A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Anotações - Introdução ao Direito do Trabalho - Princípios do Direito do Trabalho docx

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO 
 Corresponde a relação de emprego; 
 Acordo entre empregado e empregador; 
 Obrigação do empregado de prestar serviço pessoal, não eventual e subordinado; 
 Obrigação do empregador: pagar salário 
ELEMENTOS DA RELAÇÃO DE EMPREGO 
 Onerosidade: existência de uma contrapartida pela prestação de serviço do empregado 
 Subordinação: obrigação de prestação de serviços – trabalhador autônomo não pode 
ser considerado trabalhador 
 Pessoalidade: empregado é sempre pessoa física e o contrato é personalíssimo 
1. Pejotização: contratar uma pessoa física que tenha cnpj – Empresa de pequeno 
porte, Microempresa, Empresário individual e microempreendedor individual são 
pessoas físicas que equiparam-se a jurídicas – apenas para efeitos fiscais, para os 
jurídicos são pessoas físicas 
 Não eventualidade: tem que haver uma habitualidade, uma frequência – pode ser 
habitual ou intermitente 
1. Na lei do empregado doméstico, a não eventualidade é conhecida como trabalho 
contínuo 
TRABALHO INTERMITENTE 
Trabalho intermitente é uma prestação de serviço subordinada, mas não contínua – um 
buffet tem um certo número de trabalhadores fixos, porém, quando houver 
necessidade de um número maior de trabalhadores, eles chamam o trabalhador 
intermitente 
1.1. Deve ser anotado na carteira como trabalho intermitente; 
1.2. O contrato deve ser escrito; 
1.3. O pagamento é feito por salário/hora – só durante o período de prestação de 
serviço – se trabalha só no fim de semana, recebe todos os fins de semana 
FORMA DO CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO 
 Contrato individual de trabalho pode ser tácito ou expresso, verbalmente ou por escrito 
1. Em regra, o contrato de trabalho não é solene – não é formal 
2. Tácito = implícito – ninguém declarou que é um contrato de trabalho, mas pela 
dinâmica da relação de serviço, fica comprovado que a relação de trabalho existe; 
3. Expresso: 
4. Qualquer seja o contrato, a CTPS deverá ser anotada – a falta de anotação pode vir 
a gerar processos administrativos que incorram em multas administrativas 
5. A anotação da CTPS não torna o contrato de trabalho escrito, ela é apenas uma 
representação de que o contrato existe 
 Prazo indeterminado ou determinado 
1. O contrato, em regra, é por prazo indeterminado; 
2. Só poderá ser determinado se houver uma justificativa para predeterminação do 
prazo, quais sejam: 
2.1. Serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo 
– ex. Contratação de vendedor no período de vendas para o natal 
2.2. Atividades empresariais de caráter transitório – ex. contratação para prestação 
de serviço em feiras e exposições – a atividade do empregador é transitória 
2.3. Contrato de experiência – finalidade de verificar a aptidão do empregado para 
a prestação de serviço – o prazo máximo de um contrato de experiência é de 90 
dias corridos 
2.4. Em regra, os contratos por prazo determinado não poderão exceder 2 anos 
2.5. O contrato por prazo determinado só pode ser prorrogado uma vez, dentro do 
prazo máximo 
 
NOVO CONTRATO POR TEMPO DETERMINADO 
As regras do contrato determinado servem para proteger o trabalhador e evitar que as empresas 
façam contratos por tempo determinado 
1. Regra geral: deverá ter um prazo mínimo de 6 meses entre o fim de um contrato e o 
início do outro; 
2. Exceção: pode ser em menos de 6 meses se for para execução de serviços especializados 
ou realização de certos acontecimentos 
3. Caso seja em menos de 6 meses e não se enquadre nas exceções, o contrato fica 
indeterminado 
 
CONTRATO POR TEMPO DETERMINADO 
 Não há forma prevista em lei para contrato determinado, porém, é recomendado que o 
empregador faça por escrito – além da anotação da carteira 
 As hipóteses que permitem contratar por tempo determinado estão previstas em lei, 
mas a forma de contratação não tem previsão legal 
 
 
CAPACIDADE CIVIL DO EMPREGADO 
 Menores de 14 anos não podem ser contratados para nenhum tipo de serviço; 
 Entre 14 e 16 anos, só podem ser contratados para contrato de aprendizagem; 
 De 16 a 18, podem ser contratados como aprendiz ou em contrato de trabalho comum, 
com restrições 
1. Não pode trabalhar em horário noturno – urbano das 22h às 5h, rural pecuária das 
20h às 04h e rural lavoura 21h às 05h; 
 
CONTRATO DE APRENDIZAGEM 
 De 14 a 24 anos – pessoa com deficiência não tem limite máximo de idade 
 Finalidade de formação técnico-profissional, compatível com seu desenvolvimento 
físico, moral e psicológico 
 Duração máxima de 2 anos 
 Deve ser anotado na carteira de trabalho 
 Deve ser por contrato escrito 
 Obrigatória a matricula e frequência do aprendiz na escola caso ele não tenha concluído 
o ensino médio 
 Decorre de convenção internacional do trabalho 
FORMAS DE CONTRATAÇÃO 
 Direta pela empresa 
 Entidades de aprendizado técnico – a entidade é empregadora 
O aprendiz tem direito a férias que coincidirão, preferencialmente, com as férias escolares