A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
102 pág.
BLOCO 2 PDF

Pré-visualização | Página 4 de 13

92. Assinale a alternativa que não diz respeito às responsabilidades do proprietário ou explorador 
da aeronave em caso de acidente aeronáutico: 
 a) fornecer informações nos processos e investigação. 
 b) guarda dos destroços e bens da aeronave. 
 c) investigação de acidente 
 d) ressarcimento dos danos causados aos passageiros. 
 
93. As investigações de acidentes e incidentes aeronáuticos têm por finalidade: 
 a) definir acidentes em garimpos e verificar de quem é a responsabilidade. 
 b) prevenir acidentes aeronáuticos, eliminando fatores para a sua ocorrência, orientando com 
normas de segurança 
 c) prevenir incidentes, responsabilizando o operador da aeronave mesmo que este não traga 
ensinamentos para prevenção. 
 d) definir responsabilidades do comandante e dos demais tripulantes favorecendo fatores para 
eventuais e próximas ocorrências. 
 
94. Havendo deficiências em auxílio à navegação, deve-se preencher: 
 a) relatório de perigo 
 b) relatório de incidente. 
 c) relatório preliminar. 
 d) formulário de notificação; 
 
95. Os destroços de uma aeronave acidentada que não puderem ser removidos deverão ser 
marcados com tinta: 
 a) preta e pelo COMAR. 
 b) vermelha e pelo CENIPA. 
 c) amarela e pelo SALVAERO. 
 d) amarela e pelo operador da aeronave 
 
96. A pessoa que tiver conhecimento de acidente aeronáutico, ou da existência de destroços de 
aeronaves, deverá comunicar a autoridade competente: 
 a) pessoalmente. 
 b) por via telefone. 
 c) pelo meio mais rápido 
 d) através do radiograma. 
 
97. O responsável pela destinação dos restos mortais das vítimas de incidentes aeronáuticos é o: 
 a) COMAR. 
 b) operador da aeronave 
 c) equipe médica da SIPAER. 
 d) Comando da Aeronáutica. 
 
98. Quando o operador da aeronave envolvida num incidente aeronáutico não dispuser de agente 
de segurança de voo (ASV) e não puder utilizar o de outro operador: 
 a) o incidente estará isento de investigação. 
 b) deverá solicitar ao CENIPA a referida investigação. 
 c) deverá solicitar ao SERAC da área a referida investigação 
 d) apenas comunicará o fato ao CENIPA, pois de maneira geral, os incidentes aeronáuticos não 
são investigados. 
 
99. A comunicação de um acidente aeronáutico ou da existência de destroços de aeronaves: 
 a) é obrigação de qualquer pessoa 
 b) é facultativo a qualquer pessoa, porém obrigatório para qualquer aeronáutica. 
 c) é da competência de qualquer órgão do Comando da Aeronáutica. 
 d) se constitui numa obrigação somente para os radioamadores e os aeronautas. 
 
100. O proprietário, explorador, arrendatário ou tripulantes deverão comunicar o acidente 
ocorrido com aeronave sob sua responsabilidade, pelo meio mais rápido disponível, a: 
 a) autoridade policial local. 
 b) qualquer repartição pública. 
 c) organização militar mais próxima. 
 d) organização do comando da aeronáutica mais próxima 
 
101. A guarda dos bens envolvidos no acidente, a bordo da aeronave acidentada, ou de terceiros 
envolvidos, é da responsabilidade do (da): 
 a) explorador da aeronave. 
 b) autoridade policial regional. 
 c) proprietário ou operador da aeronave. 
 d) piloto em comando ou tripulante que não estiver incapacitado 
 
102. Toda a pessoa que tiver conhecimento de acidente aeronáutico, deverá comunicar o fato 
pelo meio mais rápido a (ao): 
 a) proprietário. 
 b) explorador da aeronave. 
 c) autoridade pública mais próxima 
 d) autoridade militar mais próxima. 
 
103. Um acidente aeronáutico ocorrido com aeronave não pertencente à empresa aérea regular, 
será investigado pelo: 
 a) Comando aéreo Regional. 
 b) Departamento de Aviação Civil. 
 c) Serviço Regional de Aviação Civil 
 d) Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. 
 
104. A legislação referente às atividades do SIPAER, é regulamentada através de: 
 a) acordos internacionais. 
 b) portarias do Comando da Aeronáutica. 
 c) normas de sistema do Comando da Aeronáutica 
 d) boletins da Organização de Aviação Civil Internacionais. 
 
105. O órgão central do SIPAER que investiga os acidentes é o: 
 a) CINDACTA 
 b) SERAC 
 c) CENIPA 
 d) SRPV 
 
106. No caso de um acidente aeronáutico, o comandante, logo que possível, deverá avisar: 
 a) outra empresa aérea mais próxima. 
 b) a própria empresa. 
 c) Comando da Aeronáutica 
 d) autoridade pública mais próxima. 
 
107. Toda ocorrência com intenção de voo, onde não haja danos na aeronave nem vítimas, é 
considerado: 
 a) acidente aeronáutico. 
 b) incidente aeronáutico 
 c) acidente de trabalho. 
 d) incidente. 
 
108. O SIPAER tem como princípio filosófico: 
 a) investigação de acidentes. 
 b) prevenção de acidentes 
 c) punição de culpados. 
 d) reparação de danos. 
 
109. A responsabilidade de treinamento de tripulantes da aeronave após um pouso de emergência 
antes da chegada do serviço de salvamento, compete ao: 
 a) DIPAA. 
 b) SIPAA. 
 c) explorador da aeronave 
 d) CENIPA. 
 
110. O documento formal destinado ao registro e a divulgação de informações de incidente 
aeronáutico, é designado como: 
 a) RP 
 b) RELIN 
 c) RELPER 
 d) REITAA 
 
111. O elemento civil credenciado para investigação de acidentes aeronáuticos envolvendo 
aeronave civil brasileira pertencente a companhia aérea regular, é designado: 
 a) proprietário da aeronave. 
 b) ASV da companhia aérea 
 c) operador da aeronave. 
 d) OSV do comando aéreo. 
 
112. O grupo de pessoas designado a investigar um acidente aeronáutico específico convocado de 
acordo com as características daquele acidente denomina-se: 
 a) DIPAA 
 b) CNPAA 
 c) CIAA 
 d) CNPA 
 
113. A afirmativa “todo acidente pode ser evitado” faz parte dos conceitos filosóficos do(a): 
 a) SIPAER 
 b) SIPAA 
 c) OACI 
 d) DECEA 
 
114. No caso de aeronave desaparecida ou em local inacessível, considera-se: 
 a) acidente grave. 
 b) incidente grave. 
 c) acidente aeronáutico 
 d) incidente aeronáutico. 
 
115. No caso de vazamento de combustível, alarme de fogo falso, sem danos graves para a 
aeronave ou passageiros, é considerado como: 
 a) acidente aeronáutico. 
 b) incidente aeronáutico 
 c) infração aeronáutica. 
 d) acidente aeronáutico leve. 
 
116. Indique qual das alternativas abaixo cita alguns dos elementos do SIPAER: 
 a) ASV, CIAA, CPAA. 
 b) SOB, CPNAA, SAV. 
 c) SVO, CPAA, SIPAA. 
 d) CNPAA, CIAA, ASV 
 
117. Quando em voo ocorrer algo como colisão de pássaros com a aeronave, sem prejuízos ou 
danos físicos e materiais, caracteriza-se: 
 a) acidente leve. 
 b) acidente grave. 
 c) incidente aeronáutico 
 d) situação de sobreaviso. 
 
118. No que se refere a segurança de voo no Brasil, o órgão de caráter diretivo responsável pela 
proteção ao voo, é o: 
 a) Instituto de Proteção ao voo. 
 b) Serviço Regional de Proteção ao voo. 
 c) Departamento de Aviação Civil. 
 d) Departamento de Controle do Espaço Aéreo 
 
119. O órgão subordinado ao Departamento de Aviação Civil, responsável pela investigação de 
acidentes com aeronaves civis de transporte aéreo regular, é o: 
 a) CIPAA 
 b) CENIPA. 
 c) DIPAA 
 d) SINCOFAC 
 
120. Em toda empresa ou organização envolvida com a operação, manutenção, fabricação, 
circulação de aeronaves, deverá existir: 
 a) SPAA 
 b) DPAA 
 c) CIPAA 
 d) DIPAA. 
 
121. Comissão responsável por planejar e desenvolver a navegação aérea internacional é: 
 a) ITAO 
 b) OACI 
 c) IATA 
 d) CERNAI 
 
122. Quando ocorrer um abalroamento com aeronaves brasileiras em país estrangeiro, serão 
aplicadas as leis: 
 a) brasileiras 
 b) do país onde ocorreu 
 c) dos dois países 
 d) internacionais. 
 
123. Não tendo SERAC no Estado, o órgão existente em todos os aeroportos que irá representá-lo 
é o(a): 
 a) SAC 
 b) SPCON 
 c) STE 
 d) SSA.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.