A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Anatomia do Pescoço

Pré-visualização | Página 1 de 5

Pescoço 
É a área de transição entre a base do crânio 
superiormente e as clavículas inferiormente 
 
OSSOS DO PESCOÇO 
O esqueleto do pescoço é formado pelas 
vértebras cervicais, pelo hióide, pelo manúbrio do 
esterno e pelas clavículas. Esses ossos são parte do 
esqueleto axial (menos as clavículas). 
 
Vértebras cervicais 
No pescoço estão contidos as 7 vértebras 
cervicais. Os corpos vertebrais empilhados e 
posicionados centralmente sustentam a cabeça, e as 
articulações intervertebrais proporcionam a 
flexibilidade necessária para permitir o 
posicionamento da cabeça. 
 
As quatro vértebras cervicais típicas (III a VI) 
têm as seguintes características: 
● corpo vertebral é pequeno e mais longo no 
sentido laterolateral do que no sentido 
anteroposterior; a face superior é côncava e a 
face inferior é convexa 
● forame vertebral grande e triangular 
● faces superiores dos processos articulares 
estão voltadas em sentido superoanterior, e as 
faces inferiores estão voltadas em sentido 
inferoposterior 
● processos espinhosos são curtos e, em 
indivíduos de ascendência europeia, bífidos 
 
Hioide 
O ​hioide ​é um osso móvel situado na parte 
anterior do pescoço, no nível da vértebra C III, no 
ângulo entre a mandíbula e a cartilagem tireóidea. O 
hioide não se articula com nenhum outro osso. É 
suspenso dos processos estilóides dos temporais pelos 
ligamentos estilohióideos e está firmemente unido à 
cartilagem tireóidea 
A função desse osso é de ser um local de 
fixação para os músculos anteriores do pescoço e atua 
como suporte para manter a via respiratória aberta. 
O hioide, em sua estrutura, tem um ​corpo e 
cornos maior e menor. O corpo do hioide está voltado 
anteriormente (2,5 cm de largura e 1 cm de 
espessura). A face convexa anterior projeta-se em 
sentido anterossuperior; a face côncava posterior 
projeta-se em sentido posteroinferior. Cada 
extremidade do corpo está unida a um ​corno maior 
que se projeta em sentido posterossuperior e lateral a 
partir do corpo. Cada ​corno menor é uma pequena 
projeção óssea (sentido superoposterior) da parte 
superior do corpo do hioide perto de sua união com o 
corno maior e está unido o corpo do hióide por tecido 
fibroso ou por uma articulação sinovial. 
 
 
 
 
FÁSCIA DO PESCOÇO 
As estruturas no pescoço são circundadas por 
uma camada de ​tela subcutânea (hipoderme) e são 
divididas em compartimentos por camadas de ​fáscia 
cervical​. 
 
OBS! A fáscia é uma lâmina de tecido fibroso na qual 
se fixam alguns músculos 
 
Tela subcutânea cervical 
A tela subcutânea cervical é uma camada de 
tecido conjuntivo adiposo situada entre a derme da 
pele e a lâmina superficial da fáscia cervical. Contém 
nervos cutâneos, vasos sanguíneos e linfáticos, 
linfonodos superficiais e quantidades variáveis de 
gordura. A parte anterolateral contém o músculo 
platisma. 
 
Platisma 
O músculo ​platisma é uma lâmina larga e fina 
de músculo na tela subcutânea do pescoço. A ​veia 
jugular externa (VJE)​, que desce do ângulo da 
mandíbula até o meio da clavícula, e os ​principais 
nervos cutâneos do pescoço situam-se profundamente 
ao músculo platisma. 
O músculo platisma cobre a face anterolateral 
do pescoço. Suas fibras originam-se na fáscia 
muscular que cobre as partes superiores dos 2 
músculos do deltoide e do peitoral maior e seguem em 
sentido superomedial sobre a clavícula até a margem 
inferior da mandíbula. A região anterosuperior dos 
dois músculos cruzam-se sobre o mento e se fundem 
aos músculos da face; na parte mais inferior, as fibras 
divergem, deixando uma abertura anterior à laringe e 
à traqueia. O músculo platisma é suprido pelo ramo 
cervical do​ NC VII​. 
Agindo a partir de sua fixação superior à 
mandíbula, o músculo platisma tensiona a pele, 
produzindo sulcos cutâneos verticais e liberando a 
pressão sobre as veias superficiais. Atuando a partir 
de sua fixação inferior, o músculo platisma ajuda a 
abaixar a mandíbula e os ângulos da boca​, como ao 
fazer uma careta. 
 
Fáscia cervical 
A ​fáscia cervical é formada por três lâminas 
(bainhas) fasciais: ​superficial, pré-traqueal e 
pré-vertebral​. Essas lâminas sustentam as vísceras 
cervicais (p. ex., glândula tireoide), os músculos, os 
vasos e os linfonodos profundos. A fáscia cervical 
também se condensa ao redor das ​artérias carótidas 
comuns​, das ​veias jugulares internas (VJI) e dos 
nervos vagos​ para formar a​ bainha carótica​. 
As funções dessa fáscia são de: 
● formar planos de clivagem naturais através 
dos quais os tecidos podem ser separados 
durante a cirurgia, e limitam a disseminação 
de abscessos resultantes de infecções 
● garantem o deslizamento de estruturas no 
pescoço para que se movimentem e passem 
umas sobre as outras sem dificuldade 
OBS! As cores utilizadas nas duas imagens acima são diferentes 
 
Lâmina superficial da fáscia cervical 
Circunda todo o pescoço profundamente à 
pele e à tela subcutânea. Nos “quatro ângulos” do 
pescoço, divide-se em partes superficial e profunda 
para envolver ​(revestir) os músculos trapézio e 
esternocleidomastóideo (ECM) - perceptível na última 
imagem; esses músculos são inervados pelo mesmo 
nervo (NC XI). Eles têm fixações praticamente 
contínuas à base do crânio superiormente e à espinha 
escapular, ao acrômio (partes da escápula) e à 
clavícula inferiormente. 
Na parte superior, os locais de fixação da 
lâmina superficial da fáscia cervical são: 
● Linhas nucais superiores do occipital 
● Processos mastoides dos temporais 
● Arcos zigomáticos 
● Margem inferior da mandíbula 
● Hioide 
● Processos espinhosos das vértebras cervicais. 
 
Na parte inferior, é fixada ao: 
● Manúbrio do esterno 
● Clavículas 
● Acrômios 
● Espinhas das escápulas 
 
A lâmina superficial da fáscia cervical é 
contínua posteriormente com o periósteo que cobre o 
processo espinhoso de C VII, e com o ligamento 
nucal, uma membrana triangular que forma um septo 
fibroso mediano entre os músculos dos dois lados do 
pescoço. 
Na parte inferior, entre as cabeças esternais 
dos músculos ECM e imediatamente superior ao 
manúbrio, a lâmina superficial da fáscia cervical 
permanece dividida em duas camadas para envolver o 
ECM; uma lâmina fixa-se à face anterior e outra à 
face posterior do manúbrio (espaço supraesternal 
entre elas) - perceptível duas imagens acima. Esse 
espaço envolve as extremidades inferiores das veias 
jugulares anteriores, o arco venoso jugular, gordura e 
alguns linfonodos profundos. 
 
Lâmina pré-traqueal da fáscia cervical 
É uma lâmina limitada à parte superior do 
pescoço. Essa lâmina inclui duas partes (vistas na 
imagem acima): 
● Parte muscular fina​: ​reveste os músculos 
infra-hióideos 
● Parte visceral​: ​reveste a glândula tireoide, a 
traqueia e o esôfago e é contínua nas partes 
posterior e superior com a fáscia bucofaríngea 
da faringe 
 
A lâmina pré-traqueal funde-se lateralmente 
com as ​bainhas caróticas​. Superiormente ao hioide, 
um espessamento da lâmina pré-traqueal forma uma 
polia ou tróclea, por onde passa o tendão intermédio 
do ​músculo digástrico, suspendendo o hioide. 
Passando ao redor da margem lateral do tendão 
intermédio do músculo omo-hióideo, a lâmina 
pré-traqueal também