A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Trombose Venosa Superficial

Pré-visualização | Página 1 de 1

Beatriz Tianeze de Castro | SOI III | P3 - MEDICINA 
 
Introdução 
 
Definição 
 
Formação de um pequeno coágulo em 
uma veia superficial, que ocasiona um 
processo inflamatório da parede venosa 
e dos tecidos vizinhos. 
 
Incidência 
 
É uma afecção bastante frequente, 
variando de 3 a 11% na população 
geral. 
 
Fatores de Risco 
 
Estase venosa 
 ♦ Veias varicosas. 
 ♦ Período prolongado de repouso. 
Distúrbios da coagulação 
 ♦ Trombofilias. 
 ♦ Câncer. 
 ♦ Gravidez. 
 ♦ Uso de anticoncepcionais orais. 
 ♦ Síndrome antifosfolipídico. 
 
 
Lesão à parede venosa 
 ♦ Injeções intravenosas. 
 ♦ Cateteres intravenosos. 
 ♦ Trauma. 
♦ Insuficiência venosa crônica e veias 
varicosas. 
Outros 
 ♦ + de 60 anos de idade. 
 ♦ Obesidade. 
♦ Doenças inflamatórias crônicas 
autoimunes, como Buerger, Behçet e 
Mondor. 
 
Etiopatogenia 
 
Causas Gerais 
 
 ♦ Injeção intravenosa de drogas ilícitas. 
♦ Injeção de meios de contraste em veias 
superficiais. 
♦ Varicotromboflebite. 
♦ Tromboflebite séptica. 
♦ Síndrome de Lemierre: infecção 
orofaríngea associada à septicemia e 
trombose jugular interna. 
 
 
 
Beatriz Tianeze de Castro | SOI III | P3 - MEDICINA 
Tríade de Virchow 
 
 ♦ Lesão endotelial. 
 ♦ Estase venosa. 
♦Alterações dos constituintes 
sanguíneos. 
 
Sem Causa Aparente 
 
♦ Associado ao estado primário de 
hipercoagulabilidade por defeitos 
específicos nos constituintes da 
coagulação, fibrinólise ou de ambos. 
♦ Ocorre nos casos de deficiência de 
antitrombina III, cofator II da 
heparina, proteína C e proteína S, fator 
XII, mutações do fator V-G1691A, 
protrombina-G20210A, defeitos no 
sistema fibrinolítico e do ativador 
tecidual do plasminogênio, 
plasminogênio anormal, anticoagulante 
lúpico e síndrome do anticorpo 
anticardiolipina. 
 
Causas + Comuns 
 
Alterações secundárias de coagulação e/ou à 
fibrinólise 
 ♦ Neoplasia. 
 ♦ Gravidez. 
 ♦ Uso de contraceptivos. 
Condições que propiciam a estase venosa 
 ♦ Obesidade. 
 ♦ Varizes. 
 
Disfunções endoteliais 
♦ Doença de Behçet: distúrbio 
vasculítico crônico, inflamatório, 
recidivante e multissistêmico com 
inflamação das mucosas. 
♦ Doença de Mondor: tromboflebite da 
veia superficial peniana. 
♦ Doença de Buerger: tromboangeíte 
obliterante; inflamação e obstrução 
subsequente de artérias de pequeno e 
médio calibre das pernas ou dos braços. 
 
Anatomia Patológica 
 
Trombo 
 
Predominância de conteúdo leucocitária 
(flogístico), comprometendo os 
territórios perivasculares. 
 
Tromboflebite Química 
 
Trombo 
♦ Aderente. 
♦ Sua organização resulta em uma 
estrutura retraída com considerável 
fibrose. 
Características 
♦ Reação inflamatória asséptica da 
parede venosa em grau variável. 
♦ Alterações histopatológicas afetando 
todas as camadas. 
 
 
 
Beatriz Tianeze de Castro | SOI III | P3 - MEDICINA 
Classificação 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TS
 em
 V
eia
 V
ar
ico
sa Localização: veia safena magna, veia
safena parva ou veias varicosas colaterais.
Fatores de risco: alterações endoteliais e
hemodinâmicas.
Etiologia: trauma, iatrogenia e infecções.
TS
 em
 V
eia
 N
ão
 V
ar
ico
sa Localização: qualquer veia superficial.
Fator de risco: estado de
hipercoagubilidade. Terá como etiologia a
TS durante gestação, uso de contraceptivos
orais e pré ou paraneoplásica.
Fator de risco: alterações endoteliais. Terá
como etiologia as vasculites (Burger,
Behçet e Mondor).
TS
 em
 V
eia
s 
V
ar
ico
sa
s o
u 
Sa
ud
áv
eis
Localização: membros inferiores ou
superiores.
Etiologia: pós-evento traumático,
queimaduras, iatrogenia e séptica.