A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
TEORIA DO CRIME UNID 1

Pré-visualização | Página 7 de 7

, que criou o .Jakobs funcionalismo sistêmico
Referências
BITENCOURT, Cezar Roberto. : parte geral. vol. 1. 24. ed. São Paulo: Saraiva, 2018.Tratado de direito penal
BITENCOURT, Cezar Roberto; MUÑOZ CONDE, Francisco. . 2ª ed. São Paulo: Saraiva,Teoria geral do delito
2004.
BRUNO, Aníbal. parte geral. Tomo I. Rio de Janeiro: Editora Nacional de Direito, 1956.Direito Penal: 
CARRARA, Francesco. : parte geral. vol. I. Trad. José Luiz V. de A.Programa do Curso de Direito Criminal
Franceschini e J. R. Prestes Barra. São Paulo: Saraiva, 1956.
DIAS, Jorge de Figueiredo. : parte geral. Tomo I. 1ª ed. brasileira. São Paulo: Revista dos Tribunais,Direito Penal
2007.
ESTEFAM, André. : parte geral. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2018.Direito penal
FRAGOSO, Heleno Cláudio. parte geral. São Paulo: Bushatsky, 1976.Lições de Direito Penal:
GRECO, Alessandra Orcesi Pedro. . São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004. A autocolocação da vítima em risco
GRECO, Luís. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.Um panorama da teoria da imputação objetiva.
MARTINELLI, João Paulo Orsini; BEM, Leonardo Schmitt. parte geral. 3. Lições fundamentais de direito penal:
ed. São Paulo: Saraiva, 2018.
MIR PUIG, Santiago. fundamentos e teoria do delito. Trad. Cláudia Viana Garcia e José CarlosDireito Penal: 
Nobre Porciúncula Neto. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
ROXIN, Claus. Trad. Luís Greco. 2ª ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.Estudos de Direito Penal.
TOLEDO, Franciso de Assis. . 5 ed. São Paulo: Saraiva, 2002.Princípios Básicos de Direito Penal
•
•
•
•
•
- -29
WELZEL, Hans. : parte geral. Trad. Juan Bustos Ramírez e Sergio Yáñez Pérez. 4ª ed.Derecho Penal Alemán
Santiago: Editorial Juridica de Chile, 1997.
	Olá!
	1 Breve evolução histórica do Direito Penal
	1.1 Direito penal primitivo
	Assista aí
	1.2 Vingança pública
	1.3 Período humanitário
	2 Evolução epistemológica do direito penal: escolas penais
	2.1 Escola Clássica
	2.2 Escola Positiva
	2.3 Escola Moderna Alemã
	Adoção do método lógico-abstrato e indutivo-experimental
	Distinção entre imputáveis e inimputáveis
	O crime é concebido como fenômeno humano-social e fato jurídico
	Função finalística da pena
	Eliminação ou substituição das penas privativas de liberdade de curta duração
	3 Evolução do Direito penal no Brasil
	3.1 Ordenações Filipinas
	3.2 Código Criminal do Império do Brasil
	3.3 Código Penal da República
	3.4 Código Penal de 1940
	4 Conceito de crime
	5 Teoria do crime
	5.1 Sistema clássico ou causalismo
	5.2 Sistema neoclássico ou neokantismo
	5.3. Sistema finalista
	5.4 Sistema funcionalista
	6 O Direito penal e o Estado Democrático de Direito
	6.1 Direito penal e Direito constitucional no Brasil
	6.2 Princípios
	6.2.1 Princípio da legalidade e reserva legal
	6.2.2 Princípio da culpabilidade
	6.2.3 Princípio da dignidade da pessoa humana
	6.2.4 Princípio da intervenção mínima
	6.2.4.1 Princípio da fragmentariedade
	6.2.5 Princípio da lesividade ou ofensividade
	6.2.6 Princípio da proporcionalidade
	Assista aí
	6.2.7 Princípio da adequação social
	6.2.8 Princípio da insignificância
	7 Fins e objetivos do direito penal
	Assista aí
	7.1 Bem jurídico penal: conceito e funções
	8 Direito penal e as ciências auxiliares
	é isso Aí!
	Referências

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.