A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
COLETA DE SANGUE

Pré-visualização | Página 1 de 1

COLETA DE MATERIAL PARA EXAMES LABORATORIAIS 
 
A enfermagem participa de várias atividades relativas ao auxílio diagnóstico do paciente, 
orientando-o no preparo para exames, providenciando material e local adequados, 
colhendo ou orientando-o na coleta das amostras para exames laboratoriais. 
Os materiais para exames colhidos rotineiramente pela enfermagem são: sangue, urina, 
escarro e secreções. Alguns exames laboratoriais exigem um preparo antes da coleta do 
material, tais como o jejum, a ingestão de determinados alimentos em quantidade 
pré-estipulada, a aplicação de algum medicamento, etc. Cabe à enfermagem providenciar 
esse preparo para que os resultados do exame não sejam prejudicados. 
Cuidados gerais na coleta de material para exame laboratorial: 
Identificação do recipiente para amostra. 
Preencha a etiqueta com letra legível onde deve constar: nome do paciente, 
quarto, leito, material, data e RG hospitalar. 
Preenchimento da requisição do exame. 
• Verifique se o médico preencheu devidamente a solicitação do exame e se o mesmo 
consta na prescrição médica. 
Atenção ao paciente. 
• Mantenha ambiente calmo, tendo todo o material necessário próximo ao paciente; 
• Informe o paciente do procedimento a que será submetido, propiciando sua 
participação. 
Ambiente. 
• Para se obter uma boa amostra é importante que o local seja limpo, arejado, com boa 
iluminação; mantenha a privacidade do paciente; 
• limpe o local da coleta após a realização do procedimento. 
Uso da técnica asséptica 
Todo material colhido é considerado suspeito, portanto, recomenda-se o máximo 
cuidado com a amostra e com os materiais que entram em contato com a amostra, 
para evitar a contaminação. 
Recipiente adequado. 
Para a realização de alguns exames, o recipiente deve estar estéril e para outros não 
há essa exigência; alguns tipos de amostra precisam ser preservadas em recipientes 
que contenham substâncias químicas conservantes; portanto, esteja atento ao tipo de 
exame para colocar a amostra no recipiente adequado. 
Quantidade de material 
Colha a quantidade suficiente de material, a exigida para a análise clínica; 
Se a quantidade for grande, por exemplo, o conservante do recipiente pode não ser 
suficiente para produzir o efeito desejado, se for pequena, pode ser insuficiente para a 
realização do exame. 
Recomendação dos laboratórios para a coleta. 
O laboratório clínico que realiza o exame deverá orientar com clareza o tipo de 
material, quantidade e cuidados especiais a serem tomados com a amostra a ser colhida. 
Resultado do exame. 
Quando o exame é pedido com urgência o médico deverá ser comunicado logo que o 
resultado chegar; enquanto que os exames de rotina, geralmente são avaliados quando 
da visita médica. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
COLETA DE AMOSTRA DE SANGUE 
 
Conceito 
 
E a extração de pequena quantidade de sangue do paciente para tipagem ou exame 
laboratorial. 
O volume a ser colhido e a escolha do frasco dependem do tipo de exame a ser 
realizado. 
A coleta de sangue com seringa e agulha é utilizada para tipagem e coagulograma de 
modo geral: tempo de protrombina, tempo de coagulação, etc. Para os demais 
exames utiliza-se o “sistema vacutainer”. 
 
O sistema “vacutainer” é composto de três elementos básicos: 
• tubo de vidro com tampa de borracha, contendo quantidade predeterminada de vácuo 
para aspiração de volume previamente especificado de sangue; 
• suporte para adaptação do tubo e para firmar a agulha de duas pontas (a ponta 
interna do suporte para furar a rolha do tubo e a externa para punção da veia): 
• agulha estéril descartável para coleta de amostra única ou múltipla de sangue. Os 
tubos são de vários tamanhos com ou sem anticoagulantes e com rolhas coloridas, 
de acordo com o tipo de sangue. 
 
Procedimentos para a coleta de amostra de sangue: 
 
 
Verifique a indicação da coleta, o tipo de exame a ser realizado e necessidade de jejum; 
Utilize técnica asséptica durante o procedimento; 
Lave as mãos; 
 
Providencie o material necessário: 
• seringa; • ​forro impermeável; 
• agulha, • ​etiqueta de identificação; • ​luvas de procedimento; 
• sistema vacutainer; •​ ​garrote; 
•frascos específicos para receber a amostra, • ​algodão com álcool; 
 
Verifique o volume a ser colhido; preencha a etiqueta de identificação do frasco com 
nome, número de registro, Jeito e quarto; 
Informe o paciente sobre o procedimento: 
Escolha uma veia calibrosa, coloque o impermeável sob a região a ser puncionada: 
Calce as luvas; 
 
Se ​utilizar o sistema “vacutainer”: 
 
Colha primeiro nos tubos com anticoagulante, quando houver necessidade de obter 
diversas amostras de sangue do mesmo paciente; 
Abra a embalagem da agulha até expor o canhão especial com rosca. Não retire ainda o 
protetor da agulha; atarraxe a agulha no suporte até ficar firme; 
Dê uma batida ligeira no tubo com aditivos para desalojar qualquer resíduo que possa 
estar preso em volta da rolha; 
Introduza o tubo coletor na superficie, em direção à agulha; ​não perfure a rolha de 
borracha; 
Aplique o garrote, faça antissepsia do local, retire o protetor da agulha e puncione a veia; 
Mantenha o braço do paciente ligeiramente inclinado para baixo e a rolha do tubo para 
cima; 
Pressione a rolha do tubo; continue pressionando até o final do suporte com o polegar e 
segurando a falange do suporte com os dedos; 
Solte o garrote assim que o sangue comece a fluir no tubo (se tiver vários tubos para 
colher, aguardar o último para retirar o garrote); 
Não permita que o conteúdo do tubo entre em contato com a rolha ou extremidade da 
agulha durante a coleta; se o sangue não fluir ou se o fluxo parar antes da obtenção de 
quantidade adequada de sangue; 
Verifique se a agulha está na veia; 
Remova o tubo e introduza em novo tubo até completar a punção da rolha; 
Caso não obtenha resultados favoráveis nos passos anteriores, remova todo conjunto, 
despreze o tubo e a agulha e repita toda a manobra; 
Retire o tubo do suporte, assim que o vácuo esgotar e o sangue parar de fluir, mantendo 
a agulha no paciente; 
Introduza o segundo tubo se houver necessidade de colher outras amostras e proceda da 
mesma forma; 
Vire levemente os tubos já cheios que contêm anticoagulantes, algumas vezes, enquanto 
estiver realizando a coleta; 
Não agite, as oscilações bruscas podem ocasionar hemólise; 
Terminada a coleta no último tubo: retire a agulha da veia, pressione o local da punção 
com algodão seco; 
Desatarraxe a agulha do suporte e despreze-a no recipiente de “perfuro cortante”. 
 
Se ​utilizar a seringa: 
 
• Monte a seringa e agulha; 
• Aplique o garrote, faça a antissepsia do local com algodão e álcool à 70%, 
puncione a veia e aspire o volume de sangue necessário; 
• Solte o garrote, comprima o local da punção com algodão seco e retire a seringa e 
agulha; 
• Retire a agulha da seringa e coloque o sangue no tubo coletor, deixando o líquido 
escorrer pela parede interna do vidro; 
• Feche o frasco; 
• Se o frasco for à vacuo, é só introduzir a agulha pela borracha e deixar o sangue fluir 
para dentro dele; 
• Movimente levemente o frasco quando tiver anticoagulante; 
• Não agite, as oscilações bruscas podem ocasionar hemólise; 
• Retire o material; 
• Lave as mãos; 
• Despreze a seringa e a agulha no recipiente de “perfuro cortante”; 
• Anote o procedimento e as intercorrências.