A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - LETICIA KELLEN

Pré-visualização | Página 1 de 2

M.M. JUÍZO FEDERAL DE UMA DAS VARAS DO TRABALHO DE 
PARAUAPEBAS/PA, A QUEM COUBER POR DISTRIBUIÇÃO 
 
 
TITO DA SILVA LOPES, brasileiro, solteiro, desempregado, portador 
da Cédula de Identidade nº: 3132956-6 – SSP/PA e inscrita no CPF nº: 
003.833.466-99, CTPS nº: 23547 – Série: 2378241-PA, residente e domiciliada à 
Rua Parque das Nações, Parauapebas/PA – CEP: 69.018-152, tel (94)98464-
7300, vem respeitosamente perante Vossa Excelência, por intermédio de seu 
advogado adiante assinado (procuração em anexo), com escritório localizado à 
Rua Comendador José Cruz, Parque 10, Parauapebas/PA, onde recebe 
intimações e notificações, com fulcro no artigo 840 da CLT, PROPOR: 
 
RECLAMAÇÃO TRABALHISTA pelo rito sumaríssimo 
 
Em face de Pizzaria Gourmet Ltda, pessoa jurídica de direito privado, 
CNPJ nº: 13.043.813/0001-00, estabelecida à Av. Jorge Teixeira, 
Parauapebas/PA – CEP: 69.121-222, tel: (94) 98475-7399 e e-mail: 
pizzariagourmet@gmail.com, pelas razões de fato e de direito que passa a expor: 
 
I – PRELIMINARMENTE 
 
a) DA JUSTIÇA GRATUITA 
Em razão de estar desempregado o reclamante não tem condições de arcar 
com os custos processuais. Declara-se pobre nos termos do art. 790, §3º da CLT 
e da Constituição Federal de 1988, portanto, o reclamante faz jus aos benefícios 
da justiça gratuita. Diante do exposto, requer a concessão da Justiça Gratuita. 
 
II – FUNDAMENTAÇÃO CONTRATO DE TRABALHO 
O reclamante foi admitido em 15 de dezembro de 2018 para exercer a 
função de motoboy da empresa supracitada, cumprindo sua jornada de trabalho, 
de terça à domingo, das 18h00 às 3h30, com intervalo de 40 minutos para 
refeição e tendo folga na segunda-feira e uma vez por mês ao domingo. Sua última 
remuneração somava a quantia de R$ 1.214,00 (mil duzentos e quatorze reais) 
referente ao seu salário mínimo de 954,00 reais e cerca de 260,00 reais de 
bonificação espontânea. 
Ocorre que no mês de agosto de 2019, Tito fora fazer uma entrega na casa 
de um cliente, porem houve um mal-entendido, onde o cozinheiro acabou 
confundindo o sabor da pizza, ao perceber o equívoco, o cliente ficara furioso, 
começou a xingar e a ameaçar Tito, e terminou por soltar seus cães de guarda, 
dando ordem para atacar o entregador. Tito correu desesperadamente, mas foi 
mordido e arranhado pelos animais, sendo lesionado gravemente. 
Em razão dos fatos hora mencionados, Tito precisou se afastar por 30 dias 
do seu trabalho para recuperação, recebendo o benefício previdenciário 
pertinente do INSS. Tito gastou R$ 30,00 na compra de vacina antirrábica, que 
por recomendação médica foi obrigado a tomar, porque não sabia se os cachorros 
eram vacinados. 
Em 20 de setembro de 2019, após obter alta do INSS, Tito retornou à 
empresa e fora dispensado, recebendo as verbas rescisórias. 
 
a) POSTULAÇÃO A INTEGRAÇÃO DE GORJETAS 
No caso em tela, o reclamado recebia gorjetas, cerca de 260,00 reais por 
mês, razão pela qual REQUER postulação a integração de gorjeta 
espontaneamente concedidas pelos clientes à remuneração, nos moldes do 
Art. 457 da CLT e Súmula 354 TST. 
b) RETIFICAÇÃO DA CARTEIRA DE TRABALHO 
Em razão das gorjetas recebidas REQUER a retificação de sua carteira 
profissional para que conste a média das gorjetas recebidas, conforme 
prevê o Art. 29, § 1º, da CLT. 
c) DEVOLUÇÃO DO DESCONTO 
Tendo em vista que em no mês de março de 2019 houve dedução de R$ 
31,80 (trinta e um reais e oitenta centavos) a título de contribuição 
sindical, sem que tivesse autorizado o desconto, REQUER a devolução do 
desconto de contribuição, vez que não fora autorizado pelo trabalhador, 
em violação aos artigos 545, 578, 579 e 582, todos da CLT. 
d) PAGAMENTO DE HORAS EXTRAS 
Levando em consideração o excesso das 8 horas diárias ou 44 horas 
semanais previstas no Art. 7º, inciso XIII, da CRFB/88 e no Art. 58 da 
CLT, REQUER o pagamento de horas extras, além do pagamento de 20 
minutos diários pela pausa alimentar concedida parcialmente, conforme o 
Art. 71, § 4º, da CLT. 
e) PAGAMENTO DE ADICIONAL NOTURNO 
Tendo em vista o exposto no Art. 73 da CLT, REQUER o pagamento do 
adicional noturno na jornada realizada a partir das 22.00h, vez que Tito 
prestava seu serviço ate as 3:00h da madrugada. 
f) ESTABILIDADE 
No caso em tela verifica-se que trata de acidente de trabalho, REQUER a 
reintegração no emprego pela estabilidade, conforme o Art. 118 e o Art. 21, 
inciso II, alínea a ambos da Lei nº 8.213/91, e Súmula 378, I e II, do TST. 
g) TUTELA DE URGENCIA 
Nos moldes do art. 294 ou 300 ou 311 CPC, REQUER tutela de urgência 
ou evidência ou provisória para a reintegração imediata do trabalhador. 
h) PAGAMENTO DE INDENIZAÇÃO 
De acordo com o exposto, Tito gastou R$ 30,00 na compra de vacina 
antirrábica, vez que se trata de dano emergente, REQUER o pagamento de 
indenização pelo gasto, conforme o Art. 186, Art. 927 e 949, do CC, além 
do pagamento de indenização por dano moral pelo acidente do trabalho, 
conforme os artigos 186 e 927 do CC e os artigos 223-B, 223-C e 223-G, 
todos da CLT. 
i) ADICIONAL DE PERICULOSIDADE 
Em se tratando de trabalhar com motocicleta, logo REQUER o pagamento 
do adicional de periculosidade na forma do Art. 193, § 4º, da CLT. 
j) HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS SUCUMBENCIAIS 
De acordo com o art. 791-A da CLT, ao advogado, ainda que atue em causa 
própria, serão devidos honorários de sucumbência, fixados entre o mínimo 
de 5% (cinco por cento) e o máximo de 15% (quinze por cento) sobre o valor 
que resultar da liquidação da sentença, do proveito econômico obtido ou, 
não sendo possível mensurá-lo, sobre o valor atualizado da causa. Ante o 
exposto, REQUER a condenação da reclamada ao pagamento dos 
honorários advocatícios. 
 
DAS VERBAS RESCISÓRIAS 
a) Do Aviso Prévio Proporcional 
Tendo em vista a rescisão contratual sem justa causa, nos termos do art. 
7º, XXI, da CF/88 e do art. 487 da CLT; da OJ SDI-1 n. 82 do TST e da 
Súmula 380 do TST, o reclamante REQUER a condenação da reclamada 
quanto ao pagamento, a título de indenização, do valor correspondente ao 
aviso prévio proporcional (Lei nº 12.506, de 11 de outubro de 2011), 
equivalente a 39 (trinta e nove) dias, referente ao período laborado 
(15.12.2018 a 20.09.2019), bem como seus reflexos nas verbas rescisórias. 
 
b) Das Férias Proporcionais acrescidas do terço constitucional 
Tendo em vista que a reclamada não pagou todas as verbas rescisórias, 
conforme se depreende do TRCT em anexo, o reclamante REQUER a 
condenação da reclamada, ao pagamento das férias proporcionais 
acrescidas do terço constitucional, a título de indenização, referente ao 
período aquisitivo, incluindo o aviso prévio indenizado, qual seja, de 
15.12.2018 a 20.09.2019, nos termos, do art. 7º, XVII, da CF/88, dos arts. 
129, 133 e 147 da CLT e das Súmulas 7 e 171 do TST. 
 
c) Do Décimo Terceiro Salário Proporcional 
Em razão do inadimplemento desta verba, conforme ressalva no TRCT, o 
reclamante REQUER que a reclamada seja condenada ao pagamento do 
décimo terceiro salário proporcional, a título de indenização, referente ao 
período de 15.12.2018 a 20.09.2019 (incluso o aviso prévio indenizado), 
nos termos do art. 7º, VIII, da CF/88 e da Súmula 148/TST. 
 
d) Do recolhimento do FGTS + multa dos 40% 
 A reclamada não realizou corretamente todos os recolhimentos de 8% 
sobre a remuneração da empregada a título de FGTS, nem tampouco 
recolheu a multa de 40% em face da rescisão sem justa causa, conforme 
extrato de FGTS anexo. 
 Assim, o reclamante REQUER que seja determinada à reclamada 
que pague, a título de indenização, os valores devidos, em substituição aos 
recolhimentos do FGTS referente ao período de 15.12.2018 a 20.09.2019, 
bem como, em razão da demissão sem justa causa, ao pagamento da multa 
de 40% sobre todo o valor devido, nos termos da Lei nº 8.036/90, da OJ 
nº 42, II, do TST e das Súmulas 98 e 305 do TST. 
 
D) Da multa do