A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
PRODUÇÃO-TEXTUAL-ASPECTOS-METODOLÓGICOS

Pré-visualização | Página 8 de 11

e valoriza tudo o que recebe por meio da leitura, ele se sente 
estimulado a compartilhar suas próprias experiências, percepções e opiniões por meio da 
escrita. Portanto, trata-se da construção de significado e valor (do “por que escrever”). 
A partir do momento em que dá aos estudantes uma motivação para escrever, a 
leitura passa a desempenhar outros papéis. Ela veicula informações e amplia o repertório 
do aluno, fazendo com que ele tenha “o que escrever”. Finalmente, essa prática o 
familiariza com os diferentes gêneros textuais, para que ele saiba “como escrever”. 
 
Escolha estratégias efetivas para o grupo 
 
https://gutennews.com.br/blog/2017/10/20/producao-textual/
https://gutennews.com.br/blog/2018/07/24/como-mapear-as-habilidades-de-leitura-dos-alunos/
 
 
 
 
30 
 
Assim como os objetivos, as estratégias utilizadas devem ser compatíveis com a 
série e o nível de desenvolvimento dos estudantes. É essencial fornecer estímulos 
adequados a cada faixa etária, promovendo o engajamento e despertando o prazer de 
compartilhar pensamentos ou experiências por meio da escrita. 
Para ensinar os alunos a escrever de forma clara ou proficiente, a produção textual 
precisa ser muito bem planejada e executada. É necessário que ela seja o ponto culminante 
de um processo de aprendizagem — e não uma atividade isolada. 
 
Torne a produção textual consciente 
 
A atividade de escrita deve ser desenvolvida de forma consciente. Isso significa que 
o estudante precisa, em primeiro lugar, ter um objetivo claro ao desenvolvê-la. Qual é o 
propósito do texto que será construído? Ele vai contar uma história? É preciso convencer o 
leitor de determinada ideia ou posicionamento? Será narrado um fato, uma ocorrência? 
Pretende-se emocionar, divertir ou informar? 
A partir dessa definição, o estudante pode estabelecer o gênero textual mais 
apropriado para alcançar seu objetivo. Mais do que isso, ele deve conhecer a estrutura e 
os elementos de cada um deles, além de aprender a usá-los de modo a transmitir sua 
mensagem. 
Portanto, o professor ensina a planejar e executar as diferentes etapas da produção 
textual, como título, enredo e estrutura. Depois, ele atua como orientador na escrita 
do conteúdo e na revisão do texto. À medida que se torna cada vez mais consciente desse 
processo, o aluno adquire a capacidade de realizar esse ciclo sozinho no futuro. 
 
Forneça subsídios 
 
Professores e alunos estão em um processo constante de construção de 
conhecimento. Mesmo quem já concluiu várias etapas de ensino se depara com assuntos 
que não conhece, além de temas novos e desafiadores, que exigem pesquisa e estudo. 
Por esse motivo, todo trabalho de escrita deve ser precedido de um preparo. É 
extremamente produtivo explorar o tema da produção por diferentes perspectivas: vídeos 
https://gutennews.com.br/blog/2018/05/03/leitura-na-escola-como-ela-ajuda-no-desenvolvimento-do-aluno/
https://gutennews.com.br/blog/2018/04/13/em-busca-conteudo-perfeito/
 
 
 
 
31 
 
e análises de imagens ou textos de vários gêneros (jornalísticos, charges, quadrinhos, 
poesias), além de uma ampla discussão. 
Recorra à tecnologia 
A tecnologia é uma fonte infinita de pesquisa, na qual o educador consegue 
encontrar todos os recursos necessários para a etapa anterior. Eles estão não só nos sites 
abertos da internet, mas também em plataformas desenvolvidas especificamente para 
contribuir com o trabalho do professor. 
Além de ser uma fonte de conhecimento, a tecnologia desempenha outro papel 
fundamental: o de veículo de compartilhamento. Afinal, os textos são produzidos pensando 
sempre em um destinatário. 
O jornal escreve para seus leitores, a mensagem de aplicativo é destinada aos 
amigos, o autor do livro tem um público em mente. Sem um destinatário, a produção se 
torna desestimulante. Planejar, escrever e revisar para ver o produto arquivado em uma 
gaveta, na maioria das vezes, faz o escritor entender que o esforço não vale a pena. 
Nesse sentido, a web ganha destaque. O educador pode criar espaços virtuais que 
reúnem diferentes grupos de alunos, nos quais as produções são publicadas e discutidas. 
 
Mostre a importância da revisão 
 
Além de planejar e escrever o texto, o aluno precisa ser ensinado a revisá-lo e 
reescrevê-lo. Essas ações também fazem parte da produção e contribuem para que o 
escritor se certifique de que as ideias foram expressas de acordo com seus objetivos. Para 
tanto, a revisão não pode ser apenas ortográfica ou gramatical. O desenvolvimento da 
capacidade de enxergar o texto com os olhos do leitor e de identificar pontos que não estão 
claros ou transmitindo a ideia que o escritor intencionava deve começar cedo. 
Há muitas formas de desenvolver esse olhar, inclusive trabalhando em grupos. Já 
no Ensino Fundamental, os alunos podem receber trechos que necessitem de 
aperfeiçoamento, discuti-los em grupo e reelaborar uma escrita em conjunto. Com o passar 
do tempo, o professor deve incentivá-los a fazer essa revisão e reescrita por meio de troca 
e, finalmente, a demonstrar tal consciência em relação à própria produção. 
https://gutennews.com.br/blog/2017/10/19/novos-recursos/
https://gutennews.com.br/blog/2018/07/24/entenda-por-que-e-interessante-oferecer-livros-para-criancas/
 
 
 
 
32 
 
10 ELABORAR BONS TEXTOS EXIGE, ENTRE OUTRAS COISAS, TÉCNICA, 
COERÊNCIA E CRIATIVIDADE 
Produção de textos pode ser mais fácil do que muitos imaginam. Conseguir colocar 
no papel de maneira clara e objetiva um pensamento ou ideia relacionada a determinado 
assunto exige apenas estudo e prática. Para isso, é importante utilizar algumas regras que 
contribuirão para deixar o conteúdo escrito coeso, interessante e de fácil entendimento. 
Produzir textos de qualidade pode ser um grande diferencial para os estudantes que 
estão se preparando para o vestibular em busca de uma vaga na universidade. 
Mas, o que é preciso para elaborar bons textos? 
 
Fonte: universoracionalista.org 
10.1 Leitura e produção de textos 
Primeiro é fundamental ter noção da importância da leitura para uma boa escrita. 
Quem tem o hábito de ler, seja livro, revista, jornal, blog, etc., consegue desenvolver 
uma excelente capacidade de produção de textos. Isso porque a leitura estimula a mente, 
 
 
 
 
33 
 
aprimora o repertório cultural com novas informações, expande o vocabulário, sendo 
possível conhecer uma variedade de novas palavras e seus significados. 
Tudo isso contribui para que, na produção de textos, seja possível elaborar um 
conteúdo mais relevante, eloquente e persuasivo. 
Para isso, ninguém precisa se ver obrigado a ler sobre absolutamente tudo, de 
imediato, para conseguir produzir os melhores textos. Uma dica para começar a criar o 
hábito da leitura é escolher assuntos de acordo com as preferências pessoais. Por exemplo, 
ler revistas sobre o estilo musical favorito; matérias sobre novos games, para quem gosta 
de jogos e tecnologia; textos sobre o universo da moda e beleza; livros com histórias de 
ficção; entre outros. 
Dessa forma, a leitura não será vista como uma obrigação, e sim, como um prazer. 
Consequentemente, isso impactará de forma positiva na produção de textos bons, atrativos 
e interessantes. 
 
Estrutura dos textos 
Todos os tipos de textos são estruturados em três 
partes: introdução, desenvolvimento e conclusão. Porém, não se deve esquecer de um 
detalhe muito importante: o título. 
O título é uma parte fundamental no texto, pois é ele que pode chamar a atenção e 
atrair para a leitura do conteúdo. Muitas pessoas, deixam para definir o título após a 
produção do texto, enquanto outras deixam para elaborá-lo depois. Não há uma regra 
definida para isso. 
A introdução deve conter os principais pontos sobre o assunto que será abordado no 
decorrer do texto. Nesse momento, o leitor terá uma noção geral do tema e a importância 
da sua abordagem. 
Para que essa primeira parte do texto seja

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.