A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
68 pág.
Monografia- A ATUAÇÃO DO ADVOGADO DIANTE OS MEIOS ADEQUADOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

Pré-visualização | Página 1 de 19

LILIANA MARTINS DOS SANTOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A ATUAÇÃO DO ADVOGADO DIANTE OS MEIOS ADEQUADOS DE 
RESOLUÇÃO DE CONFLITOS 
 
Monografia apresentada como requisito parcial à 
conclusão do Curso de Bacharelado em Direito, Escola 
de Ciências Sociais Aplicadas, Centro Universitário 
Autônomo do Brasil – UniBrasil. 
Orientadora: Profa. Ma. Maria Cecília Naréssi Munhoz 
Affornalli. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CURITIBA 
2019 
ii 
TERMO DE APROVAÇÃO 
 
 
LILIANA MARTINS DOS SANTOS 
 
A ATUAÇÃO DO ADVOGADO DIANTE OS MEIOS ADEQUADOS DE 
RESOLUÇÃO DE CONFLITOS 
 
Monografia aprovada como requisito parcial à conclusão do Curso de Bacharelado em 
Direito, Escola de Ciências Sociais Aplicadas, Centro Universitário Autônomo do Brasil 
– UniBrasil. 
 
 
 
 
____________________________________ 
Orientadora: Profa. Ma. Maria Cecília Naréssi Munhoz Affornalli. 
 
 
 
 
____________________________________ 
 
 
 
 
____________________________________ 
 
 
 
 
 
 
 
 
_______________________________ 
Local e Data 
 
 
 
iii 
LISTA DE QUADROS 
 
Quadro 1 - Litigiosidade .................................................................................. 45 
Quadro 2 - Indicadores de gestão .................................................................. 46 
Quadro 3 - Atendimento à população ............................................................. 47 
Quadro 4 - Resultados Gerais ........................................................................ 47 
Quadro 5 - Tempo médio de processo baixado na Justiça Estadual .............. 48 
Quadro 6 - Tempo médio de processo baixado no Justiça Especial .............. 49 
Quadro 7 - Diagrama do Tempo de tramitação .............................................. 50 
Quadro 8 - Assuntos mais demandados ......................................................... 50 
 
 
iv 
SUMÁRIO 
 
RESUMO.................................................................................................................... vi 
INTRODUÇÃO ............................................................................................................ 1 
1 O CONFLITO ........................................................................................................ 4 
1.1 MOTIVAÇÕES E FORMAS DE CONFLITO ................................................... 6 
1.2 BREVE EVOLUÇÃO HISTÓRICA DOS MEIOS DE SOLUÇÃO DE 
CONFLITOS .......................................................................................................... 10 
1.3 O ACESSO À JUSTIÇA ............................................................................... 12 
1.4 TEORIA DA EFICIÊNCIA X EFICÁCIA ........................................................ 16 
2 MECANISMOS PARA A RESOLUÇÃO DO CONFLITO- SISTEMA 
MULTIPORTAS ........................................................................................................ 20 
2.1 CONCILIAÇÃO ............................................................................................ 24 
2.2 MEDIAÇÃO .................................................................................................. 26 
2.3 NEGOCIAÇÃO ............................................................................................. 29 
2.4 ONLINE DISPUTE RESOLUTION (ODR) .................................................... 31 
2.5 ARBITRAGEM ............................................................................................. 34 
2.6 JURISDIÇÃO ESTATAL ............................................................................... 35 
3 A RESISTÊNCIA AOS MEIOS ALTERNATIVOS DE RESOLUÇÃO DE 
CONFLITOS .............................................................................................................. 38 
3.1 A CULTURA DA SENTENÇA E O DEVER DO ADVOGADO ...................... 40 
3.2 A JUSTIÇA EM NÚMEROS ......................................................................... 44 
3.3 A JURIMETRIA ............................................................................................ 51 
3.4 OS BENEFÍCIOS ......................................................................................... 54 
CONCLUSÃO ........................................................................................................... 57 
REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 60 
 
v 
LISTA DE SIGLAS 
 
ADR Alternative Dispute Resolution 
CF Constituição Federal 
CNJ Conselho Nacional de Justiça 
CPC Código de Processo Civil 
OAB Ordem dos Advogados do Brasil 
ODR Online Dispute Resolution 
TJ Tribunal de Justiça 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
vi 
RESUMO 
 
O acesso à justiça é um princípio constitucional previsto no art. 5º, XXXV da CF/88, 
devendo ser garantido para todos que dela necessitam, por essa razão o Estado 
brasileiro vem buscando soluções para atender com plenitude as demandas judiciais 
respeitando as garantias do contraditório, ampla defesa e devido processo legal. 
Ocorre que os trâmites processuais que atendam essas previsões constitucionais 
levam à uma demora excessiva na entrega da solução para o conflito o que pode 
resultar na ineficácia do processo ou mesmo uma sensação de injustiça. Para 
solucionar essa questão sem abandonar a devida instrumentalidade processual 
ressurge a adoção dos meios autocompositivos, o que a doutrina denomina de “meios 
alternativos de resolução de conflitos”, trazendo possibilidade de ampliar o acesso à 
justiça e acelerar a prestação jurisdicional, otimizando os recursos a ela destinados. 
Para tanto disciplinou mecanismos como a mediação, conciliação, negociação, 
arbitragem e a “online dispute resolution”, ou seja, um leque de opções destinados à 
solucionar o conflito pela via mais compatível ao caso concreto. No entanto, a adesão 
pelos métodos alternativos ocorre com certa desconfiança, tanto pelos litigantes como 
por parte de seus advogados, fator este que deve ser superado diante a importância 
da justiça autocompositiva na atualidade. Com intermédio da jurimetria é possível 
vislumbrar ganhos para todos os envolvidos, uma vez que é possível proceder com 
uma análise estatística de cada situação concreta, estimar a decisão bem como a 
condenação, o que favorece pela escolha da melhor opção que poderá solucionar o 
caso de forma efetiva. 
 
 
Palavras chave: Mediação, Conciliação, Jurimetria, Conflito, Autocomposição. 
 
 
1 
 
 
INTRODUÇÃO 
 
O conflito é inerente à raça humana e esteve presente em todas as etapas 
evolutivas da sociedade que conhecemos, de modo que, a história divide seus 
grandes acontecimentos entre guerras, revoluções e exploração humana. A 
autotutela, a autocomposição e a arbitragem eram os principais meios de solução 
desses conflitos. 
 O Estado foi chamado a intervir, legislou e garantiu a jurisdição como único 
ou principal meio de dirimir qualquer controvérsia, ocorre que, muitas revoluções 
ocorreram ao longo da história, com elas grandes conquistas e as principais são 
aquelas que estão respaldadas nos direitos humanos que trouxeram uma série de 
direitos mínimos, algo que somente era garantido àqueles que tinham privilégios e 
poder, dentre esses direitos, o acesso à justiça, algo que garantiria a qualquer cidadão 
buscar o que acredita ser seu por direito. 
No Brasil, o artigo 5.º, XXXV da Constituição Federal de 1988 garante à todos 
o acesso à justiça, inobstante, garante que a justiça se faça dentro dos princípios do 
devido processo legal com o contraditório e ampla defesa. 
No entanto, ao garantir o acesso à justiça para todos, o Estado chamou para 
si uma ampla gama de conflitos para solucionar, de modo que o judiciário ficou 
abarrotado de ações, que precisam ser resolvidas nos ditames do devido processo 
legal com todas