A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
53 pág.
AEROSOLTERAPIA E OXIGENIOTERAPIA

Pré-visualização | Página 1 de 3

22/05/2020
1
AEROSSOLTERAPIA
AEROSSOL: suspensão de
gotículas de líquidos ou de
partículas sólidas num meio gasoso.
Durante a nebulização medicamentosa, o
agente farmacológico é a substância dispersa
e o gás (oxigênio, ar comprimido), sendo
inalado pelo paciente e se deposita nas vias
aéreas.
OBJETIVO: liberar doses terapêuticas do agente
selecionado no local de ação desejado.
Sistema básico
22/05/2020
2
Um dos objetivo da inalação é corrigir a
hiperviscosidade e a hiperaderência das
secreções brônquicas, a partir da hidratação do
muco estagnado nas vias aéreas. Serão
utilizadas substâncias diluentes como água ou
soluções salinas.
Vantagens
• Liberação de uma dose terapêutica do agente
selecionado no local de ação desejada (forte e
localizada), minimização dos efeitos colaterais sistêmicos.
• Menor dose do medicamento, início rápido da ação e
menor efeito sistêmico.
• EFICÁCIA E SEGURANÇA.
22/05/2020
3
Indicações
• Fluidificação - para facilitar a remoção das secreções
viscosas e densas;
• Administração de broncodilatores - para obter a
atenuação ou resolução de espasmos brônquicos;
• Administração de corticosteróides (antiinflamatório e anti-
exsudativa).
Deposição das Partículas
TAMANHO DA PARTÍCULA
MÉTODO DE INALAÇÃO
GRAU DE OBSTRUÇÃO DO FLUXO AÉREO
22/05/2020
4
Deposição: ocorre quando as partículas entram em contato
com o trato respiratório e são retidas. O local de
deposição depende do tamanho e do movimento das
partículas, assim como das características das vias
aéreas.
22/05/2020
5
IMPACTAÇÃO INERCIAL
Egan – Fundamentos da Terapia Respiratória.
Ocorre quando as partículas colidem contra superfície. Pela
inércia, quanto maior a massa e velocidade da partícula
suspensa, maior sua tendência de continuar se
deslocando ao longo da via estabelecida. Se uma
partícula de massa elevada se desloca inicialmente numa
corrente gasosa com certa direção quando a corrente
muda a direção, a partícula tende a permanecer na sua
via inicial e colide contra a superfície da via.
22/05/2020
6
• Fluxo turbulento, passagens convolutas, bifurcação
das vias aéreas e altos fluxos inspiratórios aumentam a
deposição das partículas por impactação inercial.
• O fluxo turbulento e bifurcações das vias aéreas faz
com que as partículas maiores do que 5 a 10µm se
depositem nas grandes vias aéreas superiores.
SEDIMENTAÇÃO
Ocorre quando as partículas do aerossol se separam da
suspensão pela gravidade. Quanto maior a massa da
partícula, mais rapidamente ela se separa. Principal
mecanismo de deposição das partículas com 2 a 5µm.
Sustentar a inspiração após inalar o aerossol colabora
para aumentar a sedimentação (aumento de até
10%).
22/05/2020
7
Egan – Fundamentos da Terapia Respiratória.
DIFUSÃO
Principal mecanismo de deposição de partículas pequenas
(menor que 3µm) principalmente na região alveolar. Nesta
região o fluxo gasoso é interrompido e a inércia das
partículas é muito baixa. Nesta região, as partículas têm
massa muito reduzida e colidem com moléculas do gás
carreador. Estas colisões favorecem a deposição nas
superfícies circundantes.
22/05/2020
8
RISCOS DA AEROSSOLTERAPIA
1) Infecção: infecções nosocomiais. Causas: soluções
contaminadas, mãos dos profissionais de saúde, secreções dos
pacientes.
2) Reatividade das vias aéreas
- Aerossóis frios: podem causar broncoespasmo
- Medicamentos como acetilcisteína, esteróides, água destilada têm
sido associados ao aumento da resistência das vias aéreas
(broncoespasmo). Uso prévio de broncodilatador pode ser uma
medida preventiva.
22/05/2020
9
RISCOS DA AEROSSOLTERAPIA
 O conhecimento destes efeitos colaterais
indica necessidade de ausculta antes e
após uso destes medicamentos e
observação do paciente (padrão
respiratório, aspecto geral).
PERIGO
O processo de nebulização está mais
associado com infecções respiratórias do que a
simples oxigenoterapia, já que as partículas são
bem menores e penetram mais profundamente nas
vias aéreas. A esterilização da máscara e circuito
utilizados é essencial para evitar infecções
pulmonares.
22/05/2020
10
3) Dificuldade para eliminar secreções deve ser
observada e corrigida (aspiração).
4) Reconcentração da droga: medicações nebulizadas
por período prolongado (maior que 10 a 15 min)
produzem maior concentração do soluto, expondo
paciente à maior concentração de medicamento
durante aerossolterapia.
Formas de realizar Aerossolterapia
Nebulizadores: à jato e US
Spray Broncodilatador : Inalador com dosímetro
 Inalador de pó seco: Nebulímetro Liofilizado
22/05/2020
11
Formas de realizar Aerossolterapia
Spray Broncodilatador (Inalador
com dosímetro): Droga
armazenada em recipiente de
alumínio, método mais comum
prescrito. Spray constituído pela
droga, pelo gás propelente e
substâncias dispersantes.
Inaladores com Dosímetro 
22/05/2020
12
Reduz impactação na
orofaringe (as partículas
maiores caem no espaçador
em vez da orofaringe) e
aumenta deposição
pulmonar (cerca de 15%).
22/05/2020
13
Formas de realizar Aerossolterapia
Nebulização: transformação de líquido em gotículas de aerossol
(1 a 15µm de diâmetro) suspensas num meio gasoso. O objetivo
é administrar uma dose terapêutica da droga prescrita na forma
de partículas inaladas. Utilizada por pacientes com obstrução
crônica para fluidificar as secreções.
Nebulizadores
Utilizados para inalação de drogas, converte uma solução
em gotículas de aerossol, suspensas numa corrente de
ar. Permitir distribuir dose terapêutica de droga prescrita
como um aerossol.
Dois tipos: a jato e ultrassônico.
22/05/2020
14
Nebulizadores: Tipos
Nebulizador a jato
Utiliza um gás dirigido (ar comprimido ou O2 de
cilindro, rede hospitalar) é forçado por um orifício
estreito.
22/05/2020
15
O gás é forçado através de um orifício estreito. A pressão negativa em
torno do orifício atrai para cima a solução medicamentosa do tubo do
reservatório de líquido e o jato de gás fragmenta o líquido em gotículas
(Bernoulli). As partículas menores serão inaladas e as maiores caem
novamente na solução.
Nebulizador ultrassônico
Aerossol criado por ondas
mecânicas de alta frequência.
Uma corrente elétrica é aplicada
a um cristal piezoelétrico que
vibra e produz as vibrações
ultrassônicas.
Vantagens: menor ruído, inalação
não precisa ser na posição
vertical.
O tamanho da partícula varia com
a frequência de oscilação do
cristal.
22/05/2020
16
Produz as partículas menores de até 0,5µ e o líquido é
fragmentado pela intensa vibração. A passagem de corrente
elétrica aplicada a um cristal piezelétrico causa vibrações
ultrassônicas de alta frequência (1–3 MHz). As ondas sonoras são
transmitidas através de um líquido para a superfície onde produz
o aerossol.
22/05/2020
17
Ventilação Colateral
22/05/2020
18
Inaladores de Pó Seco
22/05/2020
19
Inaladores de Pó Seco
Paciente deve produzir elevado fluxo
inspiratório (>30l/min)
Dispersão do pó depende do esforço do paciente
Baixo fluxo favorece deposição em boca e faringe
Requer participação dos pacientes (consciente)
Pode ser difícil em crianças e idosos (compreensão)
Medicamentos utilizados
Broncodilatadores: presença de broncoespasmo.
Mucolíticos: capacidade de “quebrar” partículas do muco.
Importante para pacientes com secreção espessa e
dificuldade para realizar tosse. Agentes conhecidos:
acetilcisteína e bicarbonato a 2%.
A acetilcisteína deve ser usada com cuidado (prescrição médica, dose teste), pois a
redução da viscosidade do muco nem sempre está associada à expectoração do catarro
(broncoespasmo). É inativada pelo Oxigênio, devendo ser nebulizada com ar comprimido.
Corticóides
22/05/2020
20
OXIGENOTERAPIA
A oxigenoterapia consiste na oferta adicional de
oxigênio ao paciente, tendo para tal uma indicação
precisa e conhecimento dos efeitos deletérios
associados.
OBJETIVO BÁSICO: garantia da oxigenação
adequada aos tecidos.
Oxigenoterapia: oferta adicional