A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
Tópico 3

Pré-visualização | Página 2 de 8

e as quantidades apropriados para a maioria dos bens e serviços na economia.  Essa
relação pode depender, entre outras coisas, do cenário e das variáveis econômicas.
Neste tópico, passaremos a compreender os aspectos que envolvem o cenário
econômico e as variáveis econômicas. Nesse contexto, vamos identi�car as principais
ameaças e oportunidades à economia do mercado-alvo, entendendo e avaliando as
principais variáveis econômicas (PIB, in�ação, taxa de juros, câmbio, desemprego) e,
por �m, analisando o cenário econômico utilizando as principais variáveis econômicas.
O Cenário Econômico
Os empreendedores organizam fatores de produção (terra, trabalho e capital) e os
combinam em cooperação com trabalhadores e �nanciadores para produzir bens e
serviços para consumidores ou outras empresas comprarem. Os compradores e
vendedores concordam com os termos dessas transações voluntariamente, com base
nas preferências dos consumidores por vários produtos e as receitas que as empresas
desejam obter em seus investimentos.
As economias de mercado ainda podem se engajar em algumas intervenções do
governo, como �xação de preços, licenciamento, cotas e subsídios industriais. Contudo,
em geral, as economias de mercado são caracterizadas pela tomada de decisão
econômica descentralizada por compradores e vendedores que realizam negócios
diários.
Mediante esse contexto, as empresas precisam conhecer a relação entre a oferta e
demanda de seu mercado-alvo, aliada ao cenário econômico, no qual os agentes se
baseiam em suas expectativas para tomar decisões, a �m de identi�car as principais
oportunidade e ameaças.
Ao listar oportunidades, é importante considerar tecnologias emergentes,
disponibilidade de novos materiais, novas categorias de clientes, mudanças nos gostos
dos clientes, crescimento do mercado, novos usos para produtos antigos (pense em
como os telefones celulares e até óculos agora funcionam como câmeras e
computadores), nova distribuição ou localização, oportunidades de mudanças positivas
em seu ambiente competitivo e outras forças que podem afetar o sucesso da empresa.
Ao listar ameaças, é importante considerar o impacto da retração dos mercados,
mudanças nos gostos dos consumidores e tendências de compra, escassez de matérias-
primas, recessão econômica, novas regulamentações, mudanças que afetam o acesso
ao seu negócio e ameaças competitivas, incluindo novas empresas concorrentes,
fusões e alianças competitivas. Pense também sobre o impacto de patentes expiradas,
problemas trabalhistas, problemas globais e novos produtos que podem tornar sua
oferta desatualizada ou desnecessária.
Não obstante, a análise das oportunidades e ameaças deve levar em consideração as
condições econômicas que se referem ao estado atual da economia em um país ou
região. As condições mudam ao longo do tempo junto com os ciclos econômicos e de
negócios, à medida que a economia passa por expansão e contração. As condições
econômicas são consideradas sólidas ou positivas quando uma economia está em
expansão, e são vistas como adversas ou negativas quando uma economia está se
contraindo.
As Variáveis Econômicas
Para realizar o estudo de mercado do projeto, é importante abranger duas áreas: a do
programa de produção e a dos regimes de mercado. Com relação à área do programa
de produção, o estudo de mercado deve procurar responder questões como: (1) O que
produzir e o quanto produzir?; (2) Para quem produzir e a que preços?; (3) Quais os
problemas de comercialização?; (4) Como o governo interfere?; (5) Quem já se
encontra no mercado?; (6) Que segmento atingir?; (7) Como ver o mercado na
atualidade?; (8) Como ver o mercado futuro? (BRITO, 2011). Além disso, Brito (2011)
destaca que é necessário levar em consideração duas outras questões:  onde e como
produzir.
Todo esse processo é conhecido como identi�cação da demanda e da oferta que é
in�uenciado pelas condições econômicas de um país. Condições essas que estão
atreladas ao estado da economia global que envolve níveis de desemprego,
produtividade, taxas de câmbio, in�ação e muitos outros, conhecidos como indicadores
econômicos.
Esses indicadores econômicos devem ser monitorados de perto, quando se desenvolve
projeto de investimentos, pois auxiliam na avaliação das condições econômicas e as
possíveis mudanças nelas. Uma in�nidade de indicadores econômicos podem ser
empregados para de�nir o estado da economia ou as condições econômicas, incluindo
a taxa de desemprego, superávits ou dé�cits orçamentários, taxas de crescimento do
PIB e taxas de in�ação.
De um modo geral, os indicadores econômicos possibilitam a descrição de condições
econômicas futuras prováveis, condições econômicas atuais ou condições do passado
recente. Nós, ao desenvolvermos um projeto de investimentos, normalmente estamos
mais interessados em entender como serão as condições econômicas futuras. Por
exemplo, indicadores como desemprego possibilitam avaliar o cenário futuro sobre
aumento ou redução dos produtos a serem vendidos. O indicador de taxa de juros
permite à empresa avaliar se deve ou não realizar tal investimento, de acordo com as
expectativas futuras sobre tal indicador.
Ainda a título de exempli�cação, um aumento no PIB pode levar a um aumento do
emprego e consequentemente do consumo, uma vez que, quando aumenta a renda,
automaticamente há um aumento no consumo.
Por outro lado, um aumento da in�ação leva a uma redução da renda e, por sua vez,
ocorre uma redução no consumo. Por exemplo: imagine que se os preços se elevarem
em 10% e o salário não subir ao mesmo tempo na mesma proporção, o consumo será
menor, uma vez que esse aumento implicará em redução da renda disponível. Nesse
contexto, quando se realiza um projeto de investimento, é importante realizar a análise
de cenário, considerando essas variáveis macroeconômicas.
Outros indicadores que podem prever as condições econômicas futuras incluem o
índice de con�ança do consumidor, variações no produto interno bruto, alterações
cambiais. Nesse contexto, os indicadores de condições econômicas fornecem
informações importantes para investidores e empresas, uma vez que os investidores
utilizam esses indicadores para ajustar seus pontos de vista sobre crescimento
econômico e lucratividade. Uma melhoria nas condições econômicas levaria os
investidores a serem mais otimistas em relação ao futuro e potencialmente investir
mais, já que esperam retornos positivos. O oposto pode ser verdade se as condições
econômicas piorarem.
De forma semelhante, as empresas monitoram as condições econômicas para obter
informações sobre seu próprio crescimento de vendas e lucratividade. Uma forma
bastante típica de previsão do crescimento seria utilizar a tendência do ano anterior
como base e aumentá-la com os dados econômicos e projeções mais relevantes para
seus produtos e serviços. Por exemplo: uma empresa de construção decide examinar as
condições econômicas do setor habitacional para entender se o momento está
melhorando ou desacelerando e ajustar sua estratégia de negócios de acordo com o
resultado.
Pois bem, a maioria dos indicadores econômicos são encontrados em bases de dados
de instituições como o IBGE (Instituto Brasileiro de Geogra�a e Estatística), o IPEA
(Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e o Banco Central. Esses orgãos já possuem
séries organizadas, exigindo apenas um tratamento dos dados (BRITO, 2011).
Vale ressaltar que, aliado ao conhecimento desses indicadores e às projeções futuras
sobre a economia de mercado, é importante conhecer as especi�cações dos produtos,
bem como os preços e os custos atuais. Ainda é necessário estudar gostos, hábitos,
fontes de abastecimento, mecanismos de distribuição, bem como bens substitutos,
bens complementares e política econômica (BRITO, 2011).
praticar
V P ti
Vamos Praticar
A partir no nosso material de estudos, pudemos compreender as relações de oferta e
demanda e alguns fatores que in�uenciam esse equilíbrio.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.