e/ou fibrose 
moderada/intensa 
✓ Ausência de contraindicação ao 
tratamento 
• Fazer genotipagem para definir o tipo 
de tratamento e a duração 
Situação Droga Dose Via Duração 
HB IFN ou LMV 5MUI/dia ou 10 MUI 
3x/semana ou 
100mg/dia 
Sc e 
VO 
4m 
HC 1 IFN 
peguilhado 
+ RBV 
IFNp alfa2a 100 
ug/sem ou IFNp 
alfa2b 1,5 
ug/kg/sem + 11-
15mg/kg/dia 
SC e 
VO 
12m 
HC 2 ou 3 IFN + RBV IFN alfa2a ou 
alfa2b MUI 
3x/semana + 11-
15mg/Kg/dia 
Sc e 
VO 
6m 
Obs: RBV = ribavirina 
Prognóstico 
HBA 
• Geralmente paciente se recupera em 
3m 
• Há possibilidade de formas prolongadas 
e recorrentes, com aminotransferases 
elevadas por meses 
• Forma fulminante é rara 
• Quadro piora com a idade 
HBV 
• Bom prognóstico: paciente resolve a 
infecção em 95% dos casos 
• HBV em crianças tem mais chances de 
cronificar 
• Em portadores crônicos, o prognóstico 
depende da replicação viral 
HCV 
• Cronifica em 60 a 90% dos casos 
• ¼ evolui para forma grave em 20ª 
• Responsável pela maioria dos 
transplantes hepáticos no ocidente 
• Maior propensão para cirosse se uso de 
álcool concomitante 
HDV 
• Superinfecção cronifica muito mais que 
co-infecção 
• Co-infecção tem uma taxa maior de 
hepatite fulminante 
• Superinfecção tem uma evolução mais 
rápida para cirrose 
Tratamento da HDV é complexo e 
insatisfatório e deve ser feito em serviços 
de alta complexidade 
Bruna Oliveira – 144 
 
HEV 
• Mais grave em gestantes, podendo 
apresentar casos fulminantes 
• Taxa de mortalidade 25% em gestantes, 
mas também causa abortametos e 
morte-intrauterina 
 
 
 
 
Imunização 
HAV 
• Indicada apenas em casos especiais, 
ccmo Hepatopatas susceptíveis. 
• Bem tolerada e altamente imunogênica 
• 30d após a primeira dose já há anti-HAV. 
HBV 
• Constituida com o Ag de superficia do 
HBV 
• Alta imunogenicidade na maior parte da 
população 
• Esquema: 0-1-6m, IM no deitoide e na 
regiõ anterolateral da coxa em menores 
de 2a 
• Não há contra-indicação para vacina na 
gestação e durante o aleitamento 
materno 
Conduta na exposição ao HBV 
IGHAHB + vacina 
• Vitimas de abuso sexual: aplicar o mais 
precocemente possível, no máximo 14d 
após exposição 
• Comunicantes sexuais de caso agudo de 
HBV: aplicar o mais precocemente 
possível, no máximo 14d após exposição 
• RN com mãe HBsAg +: Nas primeirs 12h 
de vida. 
• RN com peso <2kg ou < 34s de mãe 
HBsAg+ ou mãe HBsAg + e HIV+: Nas 
primeirs 12h de vida e esquema de 4 
doses de vacina (0, 1, 2 e 6m) 
 
 
 
Referêcia: Guia de vigilância 
epidemiológica/ MS 
È um doença de notificação 
compulsória, portanto, todos os 
casos suspeitos devem ser 
notificados na ficha do Sinan.