A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
7_negocios_apostila

Pré-visualização | Página 1 de 4

NEGÓCIOS
Programa de Pós-Graduação EAD
UNIASSELVI-PÓS
Autoria: Adrian Dambrowski
TEMA PEDAGÓGICO
CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI
Rodovia BR 470, Km 71, no 1.040, Bairro Benedito
Cx. P. 191 - 89.130-000 – INDAIAL/SC
Fone Fax: (47) 3281-9000/3281-9090
Pró-Reitor da Pós-Graduação EAD: Prof. Carlos Fabiano Fistarol
Coordenador da Pós-Graduação EAD: Prof. Norberto Siegel
Equipe Multidisciplinar da 
Pós-Graduação EAD: Prof.ª Bárbara Pricila Franz
 Prof.ª Cláudia Regina Pinto Michelli
 Prof. Ivan Tesck
 Prof.ª Kelly Luana Molinari Corrêa
Diagramação e Capa: 
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI
Copyright © UNIASSELVI 2015
Ficha catalográfica elaborada na fonte pela Biblioteca Dante Alighieri
 UNIASSELVI – Indaial.
Sumário
1. Apresentação .......................................................................7
2. Comércio Eletrônico (E-Commerce) ................................7
3. B2B (Business To Business) - Transação
 Comercial Entre Empresas (Indústria,
 Distribuidor Ou Revenda) ..................................................9
4. B2C (Business To Consumer) - Transação
 Comercial Entre Empresa E Consumidor Final ............12
5. Ideias e Desenvolvimento de Novos Negócios ..............13
6. Negócios Sustentáveis .....................................................14
7. Negociação .........................................................................16
8. Referências ........................................................................17
7
 tema pedagógico
1. Apresentação
A palavra negócio vem da expressão latina nec + otium, e significa “sem 
descanso, sem lazer”.
Na economia, o termo Negócio é entendido como um comércio ou empresa 
que produz bens ou serviços e proporciona a circulação de capital entre diversos 
setores. Em suma, podemos dizer que negócio é uma atividade econômica que 
tem por objetivo gerar lucro.
Também é possível conceituar negócio como o ato de negociar, realizar 
transações comerciais e obter lucro com aquilo que se comercializa. Ou, ainda, 
podemos dizer que negócio é o local onde são comercializados ou negociados 
produtos ou serviços.
Neste material versaremos sobre Negócio no âmbito do comércio eletrônico 
no que tange o Business to Business – B2B que são as transações comerciais 
entre empresas e o Business to customer – B2C que são as transações comerciais 
entre a empresa e o consumidor. Além disso abordaremos algumas ideias e 
desenvolvimento de novos negócios, além de negócios sustentáveis e negociação.
2. Comércio Eletrônico 
(E-Commerce)
Quando tratamos de comércio eletrônico (ou e-commerce), estamos nos 
referindo a uma forma de comprar ou vender produtos e serviços pela internet.
 
Para Turban e King (2004), o avanço e a expansão desse meio de 
comunicação permitiram o desenvolvimento de negócios eletrônicos, provocando 
uma grande mudança na economia mundial. Esses autores entendem o comércio 
eletrônico como uma ferramenta que pode auxiliar as transações e negociações já 
existentes. Não se trata de uma nova forma de comércio, mas, sim, de uma nova 
forma de se concretizar as relações comerciais que já existem, acrescentando 
diversos aspectos favoráveis, tais como a redução dos custos, a rapidez nos 
pedidos e entregas de mercadorias, dentre outros.
8
 tema pedagógico
A internet se consolidou como uma plataforma essencial para comunicação 
eletrônica, colaborando para que o comércio eletrônico se difunda em meio a 
sociedade. Sites comerciais na internet se tornaram meios de execução de troca 
interativa de informações por diversos tipos de mídias. Os sites empresariais 
também atuam como pontos de comércio eletrônico, tanto varejista como 
atacadista, e para a negociação de uma ampla variedade de produtos e serviços. 
Dessa forma, esse tipo de comércio se tornou uma fonte de lucros muito rentável, 
tanto para as empresas quanto para os consumidores (O’BRIEN, 2003). 
Segundo Blumenschein e Freitas (2000), o comércio eletrônico é algo 
que já ocorre há mais tempo do que se pensa. Mesmo que não se perceba, 
exemplificando, ao comprar ou efetuar pagamentos através de caixas eletrônicos, 
cartão de crédito ou qualquer outro meio digital, já está ocorrendo a prática do 
e-commerce. Nesse cenário, o comércio eletrônico se destaca entre os demais 
tipos pela sua rápida expansão, tornando-se um grande aliado das empresas 
para compra e venda de produtos (ou mesmo para a contratação da prestação de 
serviço) em todo o mundo. 
Diante do exposto, percebe-se que o comércio eletrônico deixa de ser um 
assunto de especialistas em tecnologia para compartilhar o cotidiano das pessoas 
comuns, transformando, assim, a forma de convivência, diversão, busca pelo 
prazer, enfim, a forma de realizar seus negócios. Pode-se observar que, do 
ponto de vista econômico, torna-se evidente que o e-commerce apresenta cada 
vez mais benefícios, principalmente por suprir a falta de tempo, proporcionando 
economia e praticidade, tornando-se cada vez mais difundido e empregado no 
meio organizacional (BLUMENSCHEIN; FREITAS, 2000).
A utilização comercial da internet deu origem a diversas tipologias de 
e-commerce, sendo as principais: B2B (business-to-business), na qual empresas 
usam a internet e abrem suas redes para fornecedores e clientes e B2C (business-
to-customer), que representa a venda direta aos consumidores pela Internet. Essas 
duas são as formas que melhor caracterizam essas novas relações comerciais 
e que veremos mais adiante. Contudo, não são as únicas existentes. Existem 
também a B2G (business-to-government), que trata das relações de negócios 
pela Internet entre governo e empresas, e o C2C (consumer-to-consumer), que 
abrange os consumidores que comercializam diretamente entre si por meio da 
internet. (ALBERTIN, 2010).
Essas novas formas de comércio são fruto de uma necessidade de mercado, 
mas, também, das mentes criativas de empreendedores que viram na tecnologia 
uma forma de inovar seus negócios. 
9
 tema pedagógico
3. B2B (Business To Business) - 
Transação Comercial Entre 
Empresas (Indústria, Distribuidor 
Ou Revenda)
O comércio eletrônico é a concretização de toda a cadeia de valor 
dos processos de negócio dentro de um ambiente eletrônico, por meio do 
aproveitamento das tecnologias de informação e de comunicação, de forma que 
atenda aos objetivos de negócio. (ALBERTIN 2010).
Para Furgeri (2001), o termo business-to-business (ou B2B) se popularizou 
a partir de 1999, tratando de negociações que acontecem somente entre dois 
negociantes. Normalmente, envolvem empresas que padronizam as formas de 
comunicação para reduzir os custos internos e aumentar a eficiência. Nesse 
cenário, o B2B pode ser dividido em:
- Mercado vertical: negociações entre grandes organizações de uma área específica 
de atividade (Exemplo: setor automotivo, setor petroquímico, dentre outros).
- Mercado horizontal: pequenas e médias negociações entre empresas de 
diversas áreas de atividade.
Sob o viés do uso de tecnologias de comunicação, o B2B pode ser visto como 
transações entre empresas, realizadas eletronicamente por algum tipo de rede de 
comunicação (internet, extranet, intranet ou redes privadas). Contudo, vale lembrar 
que o comércio B2B pode também ser realizado fora desses ambientes. Essas 
transações podem ser executadas entre uma organização e os componentes de 
sua cadeia de suprimento, assim como entre uma empresa e outra qualquer. O 
que ocorre, é que, nesse meio, as organizações, sejam elas quais forem (públicas, 
privadas, ONGs, associações) procuram automatizar os seus processos para a 
realização de suas transações comerciais, fazendo uso desses conceitos aplicados 
à tecnologia a que se tem acesso. (TURBAN; KING, 2004).
Turban e King (2004) explicam que existem