A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
PROVA SOCIEDADES ANÔNIMAS A3

Pré-visualização | Página 3 de 3

decisões
relativas ao patrimônio social da pessoa jurídica, serão deliberados entre os sócios. Há três formas de integralizar o
capital social em uma sociedade anônima: dinheiro, bens ou crédito. O mais usado e menos complexo é o dinheiro.
Para a integralização de bens (móveis ou imóveis, corpóreos ou incorpóreos), é necessária uma avaliação desses
bens, de acordo com as formalidades legais. Explique como é feita a avaliação dos bens que irão formar o capital
social.
Resposta:
Justificativa: Expectativa de resposta:A Lei das Sociedades Anônimas é minuciosa. A avaliação dos bens será feita
por três peritos ou por empresa especializada, nomeados em assembleia geral dos subscritores, convocada pela
imprensa e presidida por um dos fundadores, instalando-se em primeira convocação com a presença de
subscritores que representem pelo menos metade do capital social e, em segunda convocação, com qualquer
número. Os peritos ou a empresa avaliadora deverão apresentar laudo fundamentado, com a indicação dos
critérios de avaliação e dos elementos de comparação adotados, também instruído com os documentos relativos
aos bens avaliados, e estarão presentes à assembleia quem conhecer o laudo, a fim de prestar as informações que
forem solicitadas. Se o subscritor aceitar o valor aprovado pela assembleia, os bens serão incorporados ao
patrimônio da companhia, competindo aos primeiros diretores cumprir as formalidades necessárias à respectiva
transmissão. Se a assembleia não aprovar a avaliação, ou o subscritor não aceitar a avaliação aprovada, ficará sem
efeito o projeto de constituição da companhia. Os bens não poderão ser incorporados ao patrimônio da companhia
por valor acima do que lhes tiver dado o subscritor.
1,50/ 1,50
8  Código: 27616 - Enunciado:   Caio, administrador de uma companhia, descobriu que outro administrador da
mesma companhia, César, tem atuado em proveito próprio, causando prejuízo ao patrimônio da empresa, agindo
com violação do princípio do dever legal de lealdade. Caio, embora não esteja participando da conduta ilícita, não
quer se indispor com César, que também é seu amigo, razão pela qual se mantém em silêncio sobre o caso.   Tendo
em vista os fatos acima narrados e, ainda, a hipótese de o caso ser revelado a terceiros, responda às perguntas que
se seguem.   Explique se qualquer acionista da referida sociedade poderá imediatamente oferecer ação de
responsabilidade contra César. Caio poderá ser responsabilizado pela conduta de César? Por quê?
Resposta:
Justificativa: Expectativa de resposta:a. Para ser proposta uma ação de responsabilidade civil contra o
administrador, é necessária prévia deliberação e consentimento da assembleia geral da companhia. A legitimidade
ordinária para propor tal ação é da própria companhia. Porém, se a ação não for proposta por ela nos três meses
seguintes à assembleia geral, todos os acionistas terão legitimidade extraordinária para propô-la. Se a assembleia
geral não autorizar a propositura da ação, ainda assim ela poderá ser proposta, desde que a(s) parte(s) ativa(s)
represente(m) 5% ou mais do capital social.b. Prevalece a regra de que um administrador não pode ser
responsabilizado por ato ilícito praticado por outro. Porém, Caio, em exceção, poderá ser responsabilizado pela
conduta de César porque foi conivente com os atos que prejudicavam a companhia, embora não participasse do
ilícito, e deixou de agir, de tomar as providências necessárias.
1,00/ 2,50

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.