A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
102 pág.
BLOCO 2 PDF

Pré-visualização | Página 3 de 13

de capacidade física (CCF) exigido para que um comissário de voo exerça suas 
prerrogativas é o de: 
 a) 1ª classe 
 b) 2ª classe 
 c) 3ª classe 
 d) N.D.A. 
 
63. Transportar carga, material perigoso ou proibido sem autorização, poderá implicar em: 
 a) multa e cassação da licença do tripulante. 
 b) multa e interdição da aeronave 
 c) cassação do certificado e detenção da aeronave. 
 d) suspensão dos documentos da aeronave. 
 
64. O CBAer, ao tratar da responsabilidade civil, estabelece que para garantir eventual indenização 
de riscos futuros em relação a tripulantes, passageiros, carga, entre outros, todo explorador é 
obrigado a: 
 a) contratar seguro 
 b) estabelecer os valores dos bens para eventual indenização. 
 c) depositar em juízo, quantia em espécie, relativa ao valor dos bens transportados. 
 d) pedir autorização ao DAC para o transporte. 
 
65. A prática de contrabando poderá acarretar ao aeronauta infrator, a pena de: 
 a) cassação do certificado 
 b) multa e suspensão do certificado. 
 c) cassação de licença de voo. 
 d) suspensão do certificado. 
 
66. No caso de suspensão do certificado, o aeronauta ficará impedido de exercer suas funções por 
um prazo inicial, de no máximo: 
 a) 90 dias 
 b) 30 dias 
 c) 365 dias 
 d) 180 dias 
 
67. Todo transporte em que os pontos de partida, intermediário e de destino estejam em 
território nacional, é considerado transporte: 
 a) nacional 
 b) brasileiro 
 c) doméstico 
 d) aéreo regular 
 
68. Para fins de garantia de responsabilidade, a expedição ou renovação do certificado de 
aeronavegabilidade só ocorrerá se o proprietário ou explorador da aeronave comprovar: 
 a) a propriedade da aeronave. 
 b) ser brasileiro nato ou naturalizado. 
 c) ter autorização para executar o serviço de voo. 
 d) ter contratado o seguro previsto 
 
69. A cassação de um CHT dependerá de um inquérito administrativo, no curso do qual: 
 a) será assegurada ampla defesa do infrator 
 b) o infrator não deverá ser ouvido. 
 c) a autoridade aeronáutica arbitrará a culpabilidade do infrator. 
 d) a autoridade aeronáutica não permitirá o uso das prerrogativas estabelecidas no CHT. 
 
70. No caso dos tripulantes, quais as punições que poderão ocorrer pelo código brasileiro de 
aeronáutica: 
 a) multa e cassação. 
 b) suspensão e multa. 
 c) cassação somente. 
 d) multa, suspensão e cassação 
 
71. O lançamento de coisas de bordo de aeronaves, dependerá de previa permissão da autoridade 
aeronáutica competente, exceto: 
 a) quando a aeronave estiver sobre o mar. 
 b) nos voos sobre áreas desabitadas (desertos ou selva). 
 c) nas situações de emergência 
 d) quando se tratar de propaganda (lançamento de panfletos). 
 
72. No caso de pouso de emergência ou forçado, o proprietário ou possuidor do solo não poderá 
opor-se à retirada da aeronave ou sua partida, desde que: 
 a) autorizado pela autoridade competente. 
 b) o comandante seja responsável pela operação. 
 c) a autoridade policial local tenha autorização. 
 d) lhe seja dada garantia de reparação dos danos 
 
73. Salvo permissão especial, nenhuma aeronave poderá voar no espaço aéreo brasileiro, 
aterrissar no território subjacente ou dele decolar, a não ser que tenha: 
 a) sido registrada no RAB e porte os certificados de propriedade e aeronavegabilidade. 
 b) autorização expedida pelo CTA. 
 c) certificados de matrícula e aeronavegabilidade. 
 d) marcas de matricula e nacionalidade e esteja munida dos respectivos certificados de 
matrícula e aeronavegabilidade 
 
74. A aeronave é considerada da nacionalidade do Estado em que: 
 a) foi construída. 
 b) estiver matriculada 
 c) recebeu a homologação. 
 d) se acidentou. 
 
75. Toda aeronave proveniente ou com destino ao exterior fará, respectivamente, o primeiro 
pouso ou a última decolagem, em aeroporto: 
 a) privado 
 b) nacional 
 c) internacional 
 d) doméstico 
 
76. Assinale a alternativa que julgar correta: 
 a) os aeródromos militares podem ser utilizados por quaisquer aeronaves civis. 
 b) os aeródromos privados podem ser utilizados com fins comerciais. 
 c) uma aeronave pertencente a uma empresa aérea regular será considerada aeronave pública. 
 d) tripulantes são pessoas devidamente habilitadas que exercem função a bordo de aeronaves 
 
77. O Código Brasileiro de Aeronáutica (CBAer) classifica os aeródromos em: 
 a) públicos e privados. 
 b) civis e militares 
 c) públicos e militares. 
 d) comerciais e não comerciais. 
 
78. Toda área definida, destinada a chegada, partida e movimento de aeronaves, é: 
 a) aeroporto. 
 b) aeródromo 
 c) pista de pouso. 
 d) campo de aviação. 
 
79. As aeronaves brasileiras são classificadas em: 
 a) civis e militares 
 b) públicas e privadas. 
 c) aeróstatos e aeródinos. 
 d) federais, estaduais e municipais. 
 
80. O surgimento do direito aeronáutico se deveu à necessidade de: 
 a) permitir o uso de aeronaves nas viagens internacionais. 
 b) regulamentar o emprego do avião, após ter sido considerado o veículo de transporte aéreo 
 c) Normatizar o regulamento de tráfego aéreo. 
 d) Coordenar as relações internacionais do transporte aéreo de carga. 
 
81. No Brasil, a legislação básica do direito aeronáutico está consubstanciada na lei nº 7565, de 19 
de dezembro de 1986, que sancionou o: 
 a) anexo 1 da ICAO. 
 b) Regulamento Brasileiro de Homologação Aeronáutica. 
 c) Código Brasileiro de Aeronáutica. 
 d) Registro Aeronáutico Brasileiro. 
 
82. O aeródromo destinado exclusivamente a operações de helicópteros é denominado: 
 a) helipista. 
 b) heliponto 
 c) aeródromo especifico. 
 d) helibase. 
 
83. Todo aparelho manobrável em voo, que possa sustentar-se e circular no espaço aéreo 
mediante reações aerodinâmicas, apto a transportar pessoas ou coisas é considerado: 
 a) aeronave 
 b) avião 
 c) aeroplano 
 d) aeródino 
 
84. Das alternativas abaixo, qual indica o órgão de Sistema de Aviação Civil (SAC) que está 
diretamente subordinado ao diretor geral do DAC: 
 a) Instituto de Aviação Civil (IAC) 
 b) Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 
 c) Centro Técnico Aeroespacial (CTA). 
 d) Diretoria de Saúde da Aeronáutica (DIRSA). 
 
85. O relatório preliminar referentes aos acidentes ocorridos com aeronaves civis, tem em 
principio, caráter: 
 a) ostensivo 
 b) reservado 
 c) secreto 
 d) normal. 
 
86. O sistema de investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos tem como sigla: 
 a) CENIPA 
 b) DIPAA 
 c) CIAA 
 d) SIPAER 
 
87. Em caso de acidente, a guarda da aeronave ou de seus destroços, objetivando preservar os 
indícios e evidências, são responsabilidade do (a): 
 a) SRPV da área. 
 b) COMAR da área. 
 c) prefeitura ou policia local. 
 d) proprietário ou operador da aeronave 
 
88. Cabe ao SIPAA ou SERAC, a investigação de acidente aeronáutico ocorrido com aeronave 
pertencente à aviação: 
 a) doméstica 
 b) internacional 
 c) geral 
 d) regular 
 
89. Assinale a alternativa errada: 
 a) Um acidente aeronáutico ocorre por uma única causa 
 b) todos os acidentes aeronáuticos podem ser evitados. 
 c) a prevenção de acidentes requer mobilização geral. 
 d) todo acidente aeronáutico tem um precedente. 
 
90. O documento que contém o relato de fatos considerados potencialmente perigosos à aviação 
e que permite a adoção de medidas corretivas pelas autoridades aeronáuticas, é denominado 
relatório: 
 a) final 
 b) preliminar 
 c) de perigo 
 d) de incidente. 
 
91. Se durante uma investigação de acidente aeronáutico houver índices de crime ou 
contravenção, poderá ser: 
 a) cancelada a investigação. 
 b) remetida a investigação para um juiz de direito. 
 c) sequestrada a tripulação. 
 d) instaurado um inquérito policial, paralelamente à investigação

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.