A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Metabolismo Integrado: Controle do Metabolismo por PPARs

Pré-visualização | Página 2 de 2

A maior formação 
de mitocôndrias está diretamente relacionada com o consumo de gordura corporal para geração de calor. 
Diferenciação de Adipócitos 
Promove hiperplasia do tecido adiposo, aumentando o número de células e a quantidade de TAG dentro das 
mesmas, o que induz ganho de peso. 
Inibição Parcial do PPARγ 
A inibição parcial do PPARγ gera os seguintes efeitos no organismo: 
• Redução da massa adiposa; 
• Aumento da tolerância à glicose; 
• Redução de TAG no fígado; 
• Aumento da expressão de genes ligados ao transporte e oxidação de ácidos graxos; 
• Redução na expressão ode genes ligados a lipogênese, tanto comum, quanto hepática; 
• Aumento na oxidação de ácidos graxos. 
Nocaute do PPARγ 
Em caso de nocaute do PPARγ, os efeitos positivos observados com a inibição parcial passam a ser negativos, 
levando aos seguintes efeitos: 
• Redução na massa de tecido adiposo branco e marrom 
• Redução do peso corporal 
• Aumento do peso e tamanho do fígado 
• Aumento da resistência à insulina 
Músculo e Fígado 
• Redução da gordura presente nos músculos 
• Aumento dos níveis de TAG no plasma 
• Aumento dos níveis de TAG hepático 
• Aumento da inflamação crônica, principalmente no fígado 
Macrófagos 
• Aumento do peso corporal e adiposidade 
• Redução da tolerância à glicose e à insulina 
• Aumento da produção de insulina 
 Humanos com Mutações no PPARγ 
Humanos com mutações genéticas que inibem o gene PPARγ apresentam: 
• Aumento da pressão arterial 
• Hiperglicemia 
• Hiperinsulinemia 
• Resistência à insulina 
• Aumento dos níveis plasmáticos de TAG 
PPARγ e Câncer 
A inibição do PPARγ em alguns tipos de tumores pulmonares parece promover uma diminuição da neoplasia, 
sendo mais um efeito positivo para a inibição parcial do gene. 
Moduladores seletivos de PPARγ 
O tratamento de diabetes com glitazonas costuma apresentar como efeito adverso o ganho de peso, sendo que 
a maioria dos pacientes com diabetes do tipo 2 já são obesos. Por esse motivo, têm sido pesquisados moduladores 
seletivos de PPARγ, para aumentar a sensibilidade a insulina e reduzir a inflamação, sem provocar ganho de peso. 
FMOC-L-leucina 
É uma espécie de leucina modificada capaz de aumentar a sensibilidade dos tecidos à insulina, mas sem provocar 
uma diferenciação acentuada dos adipócitos, o que evita o acúmulo de gordura. 
Halofenato 
Bloqueia a diferenciação de adipócitos estimulada pela rosiglitazona, o que é um efeito ainda melhor que o da 
FMOC-L-leucina. Além disso, aumenta a tolerância a glicose e reduz a insulinemia pós-prandial.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.