Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
Prova revalida UFMT 2017

Pré-visualização | Página 1 de 8

Caderno de Prova A 
exätÄ|wt†ûÉ wx W|ÑÄÉÅt wx `°w|vÉ 
ZÜtwâtwÉ ÇÉ XåàxÜ|ÉÜ „ ECDJ 
 
Nome do candidato 
 
 
Código do candidato Assinatura do candidato 
 
 
 
Secretaria de Articulação e Relações Institucionais 
Gerência de Exames e Concursos 
Instruções 
 
LEIA COM ATENÇÃO 
 
 
1. Este Caderno de Prova , com páginas numeradas de 1 a 29, é composto de duas partes: 
 
� PARTE I: constituída de 50 (cinquenta) questões objetivas de múltipla escolha, cada uma com quatro 
alternativas, assim distribuídas: 
• 01 a 10 – Clínica Cirúrgica 
• 11 a 20 – Clínica Médica 
• 21 a 30 – Ginecologia e Obstetrícia 
• 31 a 40 – Pediatria 
• 41 a 50 – Medicina da Família e Comunidade e Saúde Coletiva 
 
� PARTE II: constituída de 10 (dez) questões discursivas, assim distribuídas: 
• 01 e 02 – Clínica Cirúrgica 
• 03 e 04 – Clínica Médica 
• 05 e 06 – Ginecologia e Obstetrícia 
• 07 e 08 – Pediatria 
• 09 e 10 – Medicina da Família e Comunidade e Saúde Coletiva 
 
2. Caso o Caderno de Prova esteja incompleto ou tenha qualquer defeito de impressão, solicite ao fiscal que o substitua. 
 
3. Sobre a Marcação do Cartão de Respostas da Parte I – Questões Objetivas 
 
As respostas das questões objetivas devem ser, obrigatoriamente, transcritas com caneta esferográfica de tinta azul ou preta não 
porosa para o Cartão de Respostas, que será o único documento válido para correção. O Cartão de Respostas não será substituído 
por erro ou dano do candidato. 
 
3.1. Para cada questão existe apenas uma alternativa que a responde acertadamente. Para a marcação da alternativa escolhida no 
CARTÃO DE RESPOSTAS, pinte completamente o círculo correspondente. 
 
Exemplo: Suponha que para determinada questão a alternativa C seja a escolhida. 
 
N.º da 
Questão 
 
A 
 
B 
 
C 
 
D 
 
 
 
3.2. Marque apenas uma alternativa para cada questão. 
 
3.3. Será invalidada a questão em que houver mais de uma marcação, marcação rasurada ou emendada, ou não houver marcação. 
 
3.4. Não rasure nem amasse o CARTÃO DE RESPOSTAS. 
 
 
4. Para responder às Questões Discursivas, poderão ser usados os espaços para rascunho neste caderno disponíveis logo após cada 
questão, mas as respostas definitivas deverão ser transcritas nas FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das questões discursivas. 
Use caneta esferográfica de tinta azul ou preta não porosa. 
 
5. Não haverá substituição de FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das questões discursivas por erro ou dano do candidato. 
 
 
6. A duração da Prova Escrita é 5 (cinco) horas, já incluído o tempo destinado ao preenchimento do CARTÃO DE RESPOSTAS das 
questões objetivas e das FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das discursivas. 
 
 
7. Será permitida a saída de candidatos da sala de prova somente após decorridas 2 (duas) horas do início da Prova Escrita. O candidato 
que insistir em sair da sala de Prova, antes de decorridas as referidas 2 (duas) horas, deverá assinar Termo de Ocorrência, declarando 
desistência do processo, que será lavrado pelo Coordenador do estabelecimento. 
 
8. Na página 29 deste Caderno de Prova, encontra-se a Folha de Anotação do Candidato, a qual poderá ser utilizada para a transcrição 
das respostas das questões objetivas. Essa folha poderá ser levada pelo candidato para posterior conferência com o gabarito somente 
após decorridas 2 (duas) horas do início da prova. 
 
 
9. Antes de se retirar da sala de prova, o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar ao fiscal este Caderno de Prova e o CARTÃO DE 
RESPOSTAS das questões objetivas e as FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das discursivas. Este Caderno de Prova poderá ser 
levado pelo candidato somente na última meia hora de prova. 
1 de 29 – Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2017 – UFMT/FM – 2.ª Etapa – Prova Escrita – Caderno A 
PARTE I – QUESTÕES OBJETIVAS 
 
Clínica Cirúrgica 
 
 
QUESTÃO 01 
 
Durante o internato médico, um preceptor anestesiologista solicita a seu aluno que realize a inspeção da 
orofaringe de um paciente a fim de analisar o grau de dificuldade para a realização de intubação orotraqueal. 
Este paciente tem proposta de anestesia geral em um procedimento cirúrgico no dia seguinte. O aluno realiza 
o exame e, usando de técnica correta, consegue visualizar apenas o palato mole e base da úvula. O preceptor 
pergunta qual a classificação do paciente segundo o proposto por Mallampati. Assinale resposta correta. 
(A) Classe I 
(B) Classe II 
(C) Classe III 
(D) Classe IV 
 
 
QUESTÃO 02 
 
Paciente do sexo masculino, 62 anos, é avaliado em ambulatório de cirurgia geral com queixa de “massa 
pulsátil” em abdome inferior. Após avaliação clínica, o médico assistente solicita exame de angioressonância 
nuclear magnética, a qual, em corte coronal, mostra a imagem abaixo. 
 
 
 
Em relação à doença assim diagnosticada, pode-se dizer que há alto risco de ruptura na seguinte situação: 
(A) Paciente do gênero masculino. 
(B) Lesão com forma muito excêntrica. 
(C) Ocorrência de expansão de 2 mm/ano. 
(D) Diâmetro da lesão de 4 cm. 
 
2 de 29 – Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2017 – UFMT/FM – 2.ª Etapa – Prova Escrita – Caderno A 
QUESTÃO 03 
 
Paciente do gênero feminino, 65 anos, tabagista, hipertensa, apresenta dispneia de esforço e ortopneia de 
evolução progressiva. Realizada ausculta cardíaca com presença de sopro holossistólico, mais audível em 
região de ápice. O raio-X simples de tórax em PA (póstero-anterior) mostra a imagem abaixo. 
 
 
 
Adicionalmente à ecografia com Doppler, nota-se jato de alta velocidade de fluxo sanguíneo regurgitante para 
dentro do átrio esquerdo durante a sístole. Considerando o caso apresentado, haverá indicação cirúrgica na 
presença da seguinte alteração: 
(A) Associação com fibrilação atrial. 
(B) Átrio esquerdo aumentado em 50%. 
(C) Infarto do miocárdio prévio. 
(D) Corda tendínea rota. 
 
QUESTÃO 04 
 
O acesso venoso central tornou-se rotina nas Unidades de Terapia Intensiva e de Cirurgia nas últimas três 
décadas, sendo um procedimento comumente realizado no período perioperatório de operações de grande 
porte. O desenvolvimento industrial e tecnológico ocorrido nesse período permitiu a colocação no mercado 
de cateteres de maior biocompatibilidade e especialmente desenhados para facilitar os procedimentos de 
canulação vascular, diminuindo o risco de complicações de curto e longo prazo. No entanto, alguns pontos 
básicos não devem ser esquecidos, pois dependem exclusivamente da ação humana para que os benefícios 
sempre ultrapassem os riscos inerentes a esses procedimentos altamente invasivos. Nesse sentido, é correto 
afirmar: 
(A) A indicação e a escolha precisas do tipo de cateter, do local de punção e da técnica de inserção vascular, 
sempre devem ser norteadas pelas necessidades clínicas do paciente e pela experiência do executor da 
técnica. 
(B) O conhecimento integral da anatomia vascular e das estruturas subjacentes, bem como dos pontos de 
referência descritos para o acesso percutâneo ao vaso apesar de importante é dispensável, uma vez que 
esses procedimentos sempre devem ser realizados com uso conjunto de ultrassom. 
(C) Os preceitos cirúrgicos de antissepsia e assepsia na sua execução devem ser rigorosos na técnica de 
punção da veia subclávia. O mesmo não ocorre na punção da veia jugular interna, uma vez que esta tem 
posição mais superficial. 
(D) O controle radiológico da posição final do cateter deve ser realizado apenas quando, após o 
procedimento, ocorrerem alterações na ausculta pulmonar. Em caso de ausculta normal, o exame 
radiológico estará indicado especificamente se aparecerem sinais de mau funcionamento, infecção ou 
trombose. 
3 de 29 – Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2017 – UFMT/FM – 2.ª Etapa – Prova Escrita – Caderno A 
QUESTÃO 05 
 
AMF, 44 anos, gênero feminino, foi diagnosticada com colelitíase. Apresenta crise de dor abdominal associada 
à icterícia às custas de bilirrubina direta. Após realizar ultrassom
Página12345678