A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Hipertensão Arterial Sistêmica (2020 ATUALIZADO)

Pré-visualização | Página 1 de 8

P Diagnosticada quando a PAS de uma pessoa no consultório ou clínica é ≥ 140 mmHg e/ou PAD é ≥ 90 mmHg após exame 
repetido (realizadas no mínimo 2 medidas da pressão arterial, com intervalo de um a dois minutos entre elas) 
CRITÉRIOS COM BASE NA MEDIÇÃO DA PA EM CONSULTÓRIO, 
AMBULATORIAL (MAPA) E RESIDENCIAL (MRPA) 
Consultório ≥140 e/ou ≥90 
Ambulatório 
Média de 24h ≥ 130 e / ou ≥ 80 
Média diurna (ou acordado) ≥ 135 e / ou ≥ 85 
Média noturna (ou dormindo) ≥ 120 e / ou ≥ 70 
 
MRPA ≥ 135 e / ou ≥ 85 
 
P Essas definições acima se aplicam a todos os adultos (> 18 anos) 
P Dependendo da situação clínica, quando ocorre a detecção de um valor elevado (≥140/90 mmHg), recomenda-se repetir a 
medida da pressão arterial em pelo menos duas ou mais visitas. 
P A PA normal alta destina-se a identificar indivíduos que poderiam se beneficiar de intervenções no estilo de vida e que 
receberiam tratamento farmacológico se indicações convincentes estivessem presentes 
P Hipertensão sistólica isolada → PAS elevada (≥ 140 mmHg) e baixa PAD (<90mmHg) são comuns em jovens e idosos 
P Em indivíduos jovens, incluindo crianças, adolescentes e adultos jovens, a hipertensão sistólica isolada é a forma mais comum 
de hipertensão essencial 
P No entanto, também é particularmente comum em idosos, nos quais reflete o enrijecimento das grandes artérias com um 
aumento da pressão de pulso (diferença entre PAS e PAD) 
 
ÓTIMA 
NO CONSULTÓRIO 
P Avaliação inicial → Meça a PA em ambos os braços, de preferência simultaneamente. 
↳ Se houver uma diferença consistente entre os braços> 10 mmHg em medições repetidas use o braço com a PA mais alta. 
↳ Se a diferença for > 20 mmHg, considere uma investigação mais aprofundada 
P Pressão arterial em pé → Faça a medição em hipertensos tratados após 1 min e novamente após 3 min, quando houver 
sintomas que sugiram hipotensão postural e na primeira consulta em idosos e pessoas com diabetes 
P A confirmação com PA fora do consultório é novamente necessária para a maioria das decisões de tratamento 
NÍVEIS DE PA AMBULATORIAL 
<130/85 130-159 / 85-99 >160/100 
Meça novamente dentro de 3 anos (1 ano 
naqueles com outros fatores de risco) 
Se possível, confirme fora do consultório (alta 
probabilidade de hipertensão do jaleco branco ou 
hipertensão mascarada) 
Alternativamente, confirme no consultório com visitas 
repetidas 
Confirme dentro de alguns dias ou 
semanas 
 
CLASSIFICAÇÃO PA NO CONSULTÓRIO 
CATEGORIA SISTÓLICA DIASTÓLICA 
Normotenso <130 e <85 
Normo alto 130-139 e/ou 85-89 
Hipertensão grau I 140-159 e/ou 90-99 
Hipertensão grau II ≥160 e/ou ≥100 
Hipertensão 
sistólica isolada 
≥ 140 <90 
ESSENCIAL 
P Sempre que possível, o diagnóstico não deve ser feito em uma única consulta ao consultório. 
P Normalmente, são necessárias 2–3 visitas ao consultório em intervalos de 1–4 semanas (dependendo do nível de PA) para confirmar o 
diagnóstico 
P O diagnóstico pode ser feito em uma única visita, se a PA for ≥ 180/110 mmHg + evidência de doença cardiovascular (DCV) 
P Se possível e disponível, o diagnóstico deve ser confirmado pela medição da PA fora do consultório 
P Protocolo → Em cada visita, faça 3 medições com 1 minuto entre elas. 
↳ Calcule a média das últimas 2 medições. 
↳ Se a PA da primeira leitura for <130/85 mm Hg, nenhuma medição adicional é necessária 
P Interpretação → Pressão arterial de 2-3 visitas ao consultório ≥ 140/90 mmHg indica hipertensão 
FORA DO CONSULTÓRIO 
P São mais reprodutíveis do que as de consultório 
P Mais intimamente associadas a danos a órgãos induzidos por hipertensão e ao risco de eventos CV e identificar o jaleco 
branco e fenômenos de hipertensão mascarados 
P Em indivíduos não tratados ou tratados com PA de consultório classificados como PA normal alta ou hipertensão de grau 1 
(sistólica 130-159 mmHg e / ou diastólica 85-99 mmHg), o nível de PA deve ser confirmado por meio de monitoramento 
domiciliar ou ambulatorial 
 
 MRPA MAPA 
POSIÇÃO Igual ao do consultório Braço imóvel e relaxado durante cada medição 
PROTOCOLO Antes de cada visita ao profissional de saúde: 
▪ Monitoramento por 3 a 7 dias de manhã (antes da 
ingestão do medicamento, se tratado) e à noite 
▪ Duas medidas em cada ocasião após 5 min de 
repouso sentado e 1 min de intervalo entre as 
medições 
Acompanhamento de longo prazo de hipertensão 
tratada 
▪ 1–2 medições por semana ou mês 
▪ Monitoramento 24 horas em Intervalos de 15-30 min 
durante o dia e período noturno 
▪ Pelo menos 20 dias válidos e 7 leituras noturnas são 
requerido. 
▪ Se menos, o teste deve ser repetido 
INTERPRETAÇÃO PA média depois de excluir leituras do primeiro dia 
≥ 135 ou 85 mmHg indica hipertensão 
▪ MAPA≥ 130/80 mmHg indica hipertensão (critério 
primário) 
▪ Durante o dia (acordado) pressão ≥ 135/85 mmHg e noite 
(adormecido) ≥ 120/70 mmHg indica hipertensão 
 
P Hipertensão mascarada → Esses pacientes apresentam risco semelhante de eventos CV aos hipertensos sustentados. 
↳ Diagnóstico precisa de confirmação com medições repetidas no consultório e fora dele. 
↳ Pode exigir tratamento medicamentoso com o objetivo de normalizar fora do consultório 
 
ESSENCIAL 
P Pacientes com hipertensão costumam ser assintomáticos 
P Histórico completo 
↳ PA → Novo início de hipertensão, duração, níveis de PA anteriores, 
medicação anti-hipertensiva atual e anterior, outros medicamentos / 
medicamentos de venda livre que podem influenciar a PA, histórico de 
intolerância (efeitos colaterais) de medicamentos anti-hipertensivos, 
adesão ao tratamento anti-hipertensivo, hipertensão anterior com ACO 
ou gravidez. 
↳ Fatores de risco → História pessoal de DCV (IAM, IC, AVC, ataques 
isquêmicos transitórios, diabetes, dislipidemia, DRC, tabagismo, dieta, 
ingestão de álcool, atividade física, aspectos psicossociais, história de 
depressão). 
▪ História familiar de hipertensão, DCV prematura, 
hipercolesterolemia (familiar), diabetes 
▪ Antecedentes familiares de eventos cardiovasculares em parentes de primeiro grau (nos homens antes dos 55 
anos, e nas mulheres antes dos 65 anos) devem ser registrados 
↳ Avaliação do RCV geral 
↳ Sintomas / sinais de hipertensão / doenças coexistentes → Dor no peito, falta de ar, palpitações, claudicação, edema 
periférico, dores de cabeça, visão turva, noctúria, hematúria, tontura. 
↳ Sintomas sugestivos de hipertensão secundária → Fraqueza muscular / tetania, cãibras, arritmias (hipocalemia / 
aldosteronismo primário), edema pulmonar instantâneo (estenose da artéria renal), sudorese, palpitações, dores de 
cabeça frequentes (feocromocitoma), ronco, sonolência diurna (apneia obstrutiva do sono), sintomas sugestivos de 
doença da tireoide 
P Exame físico 
↳ Circulação e coração → Frequência / ritmo / caráter de pulso, pulso / pressão venosa jugular, batimento do ápice, sons 
cardíacos extras, crepitações basais, edema periférico, sopros (carótida, abdominal, femoral), retardo radifemoral. 
↳ Outros órgãos / sistemas → Rins aumentados, circunferência do pescoço> 40 cm (apneia obstrutiva do sono), tireoide 
aumentada, ↑IMC / circunferência da cintura, depósitos de gordura e estrias coloridas (síndrome de Cushing) 
▪ Maior risco cardiovascular os valores de circunferência > 88 cm para mulheres e > 102 cm para homens 
 
P Investigações laboratoriais e ECG 
↳ Exames de sangue → Sódio, potássio, creatinina sérica e taxa de filtração glomerular estimada (eTFG), perfil lipídico e 
glicose em jejum 
↳ Teste de urina 
↳ ECG → Detecção de fibrilação atrial, hipertrofia ventricular esquerda (HVE), cardiopatia isquêmica 
ÓTIMA 
P Investigações adicionais podem ser realizadas para avaliar e confirmar a suspeita de doenças coexistentes, lesão de órgão alvo 
por hipertensão (HMOD) e hipertensão secundária 
P Técnicas de Imagem 
↳ Ecocardiografia → HVE, disfunção sistólica / diastólica, dilatação atrial, coarctação da aorta 
↳ Ultrassom