A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Prova_305_004_Arquiteto

Pré-visualização | Página 4 de 5

aprovação no setor de patrimônio histórico do município atrasou 
para o final do terceiro mês o término das demolições internas de 
acréscimos não tombados (condição para início da execução dos 
trabalhos de restauro) e afetou o cronograma de obras. Esse atraso 
não afetou os desembolsos até aquela data porque foi possível 
reprogramar a substituição de esquadrias, que não depende das 
demais atividades, para início no segundo mês, mantendo-se a 
distribuição dos recursos desse item em quatro meses.
34.	 Nessas condições, é correto afirmar que
(A) não foi afetado o prazo final de execução dos serviços 
nem o cumprimento da meta de desembolso até o final 
do quinto mês.
(B) foi afetado o prazo final de execução dos serviços, mas 
não o cumprimento da meta de desembolso até o final 
do quinto mês.
(C) o adiantamento dos serviços de substituição de esquadrias 
é suficiente para cumprir a meta de desembolso até o final 
do quinto mês.
(D) o cumprimento das metas de desembolso e do prazo total 
será possível mediante aumento do ritmo de execução 
dos serviços de restauro nos meses 4 e 5 de obra.
(E) o cumprimento das metas de desembolso e do prazo total 
será possível se for reduzido o prazo total dos serviços 
de restauro de oito para sete meses.
35.	 O caminho crítico dessa obra, considerado o atraso ocorrido, 
e ainda sem se considerarem medidas para compensar os 
atrasos ocorridos,
(A) permanece passando pelas atividades ‘demolições in-
ternas’ e ‘restauro’, da mesma forma que na situação 
original prevista no cronograma.
(B) permanece passando pelas atividades ‘substituição de 
esquadrias’ e ‘restauro’, da mesma forma que na situação 
original prevista no cronograma.
(C) passa pelas atividades ‘demolições internas’ e ‘restauro’ 
somente agora, após o atraso das demolições.
(D) passa pelas atividades ‘substituição de esquadrias’ e 
‘restauro’ somente agora, após o atraso das demolições.
(E) passa pelas atividades ‘reparos na cobertura’ e ‘substi-
tuição de esquadrias’ somente agora, após o atraso das 
demolições.
36.	 Uma etapa de obra será composta dos itens listados na tabela 
a seguir, com as respectivas quantidades, unidades e preços 
unitários. Os preços apresentados não incluem o lucro do 
construtor, despesas com escritório central e outros custos 
indiretos.
item
custo
unitário 
(r$)
Quantidade unidade
Pisos cerâmicos 80,00 150,00 m²
Rodapés cerâmicos 30,00 100,00 m
Pintura de paredes 12,00 320,00 m²
Colocação de forros 80,00 150,00 m²
Pintura verniz para 
forros 12,00 150,00 m²
O BDI adotado no orçamento é de 35%.
O custo total dessa etapa, em reais, será de
(A) 32.100,00
(B) 32.640,00
(C) 37.236,00
(D) 44.064,00
(E) 67.790,77
37.	 Certo terreno tem área total de 3 000 m², coeficiente de apro-
veitamento básico 1 e coeficiente de aproveitamento máximo 
2,5. O proprietário desse terreno irá adquirir o direito de 
construir necessário para alcançar a área construída máxima 
possível. Se o metro quadrado adicional custar R$ 2.000,00, 
o gasto com potencial construtivo adicional, em milhões de 
reais, será de
(A) 4,5.
(B) 6,0.
(C) 9,0.
(D) 12,0.
(E) 15,0.
www.pciconcursos.com.br
10FMSC1101/004-Arquiteto
38.	 Um armazém ferroviário desativado e tombado, datado da 
primeira década do século XX, situa-se a menos de 30 m de 
um córrego que corta determinada cidade do interior paulista. 
A pesquisa da documentação do imóvel na prefeitura revelou 
que a situação do ponto de vista da regulamentação edilícia 
municipal foi regularizada na década de 1950. Agora, uma 
iniciativa de requalificação urbana e ambiental será desen-
volvida nesse fundo de vale. Do ponto de vista da legislação 
aplicável ao projeto, é correto afirmar que
(A) o armazém deverá ser relocado para fora da área de 
preservação permanente, reaproveitando-se o material 
e reproduzindo-se sua configuração original.
(B) deverá ser feita compensação ambiental correspondente 
à área ocupada pelo armazém.
(C) os novos usos eventualmente dados ao armazém devem 
restringir-se às hipóteses previstas no Código Florestal.
(D) não se aplica o regulamento de área de preservação per-
manente às margens do córrego, conforme definido no 
Código Florestal, por se tratar de área urbana.
(E) a ocupação da área de preservação permanente é legal, 
no caso, devendo ser observadas as condições do tom-
bamento do imóvel.
39.	 Uma vez plenamente implantado nacionalmente, o Conselho 
de Arquitetura e Urbanismo
(A) assumirá as funções de representação legal dos arquitetos, 
absorvendo e substituindo a Federação Nacional dos 
Arquitetos.
(B) será um órgão de representação geral e legal dos arqui-
tetos, absorvendo tanto as atribuições do IAB quanto as 
da Federação Nacional dos Arquitetos.
(C) será um órgão de fiscalização e representação dos arqui-
tetos, absorvendo as atribuições do CREA-CONFEA, do 
IAB e da Federação Nacional dos Arquitetos.
(D) passará a regular e fiscalizar o exercício da profissão 
de arquiteto e urbanista, em substituição ao sistema 
CREA-CONFEA.
(E) passará a regular e fiscalizar o exercício da profissão 
de arquiteto e urbanista, integrando-se ao sistema 
CREA-CONFEA.
40.	 Nos levantamentos iniciais para se definirem as obras neces-
sárias à recuperação de um casarão residencial antigo, intei-
ramente construído em alvenaria de tijolo comum maciço, 
de barro cozido, verificou-se a ocorrência de trincas a 45° 
em paredes situadas junto a um dos cantos da edificação, 
conforme ilustrado no croqui a seguir.
Em função da experiência passada, esse tipo de ocorrência 
indica a possibilidade de que o projeto de recuperação tenha 
que prever medidas no sentido de
(A) prevenir um processo de retração do reboco interno a 
partir de eventuais infiltrações.
(B) remediar uma situação de retração das alvenarias por 
perda de água.
(C) remediar uma situação de retração das fundações em 
função de mudanças climáticas.
(D) evitar a continuidade de um processo de deslizamento 
horizontal das alvenarias.
(E) evitar a continuidade de um processo de recalque dife-
rencial nas fundações.
www.pciconcursos.com.br
11 FMSC1101/004-Arquiteto
As questões de números 41 e 42 referem-se ao texto a seguir.
Um edifício de cerca de 1 000 m², situado em meio urbano, no 
interior do Estado de São Paulo, no qual estão tombadas paredes 
exteriores e cobertura, será objeto de um projeto de reforma. 
Optou-se por utilizar, internamente a uma área administrativa, 
divisórias leves de gesso acartonado com miolo isolante em lã de 
vidro, em lugar de grossas paredes de alvenaria de tijolo comum 
existentes anteriormente. Não há fontes significativas internas de 
calor, nessa área.
Um grande espaço interior será criado para abrigar um auditório 
multiuso, que se pretende utilizar sem climatização artificial, 
sempre que possível. Para tanto, foi apresentada uma solução de 
adaptação das esquadrias (autorizadas pelo órgão responsável 
pelo tombamento), que prevê dividir os altos vãos horizontais 
existentes em três partes iguais. A parte superior, junto ao teto, 
e a inferior, no nível do parapeito, serão solucionadas em janela 
pivotante, e a parte do meio, em vidro fixo.
O clima local é relativamente seco, na maior parte do ano é quente 
durante o dia, com noites mais amenas a frias.
41.	 Do ponto de vista do conforto térmico, pode-se dizer que, em 
relação às condições anteriores, a opção técnica adotada para 
as divisórias internas
(A) não tem influência, uma vez que o tombamento das 
paredes e cobertura preserva as condições anteriores de 
isolamento térmico em relação ao exterior da edificação.
(B) produz uma perda de inércia térmica, resultando em maior 
amplitude de variação das temperaturas internas.
(C) produz uma perda de isolamento térmico em relação ao 
exterior da edificação, resultando em maior amplitude 
de variação das temperaturas internas.
(D) produz um ganho de inércia térmica, resultando em 
menor amplitude de variação das temperaturas internas.
(E) produz um ganho de isolamento térmico em

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.