A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
SLIDES - DESAFIOS E FUTURAS OPORTUNIDADES DO MODAL AEROVIÁRIO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Profª Camila Padula 
 
ANA ELIZA CURI 
RA: 28241953 
 
GLEICE FERREIRA JUNGO 
RA: 28284067 
 
HENRIQUE GOMES DA COSTA 
RA: 28284285 
 
MICAELI LOPES FERREIRA 
RA: 28229706 
INTEGRANTES 
TURMA: GCE1820102NNA 
MATÉRIA: 
 
TRANSPORTES E SEGUROS 
INTERNACIONAIS 
TÓPICOS 
 Tipos de Aeronaves 
 Desvantagens 
 Vantagens 
 Oportunidades 
TIPOS DE AERONAVES 
All Cargo ou Full Cargo: uso exclusivo para 
transporte de carga, pois apresenta uma 
capacidade maior de transporte de 
mercadorias, utilizando o deck superior e 
inferior. 
Combi: transporte misto. Utilizadas para 
transporte conjunto de passageiros e 
cargas, podendo ser tanto no andar inferior 
quanto no superior 
TIPOS DE AERONAVES 
Full Pax: avião de passageiros. 
O deck superior é utilizado 
exclusivamente para transporte 
de passageiros, e o inferior, 
destinado ao transporte de 
bagagem. Na eventual sobra de 
espaço é preenchido com 
carga. 
DESVANTAGENS 
 Frete relativamente alto em relação aos demais 
modais; 
 
 Capacidade de carga bem menor que os modais 
marítimo e ferroviário, ganhando apenas do rodoviário; 
 
 Impossibilidade de transporte de carga a granel, 
como por exemplo, minérios, petróleo, grãos e químicos; 
 
 Custo elevado da sua infra-estrutura; 
 
 Impossibilidade de absorção do alto valor das tarifas 
aéreas por produtos de baixo custo unitário, como por 
exemplo, matéria-prima, produtos semifaturados e 
alguns manufaturados; 
 
 Existência de severas restrições quanto ao transporte 
de artigos perigosos. 
VANTAGENS 
Este tipo de modal apresenta várias vantagens, das quais, 
apresentamos algumas a seguir, incluindo a rapidez da 
expedição, transporte e recebimento: 
 
 
 Usado com eficácia no transporte de amostras; 
 
 Ideal para transporte de mercadorias com urgência na entrega; 
 Por ter sua emissão antecipada, o documento de transporte é 
obtido com maior rapidez; 
 
 Os aeroportos, normalmente estão localizados próximos dos 
centros de produção, industrial ou agrícola, já que encontram-se em 
grande número e distribuídos praticamente por todas as cidades 
importantes do mundo ou por seus arredores. Como exemplo cita-se 
o caso das cargas importadas por empresas situadas na região 
metropolitana de Porto Alegre. Nesse caso, o aeroporto Salgado 
Filho situa-se na própria cidade, enquanto o porto mais próximo (Rio 
Grande), está a uma distância de 330 Km da capital. Isto representa 
um custo adicional nas importações via marítima, o que pode, 
dependendo da situação e do tipo de mercadoria, tornar mais 
interessante o uso do modal aéreo (Vieira, 2003). 
VANTAGENS 
 Os fretes internos, para colocação de mercadorias nos aeroportos, são menores, e o 
tempo mais curto, em face da localização dos mesmos; 
 
 Possibilidade de redução ou eliminação de estoques pelo exportador, uma vez que é 
possível aplicar mais agressivamente uma política de just in time, propiciando redução 
dos custos de capital de giro pelo embarque contínuo, podendo ser até diário ou mais 
vezes ao dia, dependendo dos destinos; 
 
 Aplicando o just in time, é possível a racionalização das compras pelos 
importadores, já que não terão a necessidade de manter estoques pela possibilidade 
de recebimento diário das mercadorias que necessitam; 
 
 Possibilidade de utilização das mercadorias mais rapidamente em relação á 
produção, principalmente em se tratando de produtos perecíveis, de validade mais 
curta, de moda, etc.; 
 
 Maior competitividade do exportador, pois a entrega rápida pode ser bom argumento 
de venda; 
 
 Redução de custo de embalagem, uma vez que não precisa ser tão robusta, pois a 
mercadoria é menos manipulada; 
 
O seguro de transporte aéreo é mais baixo em relação ao marítimo, podendo variar 
de 30% a 50% na média geral, dependendo da mercadoria. 
OPORTUNIDADES 
O enfraquecimento da indústria nacional na exportação de produtos de alto valor pode ser visto dos céus. 
A via pela qual o Brasil exporta e importa os produtos mais caros vem perdendo participação no comércio 
exterior. A fatia do setor aéreo nos envios e compras de bens de outros países caiu nos últimos anos. É um 
reflexo do aumento nas exportações de produtos básicos, como os agrícolas, que são exportados 
principalmente por via marítima, mas também do recuo na venda de bens industriais. 
Um estudo realizado no início deste ano pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que o 
porcentual transportado por aviões passou de 18,7% em 2000 para 11,1% em 2018. Nos Estados Unidos, 
essa fatia é de 27,5%. Na União Europeia, salta para 33,1%. 
No entanto, essa redução no transporte aéreo, não significa que o Brasil não está exportando, mas sim 
que a preferência atual é por outros modais, como o marítimo, ideal para a locomoção de cargas como 
commodities e outras de baixo valor agregado, que cresceram na porcentagem de exportação nos últimos 
anos. O volume também aumentou, o volume exportado em aviões aumentou nos últimos anos, passando 
de 368 mil toneladas em 2000 para 832 mil toneladas em 2018, porém a representatividade desse número 
é bem menor. 
Uma solução para reverter a crescente queda, apresentada por especialistas, é a 
redução de barreiras, a melhoria da infraestrutura, diminuição da burocracia, 
transparência e a ampliação de acordos internacionais. Empecilhos que bem 
ajustados podem incentivar um maior investimento em transporte aéreo. “Investir 
em acordos comerciais mais vantajosos, de produtos de alto valor agregado, 
acordo de “céus abertos” para facilitar o trânsito de cargas aéreas, reduzir cargas 
tributárias e outras ações por parte das autoridades, incentivariam a retomada do 
transporte aéreo e seria extremamente vantajoso para a economia”, explica a Asia 
Shipping , maior integradora logística da América Latina. (Fonte: Portal Terra) 
 
Tendo em vista a perda de espaço vista nos ultimos tempos não vemos muitas 
futuras oportunidades para o modal aéreo, mesmo ele tendo muitas grandes 
vantagens, comparando com os outros modais ele acaba saindo muito 
prejudicado fazendo com que muitas das empresas optem pelo modal maritimo e 
rodoviário. 
OPORTUNIDADES

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.