A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Investigação da osteoporose (resumo)

Pré-visualização | Página 1 de 1

Bruna Oliveira - 144 
Investigação da osteoporose 
Diminuição da resistência óssea, devido a deteorização da microestrutura esquelética. 
Fisiopatologia 
• Processo: 
1. A unidade molecular básica (UMB) se movimenta 
sobre a superfície trabecular e se contrai, 
expondo o colágeno, que atrai os pré-
osteoclastos; 
2. Os osteoclastos se fundem em cél. Multinucleadas 
e as mononucleadas continuam a reabsorção; 
3. Os pré-osteoclastos são estimulados a se 
multiplicar; 
4. Osteoblastos alinham-se na parte inferior da 
cavidade e começam a formar um osteóide; 
5. Osteoblastos continuam a formação e 
mineralização do ostóide 
6. Osteoblastos começam a se achatar e formar células de revestimento e recomeça o 
clclo. 
 
• Funções: 
✓ Reparar microlesões e manter a resistência e o 
vigor 
✓ Suprir o cálcio através do esqueleto para manter 
o cálcio sérico 
• A demanda de Ca++ pode ser aguda (reabsorção 
mediada por orteoclastos e transporte pelos 
osteócitos) ou crônica (causando hiperparatireoidismo 
secundário, remodelamento ósseo aumentado e perda 
global de tecido ósseo) 
• Fatores catabólicos: 
✓ Vit. D 
✓ PTH/PTHrP (peptídeo relacionado com o paratormônio) 
✓ PGE2 
✓ IL-1, IL-6 
✓ TNF 
✓ Prolactina 
✓ Corticoesteroides... 
• Fatores catabólicos: 
✓ Estrogênios 
Fatores genéticos são os principais 
determinantes da massa e da 
densidade esquelética máxima. 
 
 
O RANK-L é secretado pelos 
osteoblastos e sua ligação regula a 
ativação e sobrevida os osteoclastos 
e a OPG é um atrativo humoral pra o 
RANK-L. 
Maior recrutamento de locais de 
remodelamento ósseo produz uma 
redução reversível de massa óssea. 
Mas se esse processo ocorrer muito 
nas trabéculas, o arrajo para 
formação de novo osso será perdido, 
tornando a perda permanente. 
Bruna Oliveira - 144 
✓ Calcitonina 
✓ TGF-B 
✓ IL-17 
✓ PDGF 
✓ Cálcio 
✓ Osteoprotegerina (OPG) 
• Ingestão inadequada durante o crescimento aumenta a chance de ingestão inadequada na 
vida adulta (hiperparatireoidismo secundário relativo + alta taxa de remodelamento ósseo) 
• Ações do PTH: 
✓ Aumenta absorção GI de Ca++ 
✓ Hidroxilação da vit. D 
✓ Diminui perda renal de Ca++ 
✓ A longo prazo, é prejudicial ao esqueleto 
• Ingestão adequada: 1000mg a 1200mg/dia 
• Deficiência em adultos: osteomalácia. Em crianças: raquitismo 
• A deficiência também causa hiperparatireoidismo secundário compensatório 
• Evidências bioquímicas: 
✓ ↑ níveis de PTH 
✓ ↑ fosfatase alcalina 
✓ ↓ Ca ionizado 
• Deficiência estrogênica causa: 
✓ Novos locais de remodelamento; 
✓ Exagero no desequilíbrio entre formação e reabsorção óssea. 
• Principal causa: menopausa. 
• Mecanismo: 
1. Células da medula óssea apresentam receptores de estrógeno 
2. ↓ estrogêncio -> ↑ RANKL ↓ OPG ↑ Osteoclastos ↓ sobrevida dos osteoblastos 
• Consequência mais precoce: fraturas vertebrais. 
• Inatividade resulta em perda óssea significativa. 
• Glicocorticoides, principalmente. 
• Outros: hormônios tireoidianos, anticonvulsivantes (interage com a P450 que metaboliza a vit. 
D), imunodepressivos e inibidores da aromatase (↓ estrôgenio). 
Medida da massa óssea 
• Técnicas: 
✓ Densitometria óssea (DEXA) – padrão; 
✓ TC; 
✓ RM; 
✓ US – triagem. 
• Quadril é o local preferido para mensuração, mas em 
indivíduos mais jovens, preferir a coluna. 
• Quando fazer? 
✓ Mulheres pós menopausa, com 1 ou + fatores de risco além de idade, sexo e deficiência 
estrogênica; 
Mieloma pode disfarçar-se de 
osteoporose generalizada, porém 
manifesta-se mais comumente com 
dor óssea e lesões em saca-bocado 
na radiografia. 
Bruna Oliveira - 144 
✓ Todas as mulheres com + de 65anos e homens 
com + de 70; 
✓ Adultos que sofreram alguma fratura com + de 
50anos; 
✓ Adultos em alguma condição ou uso de 
medicamento associados a uma diminuição ou perda óssea. 
Exames laboratoriais 
• Hemograma 
• Provas de função renal e hepática 
• Cálcio sérico: 
✓ Aumentado: Hiperparatireoidismo (↑ PTH) ou Doença maligna (↓ PTH) 
✓ Diminuído: Desnutrição ou osteomalácia 
• Cálcio urinário: 
✓ Diminuído: Osteomalácia, desnutrição ou má absorção 
✓ Aumentado: Hipercalciúria (perda renal de cálcio, hipercalciuria idiopática ou neoplasias 
malignas hematológicas 
• Marcadores bioquímicos: 
✓ Previnem o risco de fratura, independente da densidade óssea 
✓ Determina se o tratamento está sendo eficaz e o quanto 
✓ Prevê a magnitude do aumento da DMO 
✓ Ajuda a determinar a adesão do paciente ao tratamento 
✓ Ajuda a determinar o período sem tratamento 
 
 
Referência: Medicina Interna de Harrison 13ª ed. 
Perda de altura de 2,5 a 3cm indica 
Fraturas vertebrais assintomáticas 
(AFV) no DEXA.