A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Módulo 2 - aula 21 22 e 23 - Mutações genéticas

Pré-visualização | Página 1 de 5

Link para as aulas: https://bit.ly/3liTge6 
 
1. (UFMS) Considere a seguinte cadeia de DNA: 
 
TACTAGAATGCGTCC. 
 
A tabela a seguir apresenta cinco aminoácidos e seus 
respectivos códons: 
 
Aminoácido Códons 
Metionina AUG 
Isoleucina AUU, AUC, AUA 
Valina GUU, GUC, GUA, GUG 
Leucina UUA, UUG, CUU, CUC, CUA, CUG 
Arginina CGU, CGC, CGA, CGG, AGA, AGG 
 
Agora, considere o seguinte evento: uma mutação 
sobre as duas bases sublinhadas (A e T) na cadeia de 
DNA promoveu a substituição de cada uma delas pela 
base nitrogenada guanina. 
 
Com base nesse evento, é correto afirmar que: 
a) será produzida uma proteína diferente da original. 
b) os nucleotídeos do RNA mensageiro correspondente 
não serão modificados. 
c) não haverá alteração na sequência de aminoácidos da 
proteína a ser sintetizada. 
d) os códons subsequentes no trecho do RNA 
mensageiro correspondente serão alterados. 
parte da sequência de aminoácidos da proteína a ser 
sintetizada será modificada. 
e) parte da sequência de aminoácidos da proteína a ser 
sintetizada será modificada. 
 
2. (UFRGS) George W. Beadle e Edward L. Tatum, na 
década de 1940, realizaram experimentos com o mofo 
do pão, Neurospora crassa, observando uma rota 
metabólica para a síntese de arginina. Esse fungo tem o 
genoma haploide na maior parte do seu ciclo de vida. 
Para realizar a investigação, os cientistas provocaram 
mutações na cepa do tipo selvagem, por meio de raios 
X, e colocaram diferentes tipos de mutantes em meios 
de cultivo mínimo, com nutrientes básicos originais, e 
em meios com diferentes suplementos. 
 
O quadro abaixo mostra os resultados obtidos pelos 
pesquisadores: o sinal " " indica que houve 
crescimento da colônia de fungos, e o sinal " " indica 
que não houve crescimento. 
 
Cepa 
Suplementos adicionados ao meio 
Meio 
de 
cultivo 
mínimo 
Apenas 
ornitina 
Apenas 
citrulina 
Apenas 
arginina 
Selvagem     
Mutante 1     
Mutante 2     
Mutante 3     
 
Com base nos dados apresentados, é correto afirmar 
que 
a) a cepa mutante 2 apresenta mutação no gene que 
codifica a enzima, a qual converte citrulina em arginina. 
b) o experimento indica que há quatro genes envolvidos 
na produção de uma enzima que permite a conversão 
direta de um precursor inicial em arginina. 
c) a cepa mutante 3 apresenta mutação no gene que 
codifica a enzima, a qual converte o precursor em 
ornitina. 
d) o crescimento da colônia na cepa mutante 1, apenas 
com a adição de arginina no meio, indica que ela 
consegue converter a citrulina e a ornitina em arginina. 
e) a cepa selvagem apresenta mutações em todos os 
genes que codificam as enzimas. 
 
3. (Fuvest) Um paciente, com câncer sanguíneo 
(linfoma) e infectado por HIV, fez quimioterapia e 
recebeu um transplante de células-tronco da medula 
óssea de um doador resistente ao HIV. Como resultado, 
tanto o câncer como o HIV retroagiram neste paciente. 
O receptor mais usado pelo HIV para entrar nas células 
do corpo é o CCR5. Um pequeno número de pessoas 
resistentes ao HIV tem duas cópias mutadas do gene do 
receptor CCR5. Isso significa que o vírus não pode 
penetrar nas células sanguíneas do corpo que 
costumam ser infectadas. O paciente recebeu células‐
tronco da medula óssea de um doador que tem essa 
mutação genética específica, o que fez com que 
também ficasse resistente ao HIV. 
Disponível em https://www.bbc.com/. Março/2019. Adaptado. 
 
A terapia celular a que o texto se refere 
a) permitirá que eventuais futuros filhos do paciente 
transplantado também possuam células resistentes à 
infecção pelo HIV. 
b) possibilitou a produção, pelas células sanguíneas do 
paciente após o transplante, de receptores CCR5 aos 
quais o vírus HIV não se liga. 
https://bit.ly/3liTge6
 
 
 
 
 
 
 
 
c) promoveu mutações no gene CCR5 das células do 
paciente, ocasionando a produção de proteína à qual o 
HIV não se liga. 
d) gerou novos alelos mutantes que interagem com o 
gene do receptor CCR5 do paciente, ocasionando a 
resistência à entrada do HIV nas células do paciente. 
e) confirma que o alelo mutante que confere resistência 
à infecção pelo HIV é dominante sobre o alelo selvagem 
do gene CCR5. 
 
4. (UFRGS) A sequência abaixo corresponde a um trecho 
de DNA específico que sofreu uma mutação gênica por 
substituição de um nucleotídeo na 5ª posição. 
 
 
 
Sobre a mutação que ocorreu na sequência de DNA 
acima, é correto afirmar que 
a) gera uma cadeia polipeptídica com um aminoácido a 
menos. 
b) aumenta o número de códons do RNAm. 
c) é silenciosa, aumentando a variabilidade genética da 
espécie. 
d) altera o módulo de leitura do RNAm e o tamanho da 
proteína. 
e) causa a substituição de um aminoácido na proteína. 
 
5. (FCM-MG) “A Anemia Falciforme é uma doença que 
se deve à produção de moléculas defeituosas de 
hemoglobina. Com isso, as hemácias não transportam 
com eficiência o oxigênio, o que dá a ela o aspecto de 
uma foice, daí o nome de falciforme. Essas hemácias são 
mais frágeis e podem se romper causando problemas 
para a pessoa, como fortes dores. Em certos casos, o 
rompimento é tão intenso e rápido que pode levar a 
pessoa à morte.” 
 
Observe os dados comparativos abaixo. 
 
 
 
De acordo com as informações acima e outros conceitos 
a respeito do tema, podemos afirmar: 
a) Na Hemoglobina mutante, o aminoácido Valina 
substitui o Ácido Glutâmico da Hemoglobina normal. 
b) A mutação acima é do tipo “silenciosa”, pois ocorre a 
substituição de um único nucleotídeo ao longo da 
cadeia de DNA. 
c) O número de Aminoácidos da molécula de 
hemoglobina falciforme é maior do que o número de 
aminoácidos da hemoglobina normal. 
d) No DNA mutante, o número de Adeninas da cadeia 
complementar será maior do que o número de 
Adeninas da cadeia complementar normal. 
 
6. (Acafe) Genética é uma área da Biologia que estuda 
os mecanismos da hereditariedade, ou seja, como 
ocorre a transmissão de características de um indivíduo 
aos seus descendentes. 
Em relação aos conceitos básicos de genética, relacione 
as colunas. 
(1) Gene alelo 
(2) Epistasia 
(3) Euploidia 
(4) Aneuploidia 
(5) Polialelia 
 
(__) Alteração cromossômica numérica em que todo o 
conjunto cromossômico é alterado. 
(__) Condição em que um alelo de um gene bloqueia a 
expressão dos alelos de outro gene. 
(__) Alteração cromossômica numérica que afeta, na 
maioria das vezes, um único par de cromossomos. 
(__) Forma alternativa de um mesmo gene que ocupa o 
mesmo loco em cromossomos homólogos. 
(__) Três ou mais formas alélicas diferentes para um 
mesmo locos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A sequência correta, de cima para baixo, é: 
a) 5 – 4 – 1 – 3 – 2 b) 3 – 2 – 4 – 1 – 5 
c) 3 – 5 – 2 – 1 – 4 d) 4 – 2 – 3 – 1 – 5 
 
7. (UFJF-PISM3) Um filme argentino lançado no ano de 
2007 conta a história de Alex, um menino que, devido a 
uma alteração genética, apresenta características físicas 
femininas. Qual é a aneuploidia observada em Alex e o 
nome desta síndrome? 
a) XY0 e Síndrome de Down. 
b) XXXY e Síndrome do triplo X. 
c) X0 e Síndrome de Turner. 
d) XYY e Síndrome do XYY. 
e) XXY e Síndrome de Klinefelter. 
 
8. (Udesc) Os cromossomos são os portadores do 
material genético – o DNA. São geralmente alongados 
apresentam-se com “constantes” bem definidas: forma, 
tamanho e número. Só que essas chamadas 
“constantes” cromossômicas não são realmente 
constantes; se o fossem não haveria evolução. 
Texto extraído de: Teoria da Evolução: De Darwin à Teoria 
Sintética; Freire-Maia, Newton; 1988; São Paulo; p.415, Editora da 
Universidade de São Paulo. 
 
Com base no texto, analise as proposições. 
 
I. Alterações cromossômicas como translocações, 
deleções, duplicações, entre outras, são mecanismos 
evolutivos das espécies. 
II. Alterações no número de cromossomos, como as 
monossomias ou as trissomias, podem resultar em 
síndromes. 
III. Poliploidias podem resultar em espécies viáveis. 
IV. Os cromossomos aparecem por ocasião da divisão